Mestrado em Estudos de Linguagens

Atenção! O edital referente ao processo seletivo e arquivos pertinentes ao curso estão disponíveis no site do curso.
Os resultados dos processos seletivos serão divulgados no site do curso.

Trabalhos

Trabalhos Disponíveis

TRABALHO Ações
Fascismo no Brasil: da perlaboração do testemunho em K.: relato de uma busca ao infamiliar da previsão em A nova ordem, de Bernardo Kucinski
Curso Mestrado em Estudos de Linguagens
Tipo Dissertação
Data 29/02/2024
Área LETRAS
Orientador(es)
  • Wellington Furtado Ramos
Coorientador(es)
    Orientando(s)
    • Ana Luiza Oliveira Postingher
    Banca
    • Altamir Botoso
    • Paulo Eduardo Benites de Moraes
    • Ramiro Giroldo
    • Rosana Cristina Zanelatto Santos
    • Wellington Furtado Ramos
    Resumo Este trabalho se pretende uma análise dos livros K.: relato de uma busca (2011) e A nova ordem (2019), de Bernardo Kucinski, com enfoque nos ensaios freudianos “Lembrar, repetir e perlaborar” (1914) e “O infamiliar” (1918). Para tanto, divide-se em quatro partes – sendo a primeira delas uma introdução teórica – as quais, a partir da segunda, buscam mimetizar os momentos descritos por Freud como aqueles essenciais no processo do analisando em sua busca pela cura. Por sua proposta testemunhal e paródica, o trabalho se propõe a discutir as relações possíveis entre a obra sabidamente ficcional de Kucinski e a realidade, refletindo sobre o conceito de mimesis desde Aristóteles, até uma de suas proposições finais, aqui apresentadas pelo texto de Luiz da Costa Lima (1981) da mimesis enquanto entrelugar: representação das representações do sujeito que escreve a obra, a qual se encontra, de forma inesperada, com as representações do sujeito que a lê. Para discutir questões relativas à memória, história e repetição, deram-se como essenciais outros ensaios de Freud (2020a; 2020b; 2020c; 2020d; 2020e) e também ensaios de Adorno (2015a; 2015b; 2015c; 2021a; 2021b) e Benjamin (2012; 2020), além de textos mais recentes de autores brasileiros como Márcio Seligmann-Silva (2010; 2022) e Jaime Ginzburg (2017), que respaldaram reflexões sobre a violência constitutiva da história, do estado e, portanto, da literatura brasileiros, e autorizaram a adoção de autores como os europeus supracitados para dar conta de nosso contexto, reafirmando sua pertinência e atualidade para analisar o que quer que seja produzido numa República ainda tão entremeada pelo fascismo como a nossa.
    Download
    LOCUÇÕES EM TEXTOS DE ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO: UM OLHAR FRASEOLÓGICO
    Curso Mestrado em Estudos de Linguagens
    Tipo Dissertação
    Data 28/02/2024
    Área LÍNGUA PORTUGUESA
    Orientador(es)
    • Elizabete Aparecida Marques
    Coorientador(es)
      Orientando(s)
      • Katiane Coelho Vieira Schleich
      Banca
      • Ana Paula Tribesse Patrício Dargel
      • Bruno Oliveira Maroneze
      • Elizabete Aparecida Marques
      • Marilze Tavares
      • Renato Rodrigues Pereira
      Resumo A Fraseologia é uma disciplina da Linguística que estuda as unidades fraseológicas, as
      quais, de acordo com Corpas Pastor (1996), são expressões formadas por várias palavras,
      estão institucionalizadas, são estáveis em diversos graus, apresentam certas
      particularidades sintáticas ou semânticas e são passíveis de modificações em seus
      elementos. O aporte teórico para esta pesquisa é baseado nos estudos de Casares Sanchez
      (1950), Zuluaga (1980) e especialmente da linguista espanhola Gloria Corpas Pastor
      (1996). De acordo com a linguista, as unidades fraseológicas dividem-se em colocações,
      locuções e enunciados fraseológicos. O objetivo desta pesquisa é realizar um estudo de
      locuções a partir de um corpus de unidades fraseológicas tendo como fontes redações de
      estudantes do Ensino Médio. Os objetivos específicos são: i) realizar um levantamento
      das unidades fraseológicas em textos do tipo dissertativo-argumentativo e narrativo ii)
      examinar locuções prepositivas e locuções conjuntivas em textos escolares de estudantes
      do Ensino Médio, a partir dos pressupostos de Corpas Pastor; iii) observar a frequência
      das locuções conexivas em textos de alunos do Ensino Médio. O corpus deste estudo
      compõe-se de textos produzidos por estudantes do Ensino Médio de uma escola pública
      de Campo Grande-MS. Foram produzidos cento e noventa e um textos, divididos entre
      os tipos supracitados. Para o levantamento dos dados, utilizamos o software de análise
      lexical AntConc para extração das unidades fraseológicas. Em exame nesta pesquisa. O
      ensino da língua materna tem como finalidade o desenvolvimento da competência
      linguística, para que se possa elaborar e apreender textos em suas diferentes modalidades.
      (MONTEIRO-PLANTIN, 2014). Para tanto, a reflexão sobre o funcionamento da língua
      no contexto de ensino é necessária. O trabalho com diferentes tipos e gêneros textuais nas
      etapas do Ensino Médio, o estudo das locuções conexivas, assim como as conjunções,
      são relevantes na medida em que se caracterizam como importantes elementos da coesão
      sequencial. Este fator de textualidade aliado à coerência é avaliado nos exames de
      vestibulares. Pudemos concluir que a maior parte das locuções prepositivas e conjuntivas
      foram utilizadas com o sentido contido nos dicionários, como .de acordo com, além de;
      para que. Percebemos o uso inadequado de poucas locuções conexivas, como a locução
      perto de. Houve variações no uso de algumas locuções, como a locução não só... mas
      também.
      Download
        Uso de tecnologias digitais para interações em Língua Kaiowá na terra indígena Panambi-Lagoa Rica
        Curso Mestrado em Estudos de Linguagens
        Tipo Dissertação
        Data 28/02/2024
        Área LETRAS
        Orientador(es)
        • Fabiana Pocas Biondo Araujo
        Coorientador(es)
        • Patricia Graciela da Rocha
        • Onilda Sanches Nincao
        Orientando(s)
        • Rosinete Barbosa Pedro
        Banca
        • Edilaine Buin Barbosa
        • Elaine de Moraes Santos
        • Fabiana Pocas Biondo Araujo
        • Jucara Zanoni do Nascimento
        • Patricia Graciela da Rocha
        Resumo Esta pesquisa tem por objetivo investigar como se estabelece o uso de tecnologias
        para interações em língua Kaiowá pela comunidade indígena da Aldeia Panambi, no
        município de Douradina-MS, identificando aspectos linguísticos/identitários e
        caracterizando possíveis mudanças de prática de uso dessa e de outras línguas
        nesse contexto. Para tanto, buscamos: i) descrever o território étnico-cultural e
        linguístico na aldeia Indígena Panambi-Lagoa Rica, município de Douradina-MS; ii)
        identificar e descrever crenças e práticas de/sobre o uso de tecnologias digitais para
        interações em Kaiowá e demais línguas, pela comunidade ii) analisar se as
        tecnologias digitais têm ajudado de alguma forma na preservação/difusão da sua
        cultura. Como aporte teórico, em perspectiva da Linguística Aplicada, baseamo-nos
        em estudos sobre identidade cultural e identidade indígena, bem como em trabalhos
        que discutem aspectos da inserção de tecnologias digitais em escolas e comunidades
        indígenas. A pesquisa teve início a partir da história e vivência profissional da
        pesquisadora, que atua como professora na Aldeia, e tem acompanhado as
        transformações ocasionadas pelo uso de tecnologias digitais em sua comunidade.
        Para geração dos dados, foram realizadas entrevistas semi-estruturadas e
        questionário com 3 moradores dessa aldeia, bem como registradas vivências da
        própria pesquisadora, sobre a relevância da tecnologia em seu cotidiano e língua
        materna. Trata-se, portanto, de pesquisa participativa qualitativa e de orientação
        etnográfica. A análise dos dados permitiu constatar que os Kaiowá de Panambi-Lagoa
        Rica investigados utilizam mídias digitais em sua rotina diária, sobretudo com o intuito
        de divulgar sua língua e cultura, por intermédio de vídeos e da escrita em Kaiowá.
        Além disso, o fazem para comunicação com seus pares, e consideram que sua
        identidade se (re)configura a partir desses usos, transformando-se, porém mantendose em seu aspecto indígena Kaiowá.
        Download
          REVISITANDO HERLAND: A NATUREZA FEMININA E PAPÉIS SOCIAIS DE GÊNERO SEGUNDO CHARLOTTE PERKINS GILMAN
          Curso Mestrado em Estudos de Linguagens
          Tipo Dissertação
          Data 22/02/2024
          Área LITERATURA COMPARADA
          Orientador(es)
          • Rosana Cristina Zanelatto Santos
          Coorientador(es)
            Orientando(s)
            • Júlia Cristina Valero Souza
            Banca
            • Andre Rezende Benatti
            • Flávio Amorim da Rocha
            • RAUL GOMES DA SILVA
            • Rosana Cristina Zanelatto Santos
            • Wellington Furtado Ramos
            Resumo Este trabalho analisa Herland – A Terra das Mulheres, obra utópica de Charlotte
            Perkins Gilman, sob a ótica do estabelecimento de papéis sociais baseados numa
            natureza feminina. Utilizada no decorrer da história como fundamentação para um
            sistema social que exclui as mulheres da participação política e da igualdade de direitos,
            a natureza dos sexos – em especial a feminina – foi encontrada em discursos filosóficos,
            religiosos, médicos, literários e políticos como justificativa da suposta inferioridade
            feminina. Embora diversos filósofos, legisladores e demais estudiosos lutassem pela
            maior igualdade entre os sexos, o essencialismo, ligado à natureza feminina e às funções
            biológicas da mulher, organizou a sociedade e os papéis sociais de acordo com uma
            hierarquia arbitrária. A partir disso, o presente trabalho analisa a noção de natureza das
            mulheres para então adentrar na utopia estritamente feminina proposta por Gilman em
            Herland, publicada inicialmente em 1915 em folhetins e em 1979 sob a forma de livro.
            Para tal, iniciamos a pesquisa estabelecendo a concepção de natureza feminina, em
            especial nos séculos XVIII e XIX, utilizando para isso escritos de filósofos que tanto se
            mostraram contrários quanto a favor da igualdade entre os sexos. A explicação da
            natureza feminina termina com a formulação da própria Gilman acerca da cultura
            androcêntrica, já no início do século XX. Após o exposto, a pesquisa se debruça sobre a
            análise do livro que serve como objeto principal de pesquisa, esmiuçando como se
            estabelecem conceitos como a feminilidade, a maternidade, a educação, a tradição e os
            papéis sociais em uma sociedade exclusivamente feminina. Por fim, discute-se a
            questão do ponto de vista masculino e a linguagem androcêntrica utilizada pelo narrador
            do romance, em sua tentativa de descrever uma sociedade com mulheres, tão diferente
            daquelas do Ocidente.
            Download
            REVISITANDO HERLAND: A NATUREZA FEMININA E PAPÉIS SOCIAIS DE GÊNERO SEGUNDO CHARLOTTE PERKINS GILMAN
            Curso Mestrado em Estudos de Linguagens
            Tipo Dissertação
            Data 22/02/2024
            Área LITERATURA COMPARADA
            Orientador(es)
              Coorientador(es)
              Orientando(s)
                Banca
                • Carolina Barbosa Lima e Santos
                • Rosana Cristina Zanelatto Santos
                • Wellington Furtado Ramos
                Resumo Este trabalho analisa Herland – A Terra das Mulheres, obra utópica de Charlotte
                Perkins Gilman, sob a ótica do estabelecimento de papéis sociais baseados numa
                natureza feminina. Utilizada no decorrer da história como fundamentação para um
                sistema social que exclui as mulheres da participação política e da igualdade de direitos,
                a natureza dos sexos – em especial a feminina – foi encontrada em discursos filosóficos,
                religiosos, médicos, literários e políticos como justificativa da suposta inferioridade
                feminina. Embora diversos filósofos, legisladores e demais estudiosos lutassem pela
                maior igualdade entre os sexos, o essencialismo, ligado à natureza feminina e às funções
                biológicas da mulher, organizou a sociedade e os papéis sociais de acordo com uma
                hierarquia arbitrária. A partir disso, o presente trabalho analisa a noção de natureza das
                mulheres para então adentrar na utopia estritamente feminina proposta por Gilman em
                Herland, publicada inicialmente em 1915 em folhetins e em 1979 sob a forma de livro.
                Para tal, iniciamos a pesquisa estabelecendo a concepção de natureza feminina, em
                especial nos séculos XVIII e XIX, utilizando para isso escritos de filósofos que tanto se
                mostraram contrários quanto a favor da igualdade entre os sexos. A explicação da
                natureza feminina termina com a formulação da própria Gilman acerca da cultura
                androcêntrica, já no início do século XX. Após o exposto, a pesquisa se debruça sobre a
                análise do livro que serve como objeto principal de pesquisa, esmiuçando como se
                estabelecem conceitos como a feminilidade, a maternidade, a educação, a tradição e os
                papéis sociais em uma sociedade exclusivamente feminina. Por fim, discute-se a
                questão do ponto de vista masculino e a linguagem androcêntrica utilizada pelo narrador
                do romance, em sua tentativa de descrever uma sociedade com mulheres, tão diferente
                daquelas do Ocidente.
                Download
                  Resistência de mulheres à violência clínica: análise de práticas discursivas na #ondedói
                  Curso Mestrado em Estudos de Linguagens
                  Tipo Dissertação
                  Data 29/01/2024
                  Área LETRAS
                  Orientador(es)
                  • Elaine de Moraes Santos
                  Coorientador(es)
                    Orientando(s)
                    • Amanda da Silva Duarte
                    Banca
                    • Elaine de Moraes Santos
                    • Fabiana Pocas Biondo Araujo
                    • Jefferson Gustavo dos Santos Campos
                    • Kátia Alexsandra dos Santos
                    • Rosivaldo Gomes
                    Resumo No interior das lutas pelo fim de abusos contra mulheres, o movimento crescente de
                    denúncias de casos de violência médica tem se destacado nas redes sociais e, de
                    maneira mais ampla, no espaço digital. A partir da emergência desses enunciados e
                    com foco na interação médica(o)-paciente, as questões que perpassam a proposição
                    deste estudo são: como e por que dizibilidades de mulheres sobre abusos – de
                    diferentes ordens – cometidos por profissionais de saúde são possíveis no presente?
                    Tomando-as como ponto de partida, o meu objetivo geral é problematizar relações de
                    resistências (Foucault, 1995) de mulheres na posição de paciente ao poder sanitário,
                    a partir da #Ondedói, em sua circulação no Twitter, em 2019. A escolha se justifica
                    pela singularidade com a qual a hashtag irrompe na história, em seu estatuto de
                    acontecimento (Foucault, 2019). Nos tuítes, para além de um funcionamento
                    caracterizável essencialmente pelo enfrentamento contra esse tipo de violação, vejo
                    linhas de força que atuam pela forma com que relações de poder e resistência se
                    tornam materiais e enredam os dizeres de sujeitas e o poder sanitário. Do propósito
                    maior, portanto, meus objetivos específicos são: a) descrever o acontecimento
                    midiatizado Campanha #Ondedói na imbricação entre discursos e redes sociais; b)
                    historicizar os poderes, saberes e resistências de mulheres e(m) sua relação com o
                    poder sanitário; e c) analisar tuítes regulares exercidos a partir da posição de paciente
                    na #Ondedói. Para tanto, aciono a perspectiva dos Estudos Discursivos
                    Foucaultianos, aliada ao método arqueogenealógico foucaultiano (Araújo, 2004;
                    Neves; Gregolin, 2021). A montagem do corpus se dá a partir do agrupamento das
                    regularidades discursivas (Foucault, 2019) nas séries enunciativas (Foucault, 2019):
                    a) do descrédito; b) da desvalorização; c) da ameaça; e d) da negação. A tese que
                    orienta este estudo é a de que, nos limites entre o físico e a rede digital, as relações
                    de poder que sustentam práticas sanitárias violentas são possibilitadas pela interdição
                    dos dizeres das pacientes. Enquanto resultado, traço um diagnóstico do presente
                    (Foucault, 2014a) sobre o funcionamento de enunciados que dizem de atendimentos
                    de sujeitas empreendidos por profissionais de saúde.
                    Download
                    QUE EXTENSÃO CONSTRUÍMOS: (TRANS)FORMADORA OU MERCADOLÓGICA?
                    Curso Mestrado em Estudos de Linguagens
                    Tipo Dissertação
                    Data 27/11/2023
                    Área LETRAS
                    Orientador(es)
                    • Daniela Sayuri Kawamoto Kanashiro
                    Coorientador(es)
                      Orientando(s)
                      • Letícia de Leon Carriconde
                      Banca
                      • Daniela Sayuri Kawamoto Kanashiro
                      • Geraldo Vicente Martins
                      • Júlia Batista Alves
                      • Patricia Graciela da Rocha
                      • Rozana Aparecida Lopes Messias
                      Resumo Esta pesquisa de mestrado objetiva realizar um diagnóstico crítico, identificando e analisando
                      como se organizaram as atividades extensionistas nos cursos de licenciatura em Letras
                      (presencial) de ambas as habilitações, Português e Espanhol, Português e Inglês, na
                      Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), depois da Resolução nº 7 do CNE, que
                      prescreve a curricularização da extensão, até fevereiro de 2022. Tal objetivo geral advém da
                      seguinte pergunta de pesquisa: qual o perfil extensionista do curso de Letras (presencial) da
                      Faalc/UFMS, Cidade Universitária - Campo Grande? A discussão proposta insere-se no campo
                      de estudos da Linguística Aplicada indisciplinar e transgressiva (MOITA-LOPES, 2006;
                      PENNYCOOK,2006), por meio da análise dos instrumentos políticos e epistemológicos que
                      concebem e caracterizam a extensão no Brasil, na UFMS e no curso de Letras. Trata-se de uma
                      pesquisa qualitativa interpretativista (GIL, 2008), progredida de uma análise documental
                      (CELLARD, 2012) comparativa e histórica (PRODANOV; FREITAS, 2013). O trabalho
                      justifica-se pela importância de entender, analisar e refletir sobre a extensão, uma vez que esta,
                      juntamente com a pesquisa e o ensino compõem, de maneira indissociável, a base sobre a qual
                      se assenta a universidade. Outro argumento que explica a motivação da pesquisadora pela
                      temática é sua relação pessoal com as atividades extensionistas, principalmente depois de
                      perceber seu diferencial como aquelas que devem estabelecer um diálogo com a comunidade
                      externa à academia. O percurso teórico desenvolveu-se a partir das noções de comunicação e
                      diálogo (FREIRE, 2022; MATURANA, 1999; VERONELLI, 2019, 2021) e da racionalidade
                      neoliberal e sua relação com a educação (APPLE, 2001; CATINI, 2021, 2020b; DARDOT;
                      LAVAL, 2016), dentre outros. Os resultados demonstram que, apesar da base que define e
                      caracteriza a extensão no curso de Letras seguir o prescrito pelos documentos que a concebem
                      com um processo interdisciplinar, dialógico e transformador, a racionalidade neoliberal ronda
                      seu desenvolvimento, uma vez que a UFMS tem se voltado para essa perspectiva, de acordo
                      com os documentos institucionais analisados, principalmente no Relatório de gestão 2022
                      (UFMS, 2023) e no Plano de Desenvolvimento de 2020-2024 (UFMS, 2021e). Além disso,
                      observou-se a problemática falta de definição oficial daquilo que o curso analisado entende
                      como extensão pois, já que a universidade outorga certa liberdade de planejamento e construção
                      por parte das unidades e dos cursos, é necessário planejar desde diretrizes claras, que ajudem
                      os docentes proponentes das ações de extensão a delimitar tanto o público alvo quanto o
                      objetivo da cada atividade, a fim de ampliar a interação dialógica com a comunidade externa e
                      o alcance da extensão. A partir da análise de três ações de extensão originadas no curso de
                      Letras e selecionadas porque delas participou a pesquisadora, a saber, um programa, um projeto
                      e um evento, assevero a relevância da construção de memorabilias das atividades extensionistas
                      por meio da criação de perfis em redes sociais de grande alcance, como o Instagram,
                      objetivando um repositório de memórias criadas por todos os participantes dessas ações
                      (externos e internos), bem como espaço de interação com a comunidade externa e de divulgação
                      da ciência que se produz na academia. Conclui-se que o perfil extensionista do curso de Letras
                      da Faalc está diretamente associado à postura adotada pelos docentes na proposição das
                      atividades, principalmente no que tange ao objetivo e à caracterização do público alvo de cada
                      ação, bem como pelos discentes, no engajamento e agência também nestas, pois ainda que
                      devam seguir as diretrizes institucionais nessa construção, a UFMS deixa a cargo de cada curso
                      a forma de corporificar essa estruturação. Conforme análise, a extensão no curso de Letras tende
                      a ser (trans)formadora, ainda que alguns documentos institucionais já apontem indícios de
                      perspectivas mercadológicas.
                      Download
                      "Autismo" e "autista": um estudo léxico-semântico
                      Curso Mestrado em Estudos de Linguagens
                      Tipo Dissertação
                      Data 27/11/2023
                      Área LETRAS
                      Orientador(es)
                      • Bruno Oliveira Maroneze
                      Coorientador(es)
                        Orientando(s)
                        • Aneilza de Carvalho Ferreira
                        Banca
                        • Bruno Oliveira Maroneze
                        • Elizabete Aparecida Marques
                        • Mariângela de Araújo
                        • Renato Rodrigues Pereira
                        • Rosana Budny
                        Resumo O Transtorno do Espectro Autista (TEA) ou autismo, como é conhecido, é considerado um dos distúrbios do neurodesenvolvimento mais estudado e debatido na atualidade. De causas ainda desconhecidas, tem levado pesquisadores das mais diversas áreas do conhecimento a uma busca incessante de informações. Estudos sobre o TEA em campos do conhecimento como a medicina, a psicologia, a fisioterapia, a fonoaudiologia, a terapia ocupacional e a educação, por exemplo, começam a surgir como promissores e profícuos. No entanto, observou-se que, na área da linguística são ainda poucos – e de certa forma recentes – os estudiosos que se destinam a pesquisas sobre a temática. Diante dessa realidade, vemos a importância de se pesquisar a respeito do autismo. Nesse contexto, a presente pesquisa de mestrado teve como objetivo principal investigar os termos “autismo” e “autista”, realizando um estudo léxico-semântico, contemplando os objetivos específicos de: 1. situar, diacronicamente, o surgimento desses termos na língua portuguesa; 2. historicizar os seus registros lexicográficos; e 3. descrever os sentidos pejorativos atribuídos a esses termos, discutindo o seu uso inadequado. Ao longo do percurso, pautamos nossas considerações no arcabouço teórico da Lexicologia e da Lexicografia, no que diz respeito ao léxico e à obra lexicográfica; nos conceitos da Terminologia, para elucidar sobre o termo e a vulgarização de termos; servimo-nos também dos estudos sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA), para uma abordagem quanto a sua etiologia, características, diagnóstico, estimativa, entre outros. Buscamos responder os seguintes questionamentos: i) Desde quando se tem o registro de autismo/autista? ii) Qual a origem dos termos? iii) Será que os dicionários editados ou reeditados posteriormente às ocorrências de fatos legais de relação direta com o autismo, em nada mudaram quanto à definição desses termos? iv) Quais palavras são comumente usadas para se referir ao autismo/autista? Metodologicamente, adotamos os procedimentos de coleta e análise de dados encontrados em córpus diacrônicos, dicionários de épocas anteriores, e dicionários atuais online e impressos, com vistas a observar as mudanças de significado ao longo do tempo e identificar de que forma essas obras o definem. Por meio de recortes de contextos de pesquisa, de notícias e matérias jornalísticas que circulavam livremente pela internet, fizemos análise para identificar outras denominações para os conceitos de “autismo” e “autista”, observando que outras concepções as embasam, descrevendo os sentidos pejorativos atribuídos a esses termos, bem como seu uso inadequado. Os resultados das análises dos dados obtidos nas obras lexicográficas evidenciaram que o registro dos verbetes “autismo” e “autista” carecem de uma atenção quanto à reformulação/atualização de suas definições. As inadequações que apontamos estão diretamente relacionadas a concepções não mais adequadas, o que evidenciou a dificuldade com que muitas vezes se deparam os familiares e as pessoas com TEA (bem como os consulentes em geral) em encontrar fontes de informações confiáveis a respeito dos conceitos de “autismo” e “autista”. Constatamos também a importância de se adequar as definições desses verbetes a fim de evitar estereótipos e estigmatização, sabendo-se que as lexias “autismo” e “autista” foram, e ainda estão sendo, usadas de maneira desmedida, refletindo os atos discriminatórios para com os autistas. Dessa forma, esperamos que nossas constatações e reflexões contribuam significativamente com estudos futuros relacionados ao TEA à luz da Linguística e das Ciências do Léxico, dando margem à profícuas pesquisas sobre o autismo.

                        Palavras-chave: Lexicologia. Lexicografia. Terminologia. Transtorno do Espectro Autista.
                        Download
                        UM ESTUDO SEMIÓTICO DAS MANIFESTAÇÕES DA RELIGIOSIDADE POPULAR: SINHOZINHO DE BONITO - MS
                        Curso Mestrado em Estudos de Linguagens
                        Tipo Dissertação
                        Data 20/11/2023
                        Área LETRAS
                        Orientador(es)
                        • Sueli Maria Ramos da Silva
                        Coorientador(es)
                          Orientando(s)
                          • Maria do Carmo Souza Drumond
                          Banca
                          • Aline Saddi Chaves
                          • Eluiza Bortolotto Ghizzi
                          • Geraldo Vicente Martins
                          • Rita de Cassia Aparecida Pacheco Limberti
                          • Sueli Maria Ramos da Silva
                          Resumo Resumo
                          Diante da importância turística, popular e cultural representada da figura de Sinhozinho em Bonito, Mato Grosso do Sul, evidenciamos a relevância desta pesquisa, de caráter qualitativo-interpretativista. Temos como objetivo geral, por meio dessa dissertação, a compreensão dos sentidos dos enunciados de religiosidade popular, culturais e turísticos relacionados à figura de Sinhozinho. A fundamentação teórica da semiótica discursiva, segundo a qual alicerçamos nossa pesquisa, se refere aos desenvolvimentos da semiótica dita “standard” ou padrão, dos quais nos utilizamos do percurso gerativo de sentido, como metodologia de análise, além de seus desdobramentos plásticos, por meio da análise dos formantes cromático, eidético e topológico (PITEROFORTE, 2019), assim como do mecanismo das operações tensivas de triagem e mistura de Zilberberg (2004). No que tange à revisão da literatura acerca da nossa proposição, nos fundamentamos em autores que tenham em seu horizonte a análise de objetos turísticos no âmbito da semiótica, tais como Gomes e Nakatani (2019), Melo (2015) e Azevedo e Batistote (2020). Em se tratando de análise de discursos acerca de religião e religiosidade, tomamos, ainda, as contribuições dos estudos do discurso religioso no Brasil, no âmbito da teoria semiótica, principalmente por meio dos trabalhos de Cardoso (2017) e Silva (2018, 2020). Assim embasada, nossa pesquisa realiza a análise de enunciados verbo-visuais e de mecanismos semióticos responsáveis pela sua produção de sentido. Intentamos identificar manifestações linguísticas e culturais associadas às profecias e à figura de Sinhozinho, na medida em que Sinhozinho traçou novas diretrizes para o comportamento das pessoas da região de Bonito, cristalizadas na linguagem, nas práticas devocionais de religiosidade popular e nas práticas turísticas e culturais. Dentre essas manifestações, recortamos como corpora de pesquisa os objetos: a) prática religiosa coletiva espaço sagrado da capela de Sinhozinho com os enunciados do altar da Capela e a cruz de Sinhozinho; prática devocional discursivizada nas oferendas dispostas no interior da capela de Sinhozinho e a Cruz; b) prática religiosa de devoção individual na análise semiótica do enunciado verbal da oração “Estrelinha do Céu” e; c) prática turística presente nas fotografias (tomadas enquanto recurso de memória) do cortejo e da encenação da Serpente de Sinhozinho no Festival de Inverno de Bonito de 2016. No tocante aos temas e figuras recorrentes, quer seja na linguagem verbal, por meio de mensagens e orações, quer seja na correlação entre a linguagem verbal e visual, ao longo da pesquisa, nos foi possível relacionar conexões entre os níveis de geração de sentido e a instância enunciativa. A limitação de trabalhos acadêmicos sobre o tema proposto, sobretudo no que no que diz respeito à semiótica discursiva, acrescentando-se, ainda, a ausência de trabalhos acerca da religiosidade popular, assim como de estudos voltados ao universo turístico, especificamente sobre Sinhozinho, contribuem para a justificativa e necessidade do presente trabalho. Esperamos que a pesquisa, ao mobilizar conceitos semióticos identitários de Sinhozinho, possa instigar novos estudos e pesquisas acerca da temática, bem como contribuir com o Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagem, sobretudo para os estudos do discurso de divulgação religiosa e do universo turístico pautados na semiótica discursiva.
                          Download
                          MEMÓRIA E FORMATO NAS ADAPTAÇÕES PARA TELEVISÃO DE GABRIELA, CRAVO E CANELA: DO ERUDITO AO POPULAR MIDIÁTICO
                          Curso Mestrado em Estudos de Linguagens
                          Tipo Tese
                          Data 16/11/2023
                          Área LETRAS
                          Orientador(es)
                            Coorientador(es)
                            Orientando(s)
                              Banca
                              • Angela Maria Guida
                              • Carlos Alberto Correia
                              • Gabriela Kvacek Betella
                              • Geraldo Vicente Martins
                              • Josette Maria Alves de Souza Monzani
                              • Marcia Gomes Marques
                              Resumo Os produtos culturais contemporâneos são marcados pela presença constante de retomadas de
                              textos pertencentes a contextos sociais pretéritos e a mídias que narram suas histórias em
                              diferentes linguagens. Nesta pesquisa, discute-se o reaproveitamento de obras literárias para o
                              audiovisual televisivo, e tem como objetivo analisar a relação entre memória e atualização na
                              adaptação, em seus aspectos temáticos e genéricos, observando os elementos intertextuais e
                              intermidiáticos presentes na transposição. Com essa finalidade, faz-se um estudo de caso das
                              adaptações do romance Gabriela, cravo e canela, (1958), de Jorge Amado, para a
                              telenovela Gabriela (1975), de Walter George Durst, e a telenovela homônima (2012), de Walcyr
                              Carrasco. Analisa-se, primeiramente, a transposição da obra amadiana para os produtos
                              televisivos, discutindo adaptação, mediação e memória, com foco nas lógicas de produção no
                              formato industrial e em novos suportes, que implicam em modificações no texto literário,
                              atravessado pela memória - como reminiscências e vivências. Em segundo lugar, discute-se a
                              diferença de autoria entre as duas obras, e examinam-se as mudanças advindas das adequações às
                              convenções do gênero, posto que as telenovelas possuem matrizes melodramáticas e raízes no
                              folhetim. Por fim, empreende-se uma análise das categorias da narrativa tempo e espaço,
                              mapeando como as personagens femininas usam as espacialidades na perspectiva do vivido, do
                              habitado e do praticado. Entre as conclusões alcançadas, destacam-se os seguintes pontos:
                              observa-se que, na reminiscência dos temas da obra literária amadiana, o contexto sociocultural
                              influencia em atualizações na composição das telenovelas como nas supressões de personagens,
                              nos acréscimos de temas e outras operações de composição, o formato industrial traz mudanças
                              no arco da narrativa e a antecipação da história de amor das personagens protagonistas, o efeito
                              de encarnação e o tratamento estético diferenciado entre as obras apontam para a relevância da
                              materialidade das mídias. Constata-se que as atualizações genéricas, presentes na concepção da
                              narrativa televisiva, retomam aspectos do folhetim e temas do melodrama, que evidenciam a
                              presença dessas matrizes culturais nas obras massivas. Por fim, verifica-se que as telenovelas não
                              ampliam os espaços de atuação do feminino nos produtos culturais.
                              Download
                                JARID ARRAES E SEUS CORDÉIS FEMINISTAS: O SOAR DE VOZES NEGRAS SILENCIADAS
                                Curso Mestrado em Estudos de Linguagens
                                Tipo Dissertação
                                Data 29/09/2023
                                Área LETRAS
                                Orientador(es)
                                • Wellington Furtado Ramos
                                Coorientador(es)
                                  Orientando(s)
                                  • Lígia Chaves Ramos dos Santos
                                  Banca
                                  • Alessandra Corrêa de Souza
                                  • Andre Rezende Benatti
                                  • Carolina Barbosa Lima e Santos
                                  • Wellington Furtado Ramos
                                  Resumo
                                  Download
                                    GLOSSÁRIO TERMINOLÓGICO DA ÁREA DE CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO COMPARADA
                                    Curso Mestrado em Estudos de Linguagens
                                    Tipo Dissertação
                                    Data 29/09/2023
                                    Área LETRAS
                                    Orientador(es)
                                    • Bruno Oliveira Maroneze
                                    Coorientador(es)
                                    • Harryson Júnio Lessa Gonçalves
                                    Orientando(s)
                                    • Ana Greice Moreira Penha
                                    Banca
                                    • Bruno Oliveira Maroneze
                                    • Deise Aparecida Peralta
                                    • Elizabete Aparecida Marques
                                    • Renato Rodrigues Pereira
                                    • Rosana Budny
                                    Resumo Esta pesquisa teve como objetivo geral elaborar a versão “piloto” de um glossário terminológico para consulta dos pesquisadores da área, colaborando assim com a área de estudos comparados de currículo. O trabalho surgiu de uma solicitação dos próprios especialistas na área de currículo, que sentiram dificuldades ao lidar com as diferentes realidades e contextos educacionais dos três países pesquisados, sendo eles: Bolívia, Brasil e México. Os países mencionados foram selecionados pelos pesquisadores da área por terem em comum o fato de recentemente terem passado por reformas curriculares na educação secundária, diferenciando-os dos demais países da América Latina na atualidade. Os objetivos específicos foram: (i) realizar uma breve descrição da área das teorias do currículo; (ii) compilar um córpus contendo textos de legislação dos três países analisados; (iii) identificar os termos comuns aos três países e os termos que não apresentam equivalentes; (iv) elaborar uma proposta de verbete do glossário com a exemplificação de alguns dos termos identificados. O córpus da pesquisa foi baseado em documentos referentes à legislação brasileira, juntamente com textos em espanhol, formados especialmente pelos documentos referentes à legislação educacional do México e da Bolívia. Identificamos que alguns termos apresentam equivalentes em espanhol e português, enquanto outros não apresentam, devido às diferenças das legislações dos três países. Também identificamos variação terminológica em espanhol, decorrente especialmente das diferenças entre os sistemas educacionais do México e da Bolívia. Por fim, elaboramos a versão “piloto” do glossário com verbetes tanto em português com equivalentes em espanhol, como em espanhol com equivalentes em português.
                                    Palavras-Chaves: Educação Comparada. Currículo. Glossário. Terminologia.
                                    Download
                                    A CONSTRUÇÃO DA MEMÓRIA PELO VIÉS DA VIOLÊNCIA EM NOITE DENTRO DA NOITE, DE JOCA REINERS TERRON
                                    Curso Mestrado em Estudos de Linguagens
                                    Tipo Dissertação
                                    Data 29/09/2023
                                    Área LETRAS
                                    Orientador(es)
                                    • Andre Rezende Benatti
                                    Coorientador(es)
                                      Orientando(s)
                                      • Rute Pereira da Silva
                                      Banca
                                      • Andre Rezende Benatti
                                      • Livia Santos de Souza
                                      • Raquel da Silva Ortega
                                      • Rosana Cristina Zanelatto Santos
                                      • Wellington Furtado Ramos
                                      Resumo Este estudo tem por objetivo analisar a construção da memória pelo viés da violência no romance Noite dentro da noite (2017), do escritor, poeta, prosador, dramaturgo, designer gráfico, resenhista e tradutor, brasileiro contemporâneo, Joca Reiners Terron. Selecionada, dentre tantas outras obras do autor, por suscitar várias inquietações sobre trauma(s) individuais e/ou coletivos produzidos no indivíduo. O romance concebido a partir do décimo segundo capítulo, ‘A rata no labirinto’, nos permite engendrar no universo da memória pelo viés da violência. Nele encontramos uma combinação de memória, política, aventura e mistério. Inicia com o acidente da personagem “você”, em Medianeira, uma cidade do Paraná, contudo, “a maior parte da história” é ambientada “no Mato Grosso e no Chaco Paraguaio” (TERRON, 2017, p. 379), onde o menino cresce em meio à violência de uma sociedade dominada pela Ditadura civil-militar. Todavia, a trama também engendra por outros percursos por meio da ficção, como o resgate dos antepassados da família Reiners e de condenados à violência e à clandestinidade imposta por regimes políticos de exceção. A história de violência do Brasil, no período de 1960 e 1970, é resgatada por Terron, em uma tentativa de preencher as lacunas deixadas, sem respostas durante o “Ano do Grande Branco” – Ano apagado da memória da personagem “você” a partir do acidente -, na memória do “desmemoriado”. Na narrativa, pudemos comprovar, como a memória da(s) personagem(ns) foi construída/reconstruída a partir dos conceitos de violência, pois essa está imbricada na ascensão do homem, enquanto ser humano. Assim, se a literatura é algo inerente ao homem, logo concluímos que a violência se faz presente nela também. A fim de chegarmos a esse propósito, tomamos como base os estudos literários de Massaud Moisés, Osman Lins, Gerard Genette, entre outros, bem como os estudos da memória, com Maurice Halbwachs, Zilá Bernd, além de nos valermos das concepções de Hannah Arendt, Yves Michaud, a respeito da violência, para citar alguns dos teóricos enumerados nesta pesquisa.

                                      Palavras-Chave: Joca Reiners Terron; Autobiografia; Autoritarismo; Memória; Violência; Noite dentro da noite.
                                      Download
                                        Representar, repetir, reelaborar: Calibre 22 e a violência na obra de Rubem Fonseca
                                        Curso Mestrado em Estudos de Linguagens
                                        Tipo Dissertação
                                        Data 28/09/2023
                                        Área LETRAS
                                        Orientador(es)
                                        • Wellington Furtado Ramos
                                        Coorientador(es)
                                          Orientando(s)
                                          • Isabela Boaventura Pimenta Gomide
                                          Banca
                                          • Altamir Botoso
                                          • Andre Rezende Benatti
                                          • Ozíris Borges Filho
                                          • Rosana Cristina Zanelatto Santos
                                          • Wellington Furtado Ramos
                                          Resumo A presente dissertação volta-se à análise da produção de Rubem Fonseca. Especificamente,
                                          sobre os processos de representação, repetição e (re)elaboração por meio de um conto guia:
                                          “Calibre 22”, presente no livro homônimo, publicado em 2017. O estudo faz um percurso de
                                          análise, valendo-se da transposição da técnica psicanalítica freudiana, presente no texto
                                          Recordar, Repetir e Reelaborar, para a análise literária. Para tal, um caminho de apresentação,
                                          de retomada do arcabouço crítico e de algumas pequenas discussões pré-existentes são feitas.
                                          Em seguida, volta-se à compreensão dos modos de representação, a partir do efeito da
                                          verossimilhança, construindo um paralelo entre a realidade, a representação e a recordação.
                                          Tratando a representação como um ato recordativo, um simulacro do trauma. Isso posto, a
                                          análise estrutural do conto “Calibre 22”, em pormenores estéticos auxilia o trilhar caminho para
                                          as repetições tão recorrentes na obra de Fonseca, apontando, por sua vez, as mais recorrentes.
                                          Explicitando como e porque uma produção tão extensa, com mais de cinquenta e cinco anos,
                                          se repete tanto. Então, discute a principal repetição na obra do autor: a violência. Conceituandoa
                                          e abordando-a, como a repetição que é, como sintoma e trauma e, por isso, passível de ser a
                                          razão elaborativa. Por fim, reelabora essa concepção estética de genialidade e elabora uma possível função
                                          da literatura, na perspectiva de Umberto Eco (2001), de nos ensinar a lidar com a vida/morte. Esse percurso é feito com o aporte teórico de autores, como Jaime Ginzburg (2013), Raymond
                                          Williams (2007), Karl Erik Schollhammer (2013), Luiz Costa Lima (1981), dentre tantos
                                          outros, os quais auxiliam a elaborar criticamente a noção de representação literárias da realidade.
                                          Download
                                          Tabus Linguísticos na região Sul do Brasil: um estudo com base em dados geolinguísticos
                                          Curso Mestrado em Estudos de Linguagens
                                          Tipo Dissertação
                                          Data 28/09/2023
                                          Área LETRAS
                                          Orientador(es)
                                          • Aparecida Negri Isquerdo
                                          Coorientador(es)
                                            Orientando(s)
                                            • Kamilla de Lima Vieira
                                            Banca
                                            • Aparecida Negri Isquerdo
                                            • Bruno Oliveira Maroneze
                                            • Renato Rodrigues Pereira
                                            • Silvana Soares Costa Ribeiro
                                            Resumo RESUMO
                                            Este trabalho analisa denominações para “diabo”; “fantasma” e “feitiço” na Região Sul do Brasil,
                                            com base em dados lexicais do Projeto ALiB (Atlas Linguístico do Brasil) fornecidos por falantes
                                            das capitais e do interior dos estados do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul, como
                                            respostas para três perguntas do Questionário Semântico-lexical (QSL) área temática religião e
                                            crenças: 147 – “Deus está no céu e no inferno está...”; 148 – “O que algumas pessoas dizem já terem
                                            visto, à noite, em cemitérios ou em casas, que se diz que é de outro mundo?” e 149 – “O que certas
                                            pessoas fazem para prejudicar alguém e botam, por exemplo, nas encruzilhadas?” (Comitê
                                            Nacional...,2001, p. 33). Para tanto foi consultado o corpus do Projeto ALiB documentado em 44
                                            localidades da Região Sul por meio de inquéritos realizados com 308 informantes, 72 das capitais e
                                            236 das localidades do interior, dos sexos masculino e feminino; duas faixas etárias (18-30 anos e
                                            50-65 anos), com dois níveis de escolaridade nas capitais (Ensino Fundamental incompleto e Ensino
                                            Superior) e Ensino Fundamental nas localidades do interior, nascidos e criados na localidade. O
                                            estudo pauta-se em fundamentos teórico-metodológicas da Dialetologia Pluridimensional, da
                                            Geolinguística (Ferreira; Cardoso, 1994; Cardoso, 2010; Cardoso; Mota, 2003), complementados por
                                            pressupostos teóricos da Etnolinguística (Sapir, 1971; Coseriu, 1978; Casado Velarde, 1991; Gomes-
                                            Dias, 2019), da Antropologia Linguística (Duranti, 2000) e de fundamentos sobre tabus linguísticos
                                            e eufemismo (Guérios, 1979; Ullmann, 1964; Cassirer, 1972; Crespo-Fernandez, 2005). O trabalho
                                            tem como objetivo geral realizar um estudo das unidades lexicais utilizadas por falantes da Região
                                            Sul que evidenciam valores, crenças e a cultura dos falantes do interior e das capitais do Brasil e,
                                            como objetivos específicos, i) identificar, descrever e analisar os itens lexicais que nomeiam
                                            referentes relacionados à área temática da religião e crenças no interior e nas capitais da Região Sul
                                            do Brasil; ii) verificar em que proporção fatores sócio-históricos-culturais das localidades
                                            pesquisadas influenciam na escolha lexical dos falantes; iii) examinar as unidades léxicas catalogadas
                                            dos pontos de vista diatópico, observando as variáveis sociais de escolaridade, idade e sexo, ademais
                                            de aspectos léxico-semântico; iv) analisar as formas lexicais que se configuram como tabus e como
                                            eufêmicas, bem como os diferentes recursos substitutivos da palavra-tabu empregados pelos falantes.
                                            Para a pergunta 147/QSL/ALiB foram documentadas 37 denominações, sendo as mais produtivas
                                            diabo, capeta, demônio, satanás e lúcifer; a pergunta 148/QSL/ALiB, por seu turno, motivou o
                                            registro de 30 denominações, com predominância de assombração, fantasma, visagem, alma penada,
                                            espírito, alma e vulto; a pergunta 149/QSL/ALiB, por sua vez, gerou 27 respostas, sendo mais
                                            frequentes e validadas feitiço, despacho e trabalho. Além da perspectiva diatópica, os dados foram
                                            analisados segundo as variáveis sociais e na perspectiva léxico-semântica. O estudo evidencia
                                            também denominações tabuísticas como satanás, belzebu, demônio e lúcifer; fantasma, espírito,
                                            assombração, visagem, visão e sombra; bruxaria e magia negra. Nessa seara, o estudo atestou
                                            influências do imaginário cristão europeu provindas dos colonizadores e imigrantes que, trazendo
                                            suas culturas e tradições atribuíam a tudo que fosse diferente a figura do “mal”, o que desencadeou,
                                            de certa maneira, preconceitos religiosos enraizados em algumas das denominações documentadas.
                                            Nesse sentido, o trabalho teve como propósito contribuir para o entendimento de aspectos do léxico
                                            que revelam mitos e superstições religiosas, bem como fornecer reflexões com vistas “desmitificar”
                                            denominações dos fenômenos contemplados pelo estudo que povoam o imaginário popular de
                                            falantes sulistas.
                                            Palavras-chave: Léxico. Religião e Crenças. Projeto ALiB. Tabus Linguísticos. Região Sul do
                                            Brasil.
                                            Download
                                            NARRATIVA DE VIDA DE UMA PROFESSORA DE LÍNGUA PORTUGUESA E A BUSCA ATIVA: NOTAS SOBRE O ENSINO REMOTO DE EMERGÊNCIA EM DUAS ESCOLAS DE MATO GROSSO SUL
                                            Curso Mestrado em Estudos de Linguagens
                                            Tipo Dissertação
                                            Data 28/09/2023
                                            Área LETRAS
                                            Orientador(es)
                                            • Patricia Graciela da Rocha
                                            Coorientador(es)
                                              Orientando(s)
                                              • Elaine Nogueira de Souza
                                              Banca
                                              • Daniela Sayuri Kawamoto Kanashiro
                                              • Elaine de Moraes Santos
                                              • LETÍCIA LEMOS GRITTI
                                              • Patricia Graciela da Rocha
                                              • Rodrigo Acosta Pereira
                                              Resumo Entre 2020 e 2021, com a chegada da pandemia do novo coronavírus (COVID-19),
                                              houve aexigência do isolamento social para evitar o alastramento e contaminação da
                                              doença, alterando de forma drástica o cenário global. Na esfera educacional, escolas
                                              foram fechadase educadores se viram obrigados a ministrar suas aulas através das
                                              tecnologias digitais, devido à migração do ensino presencial para um Ensino Remoto
                                              Emergencial. A partir do exposto, a presente dissertação tem o objetivo de narrar as
                                              minhas experiências vividas durante o Ensino Remoto Emergencial por meio da Busca
                                              Ativa enquanto professora em duas escolas públicas na cidade de Coxim – MS entre
                                              os anos de 2020 e 2021, além de refletir sobre os principais problemas encontrados
                                              nesse processo e como minhas experiências no ensino remoto emergencial e na
                                              busca ativa podem influenciar na futura prática de ensino, mesmo após o retorno às
                                              aulas presenciais, além de avaliar o impacto da busca ativa em minha prática e narrar
                                              como a estratégia da busca ativa foi desenvolvida por mim durante o Ensino Remoto
                                              Emergencial. Para isso apresentaremos uma pesquisa narrativa e (auto) biográfica,
                                              por meio da perspectiva qualitativa, feita a partir de encontros com estudantes em suas
                                              casas, mediante visitas feitas por mim, hoje denominadas Busca Ativa. Como
                                              fundamentação teórica Freire (2013), Vasconcelos (2022), Gadotti (2007) dentre
                                              outros. Dentre os resultados desta pesquisa posso destacar as significativas
                                              modificações em meu fazer pedagógico, promovendo, ainda, mudanças na forma
                                              como esses estudantes avaliam e compreendem a si próprios e aos outros, além da
                                              importância do ambiente escolar em suas vidas.
                                              Download
                                              CARTA À RAINHA LOUCA: UMA LEITURA A PARTIR DA CRÍTICA FEMINISTA NA PERSPECTIVA DECOLONIAL
                                              Curso Mestrado em Estudos de Linguagens
                                              Tipo Dissertação
                                              Data 27/09/2023
                                              Área LETRAS
                                              Orientador(es)
                                              • Marta Francisco de Oliveira
                                              Coorientador(es)
                                                Orientando(s)
                                                • Marcia Gomes de Lima
                                                Banca
                                                • Edgar Cezar Nolasco dos Santos
                                                • Geovana Quinalha de Oliveira
                                                • Lilibeth Janneth Zambrano Contreras
                                                • Marta Francisco de Oliveira
                                                • Paula Faustino Sampaio
                                                Resumo Este trabalho se desenvolveu a partir da leitura da obra Carta à Rainha Louca (2019), de Maria Valéria Rezende, escritora brasileira e freira feminista que revisita o Brasil colonial para escrever um romance epistolar, cuja personagem principal é Isabel das Santas Virgens, uma voz feminina que, por meio de cartas, direcionadas à Coroa Portuguesa na figura da rainha Maria I, vai relatar e denunciar as condições impostas aos negros, indígenas e sobretudo às mulheres. Como nosso principal foco recordamos que o silêncio e a subserviência sempre foram a ordem para os corpos femininos, pois em nossa América (Central, do Sul e Latina) e especialmente no Brasil, desde a chegada (ou intrusão) europeia aos dias atuais praticar violência contra esses corpos se tornou uma constante, e impor-se a eles se constituiu como o modo de fazer e estabelecer a colonização. Nesse sentido, esta pesquisa propõe, a partir da obra supracitada, uma leitura crítica das formas de (re)apresentação dos corpos femininos no contexto do Brasil colonial em uma perspectiva dos estudos feministas decoloniais. Para tanto tomou-se como aporte teórico os estudos de Maria Lugones, (2019; 2020), Rita Laura Segato (2021),) Julieta Paredes (2008), Anibal Quijano (2005), entre outros.
                                                Palavras-chave: Carta à rainha louca; Brasil colonial; Colonialidade de gênero; Maria Valéria Rezende; Romance epistolar.
                                                A DESCRIÇÃO DO LÉXICO DAS CORES EM LIBRAS: QUESTÃO DE VARIAÇÕES
                                                Curso Mestrado em Estudos de Linguagens
                                                Tipo Dissertação
                                                Data 27/09/2023
                                                Área LETRAS
                                                Orientador(es)
                                                • Bruno Oliveira Maroneze
                                                Coorientador(es)
                                                  Orientando(s)
                                                  • Aline Aparecida Ferreira Zanini
                                                  Banca
                                                  • Alexandre Melo de Sousa
                                                  • Aparecida Negri Isquerdo
                                                  • Bruno Oliveira Maroneze
                                                  • Elizabete Aparecida Marques
                                                  • Patrícia Tuxi dos Santos
                                                  Resumo A presente pesquisa de mestrado tem como objetivo descrever a variação linguística presente nos sinais das cores primárias (vermelho, azul e amarelo) em Libras quando associadas a uma imagem e quando não associadas (em seu “estado puro”). Para isso, foram entrevistados dez colaboradores das regiões de Campo Grande e Dourados, de ambos os sexos, de idades entre 20 e 41 anos, com diferentes graus de conhecimento de Libras e todos com o ensino médio completo. O método aplicado a esta pesquisa constitui-se como qualitativo. No início, um questionário em Libras foi dividido em duas partes e enviado aos dez colaboradores da pesquisa. A primeira parte foi constituída de perguntas sobre o nome, idade, com quantos anos aprendeu Libras e quem ensinou Libras para essa pessoa, já a segunda etapa foi ordenada por perguntas em relação as cores primárias. Os dados foram coletados através de vídeos recebidos pela plataforma WhatsApp. Após a coleta de dados, todas as respostas foram analisadas e descritas em tabelas no corpo do texto que possuem como principal referencial teórico Quadros e Karnopp (2004). Os dados demonstraram que a variação linguística nas cores sofrem diferentes influências como a idade, grau de escolaridade e fluência em Libras. Já os colaboradores mais novos sinalizaram a cor juntamente com algum objeto ou adjetivo, como “claro” ou “escuro”. Dos quatro colaboradores masculinos que aprenderam Libras na infância, três associaram as cores a algum objeto e apenas um voluntário maior de 30 anos associou a cor a adjetivos. A cor mais associada ao adjetivo foi a cor “amarela’, enquanto as cores mais escuras como “azul” e “vermelho” foram associadas a outras imagens. As mulheres apresenta contato tardio com a Libras: uma associou as cores aos adjetivos “claro” e “escuro” e a outra associou a outras imagens. Ambas completaram o Ensino Médio.
                                                  Download
                                                  ENTRE A REVOLTA E O SILÊNCIO, UMA LAVOURA
                                                  Curso Mestrado em Estudos de Linguagens
                                                  Tipo Dissertação
                                                  Data 26/09/2023
                                                  Área LETRAS
                                                  Orientador(es)
                                                  • Wellington Furtado Ramos
                                                  Coorientador(es)
                                                    Orientando(s)
                                                    • Lenine Ribas Maia
                                                    Banca
                                                    • Ramiro Giroldo
                                                    • Rosana Cristina Zanelatto Santos
                                                    • Rosani úrsula Ketzer Umbach
                                                    • Sabrina Sedlmayer Pinto
                                                    • Wellington Furtado Ramos
                                                    Resumo A presente dissertação busca, primeiramente, perceber o modo como Lavoura Arcaica (1975), de Raduan Nassar, figura no âmbito da Literatura Brasileira Contemporânea, sobretudo porque, embora o referido romance tenha sido escrito nos anos 70, notamos que existe algo que o singulariza e o particulariza dentro dessa produção. Nesse sentido, tais características serão estudadas a partir, precipuamente, das reflexões de Giorgio Agamben. Em um segundo momento, pretendemos entender a dinâmica dos retornos e os elementos relacionados à natureza (animal e vegetal), balizados, em alguma medida, no próprio ato de subversão da parábola do Filho Pródigo, eixo temático da narrativa. Para tanto, entendemos a “revolta” de André, narrador-personagem, como um mecanismo de religação, de acordo com a perspectiva de Michel Maffesoli, com estruturas ancestrais, bastante evidentes no romance, como se demonstrará. Por fim, damos especial atenção à tensão familiar do romance, que dialoga com a proposição freudiana a respeito da horda primeva. Assim, empreendemos uma discussão não no sentido de psicanalisar as personagens do romance, mas de entender a lógica psicanalítica daquela estrutura familiar à luz de textos “culturais” de Freud.
                                                    Download
                                                    Vestígios do meu corpo: Uma investigação sobre a visibilidade da performance na arte contemporânea
                                                    Curso Mestrado em Estudos de Linguagens
                                                    Tipo Dissertação
                                                    Data 26/09/2023
                                                    Área LETRAS
                                                    Orientador(es)
                                                    • Eluiza Bortolotto Ghizzi
                                                    Coorientador(es)
                                                      Orientando(s)
                                                      • Jéssica Lacerda
                                                      Banca
                                                      • Daniela Sayuri Kawamoto Kanashiro
                                                      • DESIRÈE PASCHOAL DE MELO
                                                      • Eluiza Bortolotto Ghizzi
                                                      • Lucia Ferraz Nogueira de Souza Dantas
                                                      • Sueli Maria Ramos da Silva
                                                      Resumo Esta dissertação tem como objetivo investigar os processos de significação ligados à performance na arte contemporânea, na qual o corpo participa como meio, guia de processo e produto artístico, tornando-se um importante eixo das proposições artísticas acerca do corpo presente. Para tal, apoio minha pesquisa em estudos teóricos sobre a performance e sobre o corpo como mediação para experienciar o mundo e produzir significado; esses são tomados como base para um breve estudo sobre um conjunto de obras selecionadas como corpus para análise de sua relação com o corpo-artista. Inicialmente, para os estudos teóricos sobre performance, recorremos aos estudiosos Jorge Glusberg (2013), Renato Cohen (2013), Roselee Goldberg (2015), Regina Melim (2008), Giulio Carlo Argan (1992) e Michael Archer (2012), além de outros teóricos que nos permitiram conduzir uma reflexão acerca do tema. Para refletir sobre os processos de experienciar o mundo por meio do corpo, num primeiro momento, buscamos aporte teórico nos estudos sobre a arte como experiência de John Dewey (1859-1952), na fenomenologia de Charles Sanders Peirce (1939-1914), tal como aparece nos estudos de Ivo Assad Ibri (2015), bem como nos estudos sobre o corpo de Maurice Merleau-Ponty (1908-1961), Christine Greiner (2005) e Henri-Pierre Jeudy (2002). Em um segundo momento, pensamos as potencialidades do corpo como espaço de/para construções de sentido, com o aporte da semiótica geral de Peirce. Por fim, para aprofundarmos na investigação acerca da performance como meio de organização sígnica que opera por intermédio do corpo do artista, para criação de novos significados, selecionamos três artistas: Priscilla Pessoa, Carolee Schneemann e Gillian Wearing, tomando como corpus de análise algumas de suas obras, que nos permitem explorar elementos relevantes acerca da relação com o corpo e com a performance. Embasam as análises o referencial teórico estudado e a semiótica peirciana, além do conceito de visibilidade, introduzido a partir de Lucrécia D’Alessio Ferrara (2002). Os resultados incentivam ampliar a compreensão da relação corpo-artista e performance, além de possibilitar expandir as investigações relacionadas à arte contemporânea e à semiótica.
                                                      Download
                                                      Página 1 de 20 (20 de 382 registros).