Trabalhos Disponíveis

TRABALHO Ações
Aplicação localizada de silício na cultura do trigo
Curso Mestrado em Agronomia
Tipo Dissertação
Data 15/02/2019
Área AGRONOMIA
Orientador(es)
  • Rita de Cassia Felix Alvarez
Orientando(s)
  • Gustavo Ribeiro Barzotto
Banca
  • Eduardo Pradi Vendruscolo
  • Rita de Cassia Felix Alvarez
  • Sebastiao Ferreira de Lima
Resumo
Download
    Energia metabolizável de ingredientes alternativos para frangos de corte de crescimento lento
    Curso Mestrado em Ciência Animal
    Tipo Dissertação
    Data 15/02/2019
    Área ZOOTECNIA
    Orientador(es)
    • Karina Marcia Ribeiro de Souza Nascimento
    Orientando(s)
    • Violeta André Macie
    Banca
    • Andressa da Silva Formigoni
    • Karina Marcia Ribeiro de Souza Nascimento
    • Milena Wolff Ferreira
    Resumo
    Download
    A presença da alfândega na fronteira do Brasil com a Bolívia: considerações da sua implantação através da bacia do Prata em Corumbá-MS (1934-1988).
    Curso Especialização em História
    Tipo Artigo Científico
    Data 14/02/2019
    Área HISTÓRIA
    Orientador(es)
    • Carlos Martins Junior
    Orientando(s)
    • Marcelino da Silva Filho
    Banca
    • Antonio Firmino de Oliveira Neto
    • Carlos Martins Junior
    • Paulo Marcos Esselin
    Resumo
    Download
      Pedro Juan Caballero – O Novo Eldorado da Fronteira do Brasil com o Paraguai - Do Turismo de Compras a Capital Universitária do Paraguai
      Curso Especialização em História
      Tipo Artigo Científico
      Data 14/02/2019
      Área HISTÓRIA
      Orientador(es)
      • Carlos Martins Junior
      Orientando(s)
      • Maria Mercedes de Alencar
      Banca
      • Antonio Firmino de Oliveira Neto
      • Carlos Martins Junior
      • Paulo Marcos Esselin
      Resumo
      Download
        A PERCEPÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE PESCA SOBRE O SEU TRABALHO: O PESCADOR, SUAS VIVÊNCIAS E A COLÔNIA DE PESCADORES DO DISTRITO ÁGUAS DO MIRANDA, NO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL
        Curso Especialização em História
        Tipo Artigo Científico
        Data 14/02/2019
        Área HISTÓRIA
        Orientador(es)
        • Helen Paola Vieira Bueno
        Orientando(s)
        • Heloisa Siqueira Pazzetti Ferreira
        Banca
        • Aguinaldo Rodrigues Gomes
        • Helen Paola Vieira Bueno
        • Miguel Rodrigues de Sousa Neto
        Resumo
        Download
          A HETEROCISGENERIDADE COMPULSÓRIA COMO LINHA ABISSAL: Experiências nas Américas em tempo de incerteza.
          Curso Especialização em História
          Tipo Artigo Científico
          Data 14/02/2019
          Área HISTÓRIA
          Orientador(es)
          • Miguel Rodrigues de Sousa Neto
          Orientando(s)
          • Diego Aparecido Cafola
          Banca
          • Aguinaldo Rodrigues Gomes
          • Helen Paola Vieira Bueno
          • Miguel Rodrigues de Sousa Neto
          Resumo
          Download
            A PERCEPÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE PESCA SOBRE O SEU TRABALHO: O PESCADOR, SUAS VIVÊNCIAS E A COLÔNIA DE PESCADORES DO DISTRITO ÁGUAS DO MIRANDA, NO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL
            Curso Especialização em História
            Tipo Artigo Científico
            Data 14/02/2019
            Área HISTÓRIA
            Orientador(es)
              Orientando(s)
                Banca
                • Aguinaldo Rodrigues Gomes
                • Helen Paola Vieira Bueno
                • Miguel Rodrigues de Sousa Neto
                Resumo
                Download
                  O IMPÉRIO BRITÂNICO E SEU ENVOLVIMENTO NA GUERRA DO PARAGUAI
                  Curso Especialização em História
                  Tipo Artigo Científico
                  Data 09/02/2019
                  Área HISTÓRIA LATINO-AMERICANA
                  Orientador(es)
                  • Paulo Marcos Esselin
                  Orientando(s)
                  • Jairo Ramos da Silva
                  Banca
                  • Carlos Martins Junior
                  • Maria Neusa Goncalves Gomes de Souza
                  • Paulo Marcos Esselin
                  Resumo
                  Download
                    A proteção das meninas vítimas de violência sexual no âmbito doméstico e familiar à luz dos Direitos Humanos
                    Curso Mestrado em Direito
                    Tipo Dissertação
                    Data 08/02/2019
                    Área DIREITO
                    Orientador(es)
                    • Luciani Coimbra de Carvalho
                    Orientando(s)
                    • Jaqueline Camargo Machado de Queiroz Sielskis
                    Banca
                    • Andrea Flores
                    • Joseliza Alessandra Vanzela Turine
                    • Luciani Coimbra de Carvalho
                    • Margaret Ann Griesse
                    • Rejane Alves de Arruda
                    Resumo Decisões recentes de alguns Tribunais nacionais têm afastado a aplicação da Lei Maria da Penha aos casos de violência sexual praticados no âmbito doméstico e familiar em face de crianças e adolescentes do sexo feminino, submetendo os casos às Varas Criminais e não aos Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, sob a justificativa de que não há violência de gênero nesses tipos de crimes. Assim, este trabalho descritivo e exploratório, por meio dos métodos de pesquisa bibliográfica e documental, visa a verificar se esses julgamentos proferidos pelos Tribunais pátrios estão em consonância com o Sistema Interamericano de Direitos Humanos. Para tanto, a presente pesquisa apresentará o âmbito de proteção jurídica internacional sobre a violência de gênero, bem como examinará decisões proferidas pelos Tribunais pátrios acerca do tema, após a edição da Lei Maria da Penha. Ao final, uma análise do entendimento do Sistema Interamericano de Direitos Humanos, acerca da violência sexual contra meninas no âmbito doméstico e familiar, possibilitará o confronto de argumentos e entendimentos e a extração da melhor proteção às meninas vítimas de violência sexual.
                    Download
                      Os meios educacionais disponíveis para as pessoas idosas nos Centros de Ensino Superior em Campo Grande/ms (2013-2017): A observância para o exercício de cidadania
                      Curso Mestrado em Direito
                      Tipo Dissertação
                      Data 08/02/2019
                      Área DIREITO
                      Orientador(es)
                      • Maurinice Evaristo Wenceslau
                      Orientando(s)
                      • Mauricio Ferreira da Cruz Júnior
                      Banca
                      • Andrea Flores
                      • Cesar Augusto Silva da Silva
                      • Lidia Maria Lopes Rodrigues Ribas
                      • Maria de Fátima Freire de Sá
                      • Maurinice Evaristo Wenceslau
                      Resumo O envelhecimento populacional é um processo que gradualmente vem se tornando maior no mundo, no Brasil e em Mato Grosso do Sul. Destarte, o papel da pessoa idosa em sociedade incide maior teor do que em tempos pretéritos. Hodiernamente, as discussões sobre os direitos das pessoas idosas passaram a ser mais rotineiras. A pesquisa propôs mapear e analisar a existência de projetos educacionais para as pessoas idosas dentro dos centros de ensino superior em Campo Grande (MS), fundamentado no artigo 25 do Estatuto do Idoso de 2003, apontando o prolongamento do exercício de cidadania e de que forma seguem as bases normativas e quais são os focos abordados dentro de tais projetos. Além de como os projetos educacionais disponíveis para as pessoas idosas dentro dos centros de ensino superior, em Campo Grande (MS), no período de 2013 a 2017, possibilitariam o prolongamento do exercício de cidadania em sociedade. Dessa forma, este trabalho é descritivo e exploratório; utilizaram-se os métodos bibliográficos e documental, para então analisar os dados sobre envelhecimento populacional mundial e nacional e as formas de educação disponível para as pessoas idosas na cidade de Campo Grande (MS), dados estes coletados utilizando técnicas de documentação, mapeamento de projetos educacionais, levantamento documental e exploração de material bibliográfico físico e digital. Foram visitadas todas as principais instituições de ensino superior de Campo Grande, sendo levantado dados da Universidade da Melhor Idade da UCDB e os projetos para as pessoas idosas na UFMS, outras instituições não possuem projetos, não possuíam documentos a disponibilizar ou não foram obtidas respostas. Assim, encontraram-se projetos educacionais para as pessoas idosas em Campo Grande, com várias diferenças entre si, mas todas buscando um bem comum, que é a melhoria da qualidade de vida da pessoa idosa e a participação social. No entanto, o prolongamento do exercício da cidadania fica mais evidente na UMI-UCDB do que nos projetos inseridos na UFMS.
                      Download
                        A proteção dos Direitos Humanos dos emigrantes brasileiros e as Políticas migratórias Contemporâneas
                        Curso Mestrado em Direito
                        Tipo Dissertação
                        Data 08/02/2019
                        Área DIREITO
                        Orientador(es)
                        • Ana Paula Martins Amaral
                        Orientando(s)
                        • Cristiane Batista Arrua Allgayer
                        Banca
                        • Ana Paula Martins Amaral
                        • Elisaide Trevisam
                        • Isabelle Dias Carneiro Santos
                        • Luiza Vieira Sá de Figueiredo
                        • Vladmir Oliveira da Silveira
                        • Ynes da Silva Felix
                        Resumo O Brasil é um país que experimenta uma postura migratória nova, de espaço de recepção de imigrantes para o de emissão de emigrantes. As comunidades de brasileiros pelo mundo tiveram ampliação a partir da intensa crise econômica brasileira e desemprego, acentuados durante os anos de 1980, sendo a emigração motivada especialmente, pelo interesse de trabalho e melhores condições de vida. Ainda no vigor do Regime Militar, em 1980, o Brasil aprovou sua lei de migração, de caráternacionalista e restritivo, que ficou conhecida como Estatuto do Estrangeiro. Em vigor durante 37 anos, a normativa foi substituída no ano de 2017 pela Lei n. 13.445, conhecida como a Nova Lei de Migração brasileira, com elevada aproximação aos fundamentosdos Direitos Humanos e com atenção inovadora ao emigrante, para o suporte em sua estadia fora do país e no retorno à pátria. A transição normativa trouxe à tona o interesse em identificar: quais as políticas e medidas adotadas pelo Estado brasileiro que se destinam à promoção e extensão de direitos e garantias em prol dos emigrantes brasileiros? O objetivo desta pesquisa foi identificar quais as relações adotadas pelo Estado brasileiro a partir da década de 1990, períodoem que as políticas para brasileiros no exterior se iniciam efetivamente devido à crescente emigração–e de que forma estas políticas se relacionam com os Direitos Humanos. O estudo justifica-se pela necessidade de atenção ao considerável número de brasileiros fora do país, sujeitos à uma série de vulnerabilidades em sua experiência migratória, bem como pela discussão das recentes mudanças de postura pelo Estado brasileiro frente à migração –como a maior visibilidade, atenção e cobertura aos direitos dos emigrantes. A pesquisa encontra ainda respaldo no art. 77, III, da Lei 13.445/2017, que prevê a promoção de estudos e pesquisas sobre os emigrantes e as comunidades de brasileiros no exterior. Foi desenvolvida uma abordagem temática orientada ao fortalecimento dos vínculos de conhecimento sobre a relação entre o Brasil e os brasileiros pelo mundo, um reforço à postura migratória centrada nos Direitos Humanos –e não mais calçada em interesses exclusivos como a segurança nacional e as questões econômicas. Foi realizada uma revisão bibliográfica e documental, mediante pesquisa descritiva quanto aos fins, que foi elaborada tendo por referenciais teóricos Hannah Arendt, Francisco de Vitória, Francisco Suarez e Immanuel Kant, com forte alicerce no Direito Fraterno. Como hipóteses investigadas, o estudo considerou se a Nova Lei de Migração Brasileira pode representar uma iniciativa de superação da postura restritiva e nacionalista tradicionalmente impressa pelo Estatuto do Estrangeiro e, se a Nova Lei possibilita a abertura normativa ao tratamento da questão migratória sob a ótica dos Direitos Humanos, com espaço para que o brasileiro que deixa o país também seja sujeito de direitos e proteções, antes negligenciados pelo Estado. A pesquisa também considerou a hipótese de que a Nova Lei de Migração do ano de 2017, teria consolidado formalmente uma série de posturas e iniciativas que, em uma adesão atitudinal aos Direitos Humanos, o país já praticava quanto ao tema migratório e, com isso, representa reforço formal e normativo da interpretação do migrarcomo um direito do cidadão brasileiro.
                        Download
                          TERCEIRIZAÇÃO TRABALHISTA NO BRASIL E TRABALHO DECENTE
                          Curso Mestrado em Direito
                          Tipo Dissertação
                          Data 08/02/2019
                          Área DIREITO
                          Orientador(es)
                          • Ynes da Silva Felix
                          Orientando(s)
                          • Antônio Leonardo Amorim
                          Banca
                          • Ana Paula Martins Amaral
                          • Elaine Cler Alexandre dos Santos
                          • Elisaide Trevisam
                          • Jacy Correa Curado
                          • Ynes da Silva Felix
                          Resumo A terceirização trabalhista é fenômeno que surge na década de 1960 no direito do trabalho, com o objetivo de inovar as formas de trabalho trazendo a especialidade como o pressuposto fundamentador da sua instituição. Com o passar dos anos tanto para o poder público quanto no privado iniciaram-se diversas formas de regulamentação do trabalho terceirizado, tendo inclusive sido interpretado pelo Tribunal Superior do Trabalho como deveria ocorrer essa forma de trabalho. Inicialmente, houve a aceitação apenas nas atividades meio do tomador e, proibindo a sua ocorrência nas atividades fins, justamente para que esse empregado terceirizado não se confundisse com o empregado diretamente ligado ao tomador. Porém, todas as regulamentações feitas sobre essa forma de trabalho não primaram pela especialidade, mas sim demonstrando que essa forma de trabalho na verdade buscava redução de custos para os empregadores. Em 2017 com a Lei n.º 13.429, regulamentou-se a terceirização, sendo que essa forma trabalho agora pode ser realizada em qualquer atividade do tomador, independente do seguimento em que esteja vinculado. Nota-se que a justificativa da existência do trabalho terceirizado denominado de “especialidade” com essa regulamentação perdeu sua validade, restando apenas afirmado que a terceirização serve como forma de redução de custos para o empregador que busca maior rentabilidade em suas relações comerciais. De outro lado, tem-se o conceito de trabalho decente afirmado pela Organização Internacional do Trabalho e, em 2003 inserido no plano interno pelo memorando de entendimento que culminou no Plano Nacional do Trabalho, bem como reafirmado em 2015 na Declaração Sociolaboral do Mercosul, onde se busca a realização do trabalho humano em condições dignas, exercido de forma livre, adequadamente remunerado, onde pessoas recebam seus salários de forma igual, sem discriminação, com vistas a eliminar o trabalho degradante e desumano, além de promover o trabalho humano. Nesse sentido, a presente pesquisa analisa a terceirização e conceito de trabalho decente, com vistas a verificar se o trabalho terceirizado é decente. A colheita dos dados será a partir do método hipotético dedutivo, da pesquisa bibliográfica, documental e comparada, com o objetivo geral de verificar se a terceirização está alinhada ao conceito de trabalho decente.
                          Download
                            Direitos Humanos e Meio Ambiente: Análise dos direitos de participação na proteção internacional ambiental
                            Curso Mestrado em Direito
                            Tipo Dissertação
                            Data 07/02/2019
                            Área DIREITO
                            Orientador(es)
                            • Livia Gaigher Bosio Campello
                            Orientando(s)
                            • Renata Pereira Nocera
                            Banca
                            • Elisaide Trevisam
                            • Joseliza Alessandra Vanzela Turine
                            • Livia Gaigher Bosio Campello
                            • Mariana Ribeiro Santiago
                            • Ynes da Silva Felix
                            Resumo Os direitos de participação foram fortalecidos no campo dos direitos humanos com a integração ao direito internacional do meio ambiente. No sistema internacional de proteção do meio ambiente já existe um conjunto de direitos de participação, estabelecidos pelo princípio 10 da Declaração do Rio (1992), estes incluem, o direito à informação, o direito de participar diretamente na tomada de decisões sobre as questões ambientais e o direito de acesso à justiça. Com efeito, a presente pesquisa, utilizando-se do método dedutivo e com base na revisão bibliográfica, documental e jurisprudencial, realiza um estudo sobre os direitos de participação na proteção internacional do meio ambiente. Discorre sobre sua evolução normativa como um direito humano de primeira dimensão ampliado à proteção do meio ambiente. Analisa seu reconhecimento e implementação nos âmbitos regionais, especificamente, pela Convenção de Aarhus e no Acordo Regional Sobre o Acesso à Informação, Participação Pública e ao Acesso à Justiça em Assuntos Ambientais na América Latina e Caribe. Por fim, realiza um estudo sobre o alcance e eficácia de sua aplicação pelos Estados diante das demandas judiciais internacionais de ordem ambiental.
                            Download
                              Educação em Direitos Humanos nos Projetos Político-Pedagógicos do Curso de Direito em Campo Grande (MS): um despertar para a cidadania (2013-2017)
                              Curso Mestrado em Direito
                              Tipo Dissertação
                              Data 07/02/2019
                              Área DIREITO
                              Orientador(es)
                              • Maurinice Evaristo Wenceslau
                              Orientando(s)
                              • Abgail Denise Bisol Grijo
                              Banca
                              • Cesar Augusto Silva da Silva
                              • Elisaide Trevisam
                              • Fabiany de Cassia Tavares Silva
                              • Livia Gaigher Bosio Campello
                              • Maurinice Evaristo Wenceslau
                              Resumo Essa pesquisa tem por objetivo trazer considerações e reflexões sobre a educação em Direitos Humanos nos Projetos Políticos Pedagógicos dos cursos de Direito em Campo Grande (MS), no período de 2013 a 2017, no sentido de verificar a aproximação do egresso com essa temática, com o intuito de expandir os conhecimentos para o exercício da cidadania, considerando que é na formação educacional que se desenvolve o sentimento de participação para desempenhar o seu papel na sociedade. A pesquisa permeia o percurso documental de sua implantação e algumas perspectivas conceituais de educação em Direitos Humanos e cidadania até alcançar a análise dos Projetos Políticos Pedagógicos (PPP) utilizados pelas Instituições de Ensino Superior para os cursos de Direito em Campo Grande (MS), de 2013 a 2017. A análise perpassa pela discussão de educação em Direitos Humanos por meio das disciplinas disponibilizadas e pelas atividades de extensão, refletidas na transversalidade do ensino jurídico para a formação do profissional cidadão. A percepção foi de que os documentos seguem as diretrizes curriculares nacionais para os cursos de Direito nos elementos formais e na estrutura curricular, todavia o resultado da pesquisa surpreende à medida que a função educativa da Universidade deve ir além da formação profissional, pois deve solidificar à formação para a educação em Direitos Humanos. Utilizando-se de metodologia bibliográfico- documental, com abordagem qualitativa, a pesquisa investigou os documentos e as diretrizes curriculares nacionais com o propósito de destacar a importância de se observar as diretrizes a fim de que o respeito aos Direitos Humanos se efetivem na prática uma vez que a educação possibilita maior compreensão sobre a relevância dessa temática.
                              Download
                                O Direito ao Meio Ambiente e os Direitos dos Povos Indígenas: a proteção da Corte Interamericana de Direitos Humanos a partir da interdependência dos Direitos Humanos
                                Curso Mestrado em Direito
                                Tipo Dissertação
                                Data 07/02/2019
                                Área DIREITO
                                Orientador(es)
                                • Livia Gaigher Bosio Campello
                                Orientando(s)
                                • Jeovane da Silva Gomes
                                Banca
                                • Ana Paula Martins Amaral
                                • Elisaide Trevisam
                                • Jaceguara Dantas da Silva Passos
                                • Livia Gaigher Bosio Campello
                                • Mariana Ribeiro Santiago
                                Resumo É notória a evolução que experimenta os direitos humanos ao longo do tempo, ganhando, dia após dia, maior relevância na agenda dos Estados e organizações. A proteção de tais direitos mostra-se como sendo uma das necessidades mais prementes do homem, notabilizando-se, dentre eles, o direito ao meio ambiente e os direitos dos povos indígenas, temas que serão objeto do presente trabalho, dada a sua importância. O meio ambiente ganhou, nas últimas décadas, um status e importância que até então não gozava, sendo alçado pelo ordenamento jurídico internacional à categoria de direito humano. Da mesma forma, os direitos dos povos indígenas vêm se desenvolvendo de forma significativa, a fim de proteger as comunidades e seu modo de vida, sobretudo em virtude da devastação dos territórios onde se encontram. Este trabalho aborda a necessidade de proteção do direito humano ao meio ambiente e dos direitos dos povos indígenas a partir da análise da sua interdependência e inter-relação. O trabalho objetiva demonstrar ser legítima a atuação da Corte Interamericana de Direitos Humanos na proteção reflexa do direito humano ao meio ambiente, sobretudo em razão da relação umbilical que existente entre ele e os demais direitos humanos, com destaque para os direitos dos povos indígenas. Para tanto, a pesquisa fora dividida em quatro capítulos, sendo que no primeiro tratar-se-á da evolução histórica dos direitos humanos, tendo como referência a teoria das gerações de direitos desenvolvida por Karel Vasak, o qual dividiu os direitos humanos em três categorias, os de primeira, os de segunda e os de terceira geração ou de solidariedade, abordando, ainda, a divergência doutrinária quanto ao termo gerações. No segundo capítulo discorrer-se-á acerca da evolução histórica do direito humano ao meio ambiente, o qual se insere dentre os direitos de solidariedade, da compreensão da solidariedade não apenas como um valor, mas como princípio jurídico, do debate acerca da força jurídica dos instrumentos que versam sobre tais direitos, da proteção do meio ambiente em face à soberania dos Estados e, ainda, da conexão entre meio ambiente e direitos humanos, posto que interdependentes. Já no terceiro capítulo, discorrer-se-á sobre a evolução e a proteção dos direitos humanos dos povos indígenas no direito internacional, seja no âmbito global quanto no regional americano, relacionando-os, ainda, com a proteção reflexa do meio ambiente. No quarto capítulo, adentrarse-á à análise do Sistema Interamericano de Proteção dos Direitos Humanos, destacando-se as competências e funções exercidas pelos seus principais órgãos, quais sejam, a Comissão Interamericana de Direitos Humanos e a Corte Interamericana de Direitos, com ênfase à atuação do tribunal na tutela dos direitos humanos, sendo abordada a conexão existente entre o meio ambiente e os direitos humanos dos povos indígenas por meio de análise de caso. Por fim, farse-á uma análise acerca da atuação do Tribunal Europeu de Direitos Humanos. Em termos de resultado, a título de conclusões prévias, consolidou-se o entendimento acerca da legitimidade da atuação da Corte Interamericana de Direitos Humanos na proteção do direito ao meio ambiente, haja vista a sua interdependência com os demais direitos humanos e vinculação direta com o atributo da dignidade da pessoa humana. Esta dissertação é bibliográfica, documental e jurisprudencial, desenvolveu-se a partir do método dedutivo. O marco teórico está fundado nos direitos humanos e na dignidade da pessoa humana.
                                Download
                                  Contribuição da Coleta Seletiva de Resíduos Sólidos: instrumento de garantia da sustentabilidade como Direito Fundamental
                                  Curso Mestrado em Direito
                                  Tipo Dissertação
                                  Data 07/02/2019
                                  Área DIREITO
                                  Orientador(es)
                                  • Lidia Maria Lopes Rodrigues Ribas
                                  Orientando(s)
                                  • Jaqueline Ferri Pereira
                                  Banca
                                  • Cesar Augusto Silva da Silva
                                  • Lidia Maria Lopes Rodrigues Ribas
                                  • Livia Gaigher Bosio Campello
                                  • Vilson Bertelli
                                  • Vladmir Oliveira da Silveira
                                  Resumo A presente pesquisa destina-se a responder a problemática acerca da possibilidade de a Coleta seletiva de Resíduos Sólidos garantir à população brasileira o acesso ao Direito Fundamental à Sustentabilidade previsto na Constituição Federal brasileira de 1988. A fim de chegar a solução do problema supracitado, a presente pesquisa, no primeiro capítulo debruça-se acerca do tema dos Direitos Fundamentais. Após a compreensão do que seriam os Direitos Fundamentais, no seu segundo capítulo, ela dedica-se ao estudo da Sustentabilidade a fim de compreender de que forma este novo paradigma é introduzido na sociedade moderna. Por fim, no terceiro e último capítulo, a pesquisa se debruça sobre o tema dos resíduos sólidos e da coleta seletiva destes materiais. Este caminho é percorrido a partir da utilização de métodos de pesquisa bibliográfico, documental, exploratório e descritivo.
                                  Download
                                    Tributação verde do estado de Mato Grosso do Sul e o meio ambiente ecologicamente equilibrado
                                    Curso Mestrado em Direito
                                    Tipo Dissertação
                                    Data 07/02/2019
                                    Área DIREITO
                                    Orientador(es)
                                    • Lidia Maria Lopes Rodrigues Ribas
                                    Orientando(s)
                                    • Paulo Sérgio Fiorin
                                    Banca
                                    • Andre de Carvalho Pagnoncelli
                                    • Antonio Hilario Aguilera Urquiza
                                    • Flávio Garcia Cabral
                                    • Lidia Maria Lopes Rodrigues Ribas
                                    • Vladmir Oliveira da Silveira
                                    Resumo A tributação ambiental como protetora ambiental vem sendo implementada e ganhando força desde que o meio ambiente conquistou visibilidade com a Conferência Mundial em Estocolmo em 1972, onde acordos foram firmados entre as Nações signatárias visando dar um novo rumo no trato com o meio ambiente. Esse marco mundial contribuiu para que os países desenvolvessem políticas públicas enfatizando a consciência ambiental, a educação ambiental, a gestão ambiental etc. com o objetivo de proteger, preservar e restaurar o meio ambiente como um todo em prol do desenvolvimento sustentável. A desoneração tributária em contrapartida pelo bem ambiental foi uma das medidas utilizadas por vários países e tem ganhado força nas mais variadas áreas. Conforme a área de concentração de Direitos Humanos e de acordo com a Linha de Pesquisa referente a Direitos Fundamentais, Democracia e Desenvolvimento Sustentável, por meio de pesquisa descritiva e exploratória, através de levantamento bibliográfico e documental, analisando a legislação tributária ambiental do estado de Mato Grosso do Sul e outras unidades federativas, com o objetivo de identificar quais espécies tributárias são utilizadas para a causa ambiental, analisando sua aplicabilidade como instrumento protetor do meio ambiente encontrou-se os impostos como instrumento principal do estado para aliar à proteção ambiental, porque se mostrou bastante efetivo tanto na praticidade de desenvolver políticas públicas tributárias com seu uso como tramitar junto ao Poder Municipal para o rateio. Utilizando para fundamentar a viabilidade dessa implementação tributária ambiental, o IPTU em algumas cidades do estado de Mato Grosso do Sul como Campo Grande (capital), Dourados, Três Lagoas e Bonito implementaram políticas públicas com desonerações tributárias visando a preservação ambiental quando a unidade atender medidas como sistema de captação da água da chuva; sistema de reuso de água; plantio de árvores nativas da região; lixeiras suspensas; separação do lixo doméstico para reciclagem, entre outras. O imposto dos veículos sul-mato-grossenses tem redução entre 40% e 60% no caso de uso de motor movido a álcool ou à eletricidade, respectivamente. O ICMS está entre os tributos de maior efetividade na preservação ambiental, uma vez que com os recursos destinados aos Municípios foi possível a criação de áreas de preservação ambiental, a correta destinação dos lixos sólidos, inclusive implantando coleta seletiva como forma de conscientizar os cidadãos da importância da destinação adequada do lixo que produziu. Em relação às taxas ambientais pelo uso e manutenção da infraestrutura dos locais turísticos, nem o estado nem os municípios fazem qualquer cobrança dos visitantes. Enfim, várias espécies tributárias podem ser utilizadas visando a proteção ambiental.
                                    Download
                                      Contribuição do Notariado: instrumento no acesso e efetivação da Justiça no Brasil
                                      Curso Mestrado em Direito
                                      Tipo Dissertação
                                      Data 05/02/2019
                                      Área DIREITO
                                      Orientador(es)
                                      • Lidia Maria Lopes Rodrigues Ribas
                                      Orientando(s)
                                      • Adelson Luiz Correia
                                      Banca
                                      • José Paulo Baltazar Junior
                                      • Lidia Maria Lopes Rodrigues Ribas
                                      • Livia Gaigher Bosio Campello
                                      • Mariana Ribeiro Santiago
                                      • Maurinice Evaristo Wenceslau
                                      Resumo O acesso à justiça é um direito humano consagrado nos mais importantes instrumentos internacionais de proteção dos direitos humanos e também é um direito fundamental, previsto no art. 5º da Constituição brasileira de 1988. Apesar da positivação, o acesso à justiça tem encontrado barreiras na sua efetivação ao longo do tempo, o que tem motivado reformas legislativas no intuito de superá-las. Verifica-se, no entanto, que as mudanças propostas pelas leis giram em torno da concepção de acesso à justiça como sinônimo de acesso ao Poder Judiciário. Por outro lado, a insuficiência e lentidão do Judiciário têm demonstrado que a distribuição da justiça não pode mais ser vista como tarefa exclusiva do Estado-Juiz. O soterramento da jurisdição estatal tem desafiado uma releitura e atualização da concepção do princípio de acesso à justiça e também do próprio sentido de jurisdição. Tem-se proposto, assim, a ampliação do conceito de acesso à justiça, sob um modelo de jurisdição compartilhada, com a atuação de outras instâncias, órgãos e agentes, no intuito de dar efetividade ao direito de acesso à ordem jurídica justa. Busca-se estimular outras formas de pacificação social, com a oferta de instrumentos de rápido, fácil e seguro acesso a direitos; além de colocar à disposição da sociedade mecanismos de prevenção e resolução de litígios fora da estrutura do Judiciário. Nessa perspectiva, uma instituição milenar, mas ainda pouco compreendida pelos brasileiros, está entre esses atores que passam a atuar na promoção da paz social e da efetivação da justiça: o Notariado. O desconhecimento sobre a instituição notarial e sua relevância social prejudica a concretização do acesso à justiça, na concepção ampla do termo, na medida em que os cidadãos e operadores do direito deixam de fazer uso de um canal de facilitação de acesso à ordem jurídica e ao direito propriamente dito. Nesse contexto, este trabalho descritivo, explicativo e exploratório, por intermédio de uma pesquisa bibliográfica e documental, visa a verificar de que forma o Notariado contribui para a efetivação da justiça no Brasil. Para tanto, em um primeiro momento, analisa-se a evolução do conceito de acesso à justiça a partir das discussões propostas por Cappelletti e Garth, Boaventura e Mancuso. Em seguida, compreende-se o Notariado como instituição social voltada à promoção da segurança jurídica, a partir da análise da sua origem, evolução, espécies e da forma como é estruturado e regulamentado no Brasil. Ao final, verifica-se de que forma a atuação do Notariado previne litígios; como colabora para o exercício da jurisdição contenciosa e quais os principais instrumentos notariais que possibilitam o acesso direto aos direitos.
                                      Download
                                        A mediação das disputas individuais e acidentárias do trabalho: análise jurisprudencial (2014-2018)
                                        Curso Mestrado em Direito
                                        Tipo Dissertação
                                        Data 05/02/2019
                                        Área DIREITO
                                        Orientador(es)
                                        • Maurinice Evaristo Wenceslau
                                        Orientando(s)
                                        • Rodrigo Rebello Campos
                                        Banca
                                        • Andrea Flores
                                        • Cesar Augusto Silva da Silva
                                        • Lidia Maria Lopes Rodrigues Ribas
                                        • Maurinice Evaristo Wenceslau
                                        • Sandro Rogerio Monteiro de Oliveira
                                        Resumo A pesquisa tem por objetivo a análise da possibilidade de utilização da mediação nas disputas individuais e acidentárias do trabalho, bem como, discutir as jurisprudências editadas nos casos de indenizações acidentárias. Os mecanismos alternativos são instrumentos jurídicos facultativos postos à disposição dos cidadãos para a resolução das suas disputas, de cunho não litigioso, pacífico, contribuindo para o desafogamento do Poder Judiciário, bem como, há participação direta dos operadores do Direito, que incentivam o pensamento consensual em face do litigioso. Tratando-se de conflitos individuais trabalhistas, a jurisdição atua como fiscalizador da validade dos acordos firmados diante da natureza jurídica de indisponibilidade das verbas obreiras, portanto, diferencia-se dos demais ramos do Direito. Assim, o presente trabalho investiga acerca da possibilidade teórica de utilização da mediação nos conflitos decorrentes de acidentes do trabalho e descreve as suas vantagens. Para tanto, parte-se da hipótese de que a mediação nos conflitos acidentários poderá ser aplicada diante da sua natureza consensual, já que as verbas indenizatórias de responsabilidade civil comportam transação. Os métodos alternativos de solução dos conflitos são ferramentas postas à disposição do cidadão para a concretização dos seus direitos fundamentais, logo, a pesquisa científica contribuiu para o debate teórico acerca da possibilidade jurídica do uso da mediação nos conflitos individuais do trabalho. O presente estudo adota o método de pesquisa bibliográfico com finalidade descritiva e exploratória, com abordagem qualitativa, propondo-se a mapear e analisar acerca da mediação como método alternativo de solução dos conflitos individuais, diante das normas de indisponibilidade das verbas trabalhistas, trazendo ao final análise jurisprudencial no âmbito nacional em comparação com o Estado de Mato Grosso do Sul. Explorou-se o conteúdo das pesquisas científicas já documentadas sobre os meios legais de solução dos conflitos nas relações de trabalho, sobre os direitos fundamentais dos trabalhadores e o exercício do direito subjetivo de indenização por acidente de trabalho. Em contrapartida, a pesquisa identificou que nem todo acidente de trabalho é indenizável, pois existem pressupostos a serem observados para a responsabilização do empregador, nesse sentido, nem todo meio ambiente de trabalho apresentará riscos acidentários aos trabalhadores, porém, cabem às partes a devida implementação de medidas preventivas em saúde e segurança no trabalho. Assim, foram excluídos deste estudo, os temas sobre as relações de trabalho não reguladas pelo regime jurídico celetista e as relações coletivas em sentido amplo. Observou-se ao final, não ser sensato o uso da mediação nos casos concretos que versem sobre direitos indisponíveis dos trabalhadores, devendo ainda, a mediação no Direito do Trabalho estar adstrita à modalidade judicial ou por homologação judicial de direitos que comportam transação, onde são submetidos ao crivo fiscalizatório do órgão jurisdicional.
                                        Download
                                          Direito Internacional das Mulheres Refugiadas
                                          Curso Mestrado em Direito
                                          Tipo Dissertação
                                          Data 04/02/2019
                                          Área DIREITO
                                          Orientador(es)
                                          • Ynes da Silva Felix
                                          Orientando(s)
                                          • Paola Flores Serpa
                                          Banca
                                          • Ana Paula Martins Amaral
                                          • Andrea Flores
                                          • Cesar Augusto Silva da Silva
                                          • Elaine Cler Alexandre dos Santos
                                          • Jacy Correa Curado
                                          • Ynes da Silva Felix
                                          Resumo O fluxo migratório de deslocados forçados no mundo é atualmente um número crescente. A questão se torna demasiadamente delicada ao considerar que mais da metade dos refugiados do mundo são mulheres e crianças. A presente pesquisa analisa o fenômeno das migrações em busca de refúgio ao redor do mundo, para, a partir de tal premissa, descrever as condições enfrentadas pelas mulheres refugiadas. Diante da importância e relevância da temática, essa análise encontra-se alinhada com a linha de pesquisa “Direitos Humanos, Estado e Fronteiras” do Programa de Mestrado em Direitos Humanos da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. O combate ao terrorismo e extremismo é um dos maiores desafios encontrados pela comunidade internacional no século XXI, com ligação direta de conflitos que geram mais refugiados. A globalização facilitou o transpasse das fronteiras, e acarretou na permissão, através do desenvolvimento da tecnologia às violências perpetradas pelos grupos terroristas. Populações deslocam-se dos países originários em fuga dos conflitos armados existentes para nações de todo mundo, perpetuando um fluxo considerado o maior desde a Segunda Guerra Mundial. Em que pese o terrorismo ser um dos motivos da saída de seus países de origens, os refugiados ainda enfrentam a xenofobia dos países de acolhimento, em razão da ideia errônea e não fundamentada de que esse fluxo favorece e amplia os ataques terroristas. As mulheres refugiadas ainda sofrem com a violência sexual e discriminação de gênero, tanto no seu país de origem, como nos países de acolhimento, o que denota sua dupla vulnerabilidade. Nesse trabalho é apresentado um panorama acerca da construção do conceito de refúgio e dos direitos humanos dos refugiados frente à globalização, ao terrorismo, e à crise humanitária europeia, e de como esses fatos impactam diretamente a proteção do direito internacional dos refugiados. Destaca-se que para a garantia da dignidade humana das mulheres em situação de refúgio e sua adaptação no país de recepção, é necessária a efetividade de mecanismos de proteção, tanto no âmbito internacional como no ordenamento interno, por meio da implementação de políticas públicas visando soluções duradouras frente ao atual desafio do crescente fluxo migratório dos refugiados.
                                          Download
                                            Página 4 de 426 (20 de 8.516 registros).