Mestrado em Ciência Animal

Atenção! O edital referente ao processo seletivo e arquivos pertinentes ao curso estão disponíveis no site do curso.
Os resultados dos processos seletivos serão divulgados no site do curso.

Trabalhos

Trabalhos Disponíveis

TRABALHO Ações
SILAGEM DE CAPIM-ELEFANTE BRS CAPIAÇU COM ADIÇÃO DE FUBÁ DE MILHO NA ENSILAGEM
Curso Mestrado em Ciência Animal
Tipo Dissertação
Data 27/03/2024
Área ZOOTECNIA
Orientador(es)
  • Alexandre Menezes Dias
Coorientador(es)
    Orientando(s)
    • Indira Daiane Ledesma Santos
    Banca
    • Alexandre Menezes Dias
    • Elson Martins Coelho
    • LUCIANA JUNGES
    Resumo
    Download
      Silagem de ração total na alimentação de equinos
      Curso Mestrado em Ciência Animal
      Tipo Dissertação
      Data 29/02/2024
      Área ZOOTECNIA
      Orientador(es)
      • Gumercindo Loriano Franco
      Coorientador(es)
        Orientando(s)
        • Julia Andressa Boufleur
        Banca
        • Ana Alix Mendes de Almeida Oliveira
        • Fabio Jose Carvalho Faria
        • Gumercindo Loriano Franco
        • Rafael Henrique Prado Silva
        Resumo A ração ou dieta total ensilada, composta por volumosos, concentrados e aditivos, surgiu como uma alternativa inovadora para uso na alimentação de equinos criados em sistema semi-intensivo. Objetivou-se nesse estudo avaliar a substituição da alimentação convencional pela silagem de ração total (Equibalance®) sobre a digestibilidade dos nutrientes, comportamento alimentar, parâmetros sanguíneos e qualidade das fezes de equinos em trabalho leve. O delineamento experimental foi o quadrado latino (4 x 4) composto por quatro tratamentos elaborados de acordo os níveis de inclusão da dieta total (Equibalance®), sendo: convencional (CO) - 1,5% peso corporal (PC) de feno tifton 85 e 0,5% PC de concentrado; (SR10) - 1,5% PC de feno de tifton 85, 0,3% PC de concentrado e 0,2% PC de Equibalance®; (SR30 - 1,5% PC de feno tifton 85 e 0,6% PC de Equibalance® e o SR100 -100% de inclusão de Equibalance®. As dietas foram, balanceadas para atender às exigências de equinos em trabalho leve, conforme o NRC (2007). Foi realizado um ensaio de digestibilidade dos nutrientes por meio de coleta total de fezes. Também foram coletadas amostras de sangue para avaliação das concentrações séricas de Na, K, Cl, lactato e glicose e de amostras fecais para realização de pH. Todas as análises estatísticas foram realizadas utilizando o programa estatístico SAS University (2016), e as médias foram comparadas utilizando teste Tukey a 5% de significância. Para os parâmetros sanguíneos (glicose, lactato e eletrólitos), houve diferença (P < 0,01) entre tratamentos e horário. Não houve diferença (P >0,01) entre os tratamentos CO e SR10, porém diferiram dos tratamentos, SR30 e SR100 que entre si não se diferiram e apresentaram valores mais próximos dos valores basais. Já para os horários, o tempo -5 não se diferiu dos horários 30 e 60, porém foi diferente dos demais. Os tempos 90 a 300 min não se diferiram. Não houve efeito de tratamento para o pH fecal (P > 0,59) e o valor médio foi de 6,38 ± 0,06. Houve efeito significativo (P<0,01) para os coeficientes de digestibilidade dos nutrientes, o tratamento SR100 apresentou maior coeficiente de digestibilidade para o nutrientes MS, PB, EE e MM, comparado aos demais tratamentos. Os tratamentos CO, SR10 e SR30 não diferiram entre si para os valores de digestibilidade de FDN, mas apresentaram valores superiores ao tratamento SR100. Para ingestão dos nutrientes, houve efeito significativo (P<0,01): o tratamentos CO, SR10 e SR30 não diferiram entre si para os nutrientes MS, PB e MM, mas apresentaram valores superiores ao tratamento SR100. Para os valores de ingestão de FDN, os tratamentos CO e SR10 não diferiram (P>0,01) e apresentaram médias superiores aos tratamentos SR30 e SR100 que também diferiram entre si (P<0,01). O uso de silagem de ração total, não alterou negativamente os parâmetros sanguíneos, nem o pH fecal, e melhorou a digestibilidade da maioria dos nutrientes, embora apresentando menor consumo de nutrientes. Portanto, pode ser utilizada em até 100% de inclusão na alimentação dos equinos.
        Características nutricionais da dieta de vacas leiteiras em lactação em rebanhos de Mato Grosso do Sul
        Curso Mestrado em Ciência Animal
        Tipo Dissertação
        Data 28/02/2024
        Área ZOOTECNIA
        Orientador(es)
        • Geraldo Tadeu dos Santos
        Coorientador(es)
        • Camila Soares Cunha
        Orientando(s)
        • Thamara Cristina Bortolotto
        Banca
        • Camila Soares Cunha
        • Ferenc Istvan Bankuti
        • Julio Cesar Damasceno
        Resumo São vários os aspectos que interferem no sucesso da atividade leiteira, e o manejo nutricional é importante para garantir a eficiência produtiva dos rebanhos. No estado de Mato Grosso do Sul a bovinocultura leiteira sofre grande influência de sistemas de produção destinados a produção de carne, sendo um entrave para uma produção de leite rentável. Na sua maioria, os planteis leiteiros do estado são mantidos a pasto e os desafios são muitos, principalmente pela dificuldade no balanceamento de dietas. As pastagens tropicais possuem aspectos de sazonalidade no seu desenvolvimento e é comum a inserção de ingredientes como a soja e o milho na dieta das vacas em lactação, tanto para adequação de nutrientes, como para tentar suprir a baixa quantidade e qualidade da forragem produzida nas fazendas. A composição do leite e a quantidade produzida pela vaca, são influenciados diretamente pela alimentação que recebem no período de lactação. O nitrogênio ureico do leite (NUL) pode indicar se a energia está equilibrada com a proteína da dieta fornecida. Objetivou-se neste estudo levantar informações sobre a nutrição de rebanhos bovinos leiteiros de Mato Grosso do Sul através de questionário estruturado aplicado nos produtores, análises bromatológicas das dietas fornecidas e determinação do NUL dos rebanhos. Os resultados das análises bromatológicas e de leite das dietas nos diferentes rebanhos estudados indicam que houve desbalanceamento dietético pela diferença de proteína bruta entre as pastagens durante o inverno e o verão, se fazendo necessário ajustes nutricionais, além do mais, produtores que realizaram alguma capacitação no último ano numericamente produziram mais leite que produtores que não se capacitaram.
        Exploração da distribuição de gordura intramuscular no músculo longissimus e sua associação com a mesma medida predita por ultrasssonografia
        Curso Mestrado em Ciência Animal
        Tipo Dissertação
        Data 28/02/2024
        Área ZOOTECNIA
        Orientador(es)
        • Marina de Nadai Bonin Gomes
        Coorientador(es)
        • Luis Carlos Vinhas Itavo
        Orientando(s)
        • Luana de Deco Marçal Cruz
        Banca
        • Lucy Mery Antonia Surita
        • Marina de Nadai Bonin Gomes
        • Melissa Amin
        Resumo A pesquisa foi conduzida com o objetivo de avaliar o percentual de gordura intramuscular em diferentes pontos do músculo longissimus de bovinos da raça Nelore. Foram utilizados 40 bovinos Nelore, machos, inteiros, com idade média de 18 a 24 meses. A gordura intramuscular foi avaliada no longissimus, entre a 11ª e 13ª costelas, utilizando diferentes técnicas, sendo in vivo pela ultrassonografia (US), e post mortem pela avaliação visual (AV), extrato etéreo (EE) e escore visual de marmoreio (USDA). Para cada uma das avaliações, a área do músculo foi dividida em seis quadrantes, sendo dois proximais (P1 e P2), dois intermediários (I1 e I2) e dois distais (D1 e D2). Os dados foram avaliados utilizando procedimento de correlação de Pearson e comparação de médias, utilizando o teste de Tukey ao nível de 5% de significância. Foi realizado também o método de Componentes Principais (PCA) e Regressão de Quadrados Mínimos Parciais (PLSR), utilizando o software Unscrabler®. Observou-se diferenças significativas (P<0.05) em todas as análises de ultrassonografia com extrato etéreo e extrato etéreo com avaliação visual. A análise de componentes principais dos dados dos quadrantes de diferentes sítios anatômicos (11ª_12ª e 12ª_13ª) para a característica de EE, explicou 91% da variação total. As regressões dos valores de EE obtidos em diferentes camadas para estimativa do valor total de EE da amostra, observou valor de R2 superior a 0,99, na calibração. As análises de PCA todas as técnicas utilizadas para a predição dos valores de EE nas diferentes camadas (P, I e D), entre a 11ª a 13ª costelas, as medidas por US foram as que mais se relacionaram aos valores de EE, obtendo 66% na variação dessa característica. Os valores de porcentagem de gordura intramuscular obtidos nas camadas do músculo longissimus entre a 11ª, 12ª e 13ª costelas como preditores da porcentagem de EE total no músculo, obteve coeficientes com maior peso nas equações de regressão, obtidas pelo método de PLSR foram aqueles obtidos a partir de medidas de US tomadas nas regiões intermediária e distal, tanto entre a 11ªe 12ª quanto entre a 12ª e 13ª costelas.
        ADITIVO AROMATIZANTE EM SUPLEMENTO MINERAL NA RECRIA DE BOVINOS DE CORTE MANTIDOS EM PASTAGEM
        Curso Mestrado em Ciência Animal
        Tipo Dissertação
        Data 28/02/2024
        Área ZOOTECNIA
        Orientador(es)
        • Gumercindo Loriano Franco
        Coorientador(es)
          Orientando(s)
          • Thainá Arruda de Carvalho
          Banca
          • Diego Barcelos Galvani
          • Gumercindo Loriano Franco
          • Luiz Orcirio Fialho de Oliveira
          Resumo Objetivou-se avaliar duas concentrações de aromatizante no suplemento mineral, sobre o consumo do suplemento, comportamento de cocho e desempenho de bovinos de corte mantidos em pastagem. Foram realizados quatro experimentos, com duas concentração de NaCl na formulação (43% e 20%). Na concentração de 43% de NaCl na formulação do suplemento mineral (SM; 161 g de Na/kg), foram realizados os experimentos 1 e 2. Sendo, experimento 1: SM com aromatizante na dose de 750 g/tonelada (T750) versus SM sem aromatizante (Controle). Experimento 2: SM com aromatizante na dose de 500 g/tonelada (T500) versus SM sem aromatizante (Controle). Nos experimentos 3 e 4, repetiu-se os tratamentos dos experimentos 1 e 2 (respectivamente), mas com a inclusão de 20% de NaCl (74 de Na/kg de SM). Utilizou-se 80 garrotes Nelore (11 ± 2,5 meses), divididos em quatro lotes de 20 animais cada, alocados em pasto de Brachiaria brizantha cv. Marandu. O comportamento foi monitorado por sistema de Identificação por Rádio Frequência (RFID). Utilizou-se o delineamento inteiramente casualizado, sendo as médias comparadas pelo Teste PDIFF a 5% de significância. No experimento 1 e 2, não houve diferenças no consumo de suplemento entre os tratamentos. No experimento 1, os animais do lote T750 apesentaram mais visitas ao cocho de SM por semana em relação ao Controle (P = 0,009; 13,3 e 7,5 visitas/animal/semana, respectivamente). No experimento 2, o T500 apresentou maior GMD em relação ao Controle (P = 0,040; 0,36 e 0,28 kg/animal/dia, respectivamente). No experimento 3 não houve diferença no consumo, e no 4 houve maior consumo para o T500 x Controle (P = 0,006; 81,2 e 62,5 g/animal/dia, respectivamente). No experimento 3, o número de visitas ao cocho foi maior no T750 x Controle (P < 0,001; 24,4 e 4,9 visitas/animal/semana, respectivamente) e também no experimento 4, T500 x Controle (P < 0,001; 27,1 e 8,1 visitas/animal/semana, respectivamente). Foi observado maior GMD no experimento 3, T750 em relação ao Controle (P = 0,006; 0,38 e 0,31 kg/animal/dia, respectivamente). O uso de aromatizantes melhorou o comportamento de cocho, atraindo mais animais ao cocho de suplemento durante a semana. Com a redução do sódio observou-se efeito positivo do aromatizante no aumento do consumo de suplemento. O aromatizante favoreceu melhor desempenho dos animais quando houve limitação da forragem.
          DINÂMICA DAS PERDAS DE SÓDIO EM SUPLEMENTOS MINERAIS PARA BOVINOS NELORE EM CRESCIMENTO
          Curso Mestrado em Ciência Animal
          Tipo Dissertação
          Data 27/02/2024
          Área ZOOTECNIA
          Orientador(es)
          • Luis Carlos Vinhas Itavo
          Coorientador(es)
          • Rodrigo da Costa Gomes
          Orientando(s)
          • Wallyson Amaral de Almeida
          Banca
          • Luis Carlos Vinhas Itavo
          • Marcio de Nadai Bonin
          • Rodrigo da Costa Gomes
          Resumo A mistura mineral está sujeita a lixiviação e perdas quando exposta ao ambiente, na composição do suplemento mineral, o sódio é o elemento que possui a capacidade de estimular e limitar o consumo da mistura mineral. Além disso, está entre os elementos mais susceptível a perdas pelas chuvas, em função da sua capacidade de solubilização elevada. Com isso se mostra a necessidade de entender a dinâmica do sódio no suplemento mineral exposto ao ambiente. Foram realizados 7 experimentos com a finalidade de analisar a dinâmica das perdas de sódio em suplementos minerais exposto ao ambiente. O primeiro experimento teve o objetivo de quantificar o sódio que se perde para o ambiente, através da mensuração do elemento na parte lixiviada do cocho. Os experimentos 3 e 4 foram realizados com diferentes níveis de sódio na mistura mineral (35, 70, 105 e 140 g de sódio por kg de suplemento mineral) com o intuito de identificar se afetaria o consumo de suplemento através da concentração fornecida. Nos demais experimentos (2, 5, 6 e 7) foram utilizados os dados de precipitação e análises do teor de sódio na composição das sobras do suplemento para criação de uma equação entre as perdas de sódio do suplemento mineral em relação a precipitação (milímetros ou dias de chuvas). Foi estimada a exigência de sódio dos animais através do sistema de alimentação do NRC e o BR-CORTE. Adotou-se o uso da metodologia do cocho de exclusão para ajustar os valores de sódio no suplemento mineral exposto ao ambiente através da correção das perdas quantificadas. Com isso, foi criado um nível mínimo de teor de sódio, chamado de nível crítico de sódio em g por kg de suplemento mineral, através da estimativa das exigências dos animais. Foi identificado que a relação entre precipitação e dias de chuva em função das perdas de sódio na mistura mineral é considerada fraca (R² = 0,1393 e 0,2203 respectivamente). O sódio foi o segundo elemento que mais sofreu lixiviação da mistura mineral exposta ao ambiente, 28% da massa lixiviada é composta por cloreto de sódio. Com isso, após quantificar a porção de sódio perdido para o ambiente, obtido através dos dados dos demais experimentos, foi criado um coeficiente de correção das perdas de suplemento mineral quando exposto ao ambiente. Essas perdas foram estimadas em 25,5% de acordo com a metodologia do cocho de exclusão. O valor de nível crítico ajustado para as perdas no ambiente foi estimado em 87,3 g de sódio por kg de suplemento mineral, sendo o limite mínimo para atender as exigências dos animais suplementados a pasto. Assim, no experimento 3 e 4 observou-se que nos tratamentos 35 e 70 g de sódio por kg de suplemento mineral não atenderam as exigências dos animais, porém não se teve diferença estatística para desempenho, porém houve diferença para consumo de sódio, onde se teve o maior consumo no tratamento com menor nível de sódio por kg de suplemento mineral. Teve-se um total de 373 observações analisadas e 27,5 % das observações se encontraram com valor de sódio obtido nas sobras da mistura mineral abaixo do nível crítico. O teor de sódio interfere no consumo de suplemento mineral e a exposição da massa suplementar ao ambiente está sujeita a perdas por lixiviação levando a um desequilíbrio da concentração dos elementos, podendo não atender as exigências dos animais e provocando a ingestão de minerais em proporções desbalanceadas.
          NÍVEIS DE FDN EM DIETAS DE TOURINHOS NELORE TERMINADOS EM CONFINAMENTO
          Curso Mestrado em Ciência Animal
          Tipo Dissertação
          Data 26/02/2024
          Área ZOOTECNIA
          Orientador(es)
          • Luis Carlos Vinhas Itavo
          Coorientador(es)
            Orientando(s)
            • Caroline Ferreira Medeiros
            Banca
            • Alexandre Menezes Dias
            • Luis Carlos Vinhas Itavo
            • Vanessa Zirondi Longhini
            Resumo MEDEIROS, C.F. Níveis de fibra insolúvel em detergente neutro nas dietas de tourinhos nelore terminados em confinamento. 41f. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, MS, 2024.

            O experimento foi realizado com o objetivo de avaliar o efeito de níveis crescente de fibra insolúvel em detergente neutro (FDN) na dieta de tourinhos terminados em confinamento sobre o desempenho animal e custo de produção. Foram distribuídos 20 bovinos Nelore machos não-castrados com 30 meses de idade em delineamento inteiramente casualizado e baias individuais em quatro tratamentos com 25%, 30%, 35% e 40% de teor de FDN na matéria seca (MS) Durante o período de confinamento foram avaliadas as variáveis de peso vivo final (PVF), ganho médio diário (GMD), consumo de matéria seca (CMS), conversão alimentar (CA). Após 85 dias de confinamento, os animais foram transportados após jejum de 12 horas e abatidos em frigorífico comercial, onde foi determinado o peso da carcaça quente (PCQ) e o rendimento de carcaça quente (RCQ). Observou efeito do nível de FDN sobre os resultados de CMS, as máximas estimadas entre 28 e 32% de FDN. O desempenho produtivo sofreu efeito do nível de FDN. As variáveis PV final, ganho de peso total (GPT), ganho médio diário (GMD), peso de carcaça quente (PCQ) e rendimento de carcaça quente (RCQ) apresentaram comportamento quadrático (P<0,05). Os pontos de máxima para PV final, PCQ e GMD foram, respectivamente 29,9%FDN, 29,6%FDN e 25%FDN. Os parâmetros econômicos: receita, despesa total e margem bruta apresentaram comportamento quadrático em função do teor de FDN na dieta. O custo com concentrado apresentou comportamento linear decrescente, já os custos com silagem apresentaram comportamento linear crescente, da mesma forma os custos do ganho diário e o custo equivalente carcaça (P<0,05). O ponto de máxima da estimativa de receita (R$/animal) foi 29,9%FDN, para a despesa total com alimentação (R$/animal) foi 26,1%FDN e 32,5%FDN para a margem bruta (R$/animal). Recomenda-se 25 a 32,5% de FDN para obtenção de máximos desempenhos produtivo e econômico na terminação de tourinhos Nelore em confinamento.

            Palavras-chaves: confinamento, viabilidade econômica, desempenho
            EFEITO DO ENRIQUECIMENTO SONORO SOBRE RESPOSTAS FACIAIS E FISIOLÓGICAS DE CAVALOS CASTRADOS E ÉGUAS DA RAÇA PANTANEIRA SOB ESTRESSE DE CURTA DURAÇÃO
            Curso Mestrado em Ciência Animal
            Tipo Dissertação
            Data 19/02/2024
            Área ZOOTECNIA
            Orientador(es)
            • Marina de Nadai Bonin Gomes
            Coorientador(es)
            • Viviane Maria Oliveira dos Santos
            Orientando(s)
            • Vanessa Cristini Sebastião da Fé
            Banca
            • Neila Lidiany Ribeiro
            • Ulysses Fernandes Ervilha
            • Viviane Maria Oliveira dos Santos
            Resumo A pesquisa foi realizada com objetivo de avaliar estímulos auditivos para equinos durante isolamento social e restrição de movimentos, e a capacidade destes em promover a redução de respostas de estresse. No capítulo 1, têm-se a revisão de literatura, onde inicialmente foi abordado os desafios enfrentados no ambiente doméstico, assim como os indicadores não invasivos de estresse, e posteriormente, sobre o enriquecimento sonoro no cenário da produção animal como forma de promover qualidade de vida e zelar pelo bem-estar, principalmente daqueles que são criados em sistema intensivo. A percepção e a capacidade auditiva nos equinos foram relatadas podendo desta maneira verificar o potencial efeito da música para a espécie. O capítulo 2 é o artigo em que foram avaliados equinos da raça Pantaneira (n=8), composto pelo experimento I (4 fêmeas) e experimento II (4 machos castrados) em delineamento quadrado latino 4x4 com tratamento experimental – gênero musical (clássica (9ª sinfonia de Beethoven), country (Rablim in my shoes de Hank Williams Jr) e new age (Horsing around de Janet Marlow)) e controle (sem música). Cada indivíduo foi levado individualmente a um tronco de contenção, e posteriormente, administrado o tratamento experimental por cerca de 24 minutos. Parâmetros fisiológicos (frequência cardíaca, variabilidade da frequência cardíaca, frequência respiratória, temperatura ocular e temperatura superficial), assim como as expressões faciais foram registrados. Durante as coletas também foram monitorados os parâmetros microclimáticos para caracterização do ambiente. As músicas 9ª sinfonia de Beethoven (gênero clássica) e Rablim in my shoes de Hank Williams Jr (gênero country) promovem redução de estresse, e consequente efeito de relaxamento nas fêmeas durante o isolamento social e restrição de movimentos. Os cavalos expressaram resposta menos acentuada, demostrando possível preferência pela música Horsing around de Janet Marlow (gênero new age), nas mesmas condições de manejo. A música pode ser utilizada como enriquecimento sonoro para equinos da raça Pantaneira na circunstância específica do presente trabalho, sendo importante considerar o gênero musical, sexo, raça, manejo e tempo de exposição.
            Revestimento a base de albumina sobre as características microbiológicas e de qualidade de ovos brancos de poedeiras comerciais
            Curso Mestrado em Ciência Animal
            Tipo Dissertação
            Data 15/02/2024
            Área ZOOTECNIA
            Orientador(es)
            • Karina Marcia Ribeiro de Souza Nascimento
            Coorientador(es)
              Orientando(s)
              • Amanda Alice Lapa Santos
              Banca
              • Karina Marcia Ribeiro de Souza Nascimento
              • Natália Ramos Batista Chaves
              • Thiago Rodrigues da Silva
              Resumo A qualidade dos ovos é definida como o conjunto de características externas e internas que influenciam na aceitação do produto no mercado, está diretamente ligada às características da poedeira, como linhagem, idade, condição nutricional e sanitária, dentre outros fatores. A perda de qualidade é inevitável e contínua, e pode ser acelerada por diversos fatores ambientais. Desse modo, o estudo foi realizado com o objetivo de avaliar revestimentos a base de albumina e albumina + glicerol na casca de ovos brancos, com ou sem exposição de luz ultravioleta (UV) e armazenados em diferentes períodos em temperatura ambiente (25ºC). Foram realizadas análises microbiológicas para identificação de Salmonella e verificação de unidades formadoras de colônias de E,coli e determinação do pH do albúmen dos ovos. As amostras não apresentaram crescimento bacteriano de Salmonella sp. Por outro lado, em relação à averiguação de E. coli observou-se que ovos com revestimento de albumina + glicerol, sem revestimento + E. coli pulverizada, com revestimento de albumina + E. coli pulverizada e albumina + glicerol + E. coli pulverizada demostraram crescimento bacteriano em 0, 15, 30 e 30 dias de armazenamento, respectivamente. Entretanto, não foi verificada formação de colônias de E. coli em ovos sem ou com revestimento, contaminados e submetidos à luz ultravioleta. Constatou-se que os pH’s de ovos revestidos com solução de albumina + glicerol e solução de albumina + glicerol + UV foram menores aos 7, 14, 21, 28 e 35 dias, possivelmente em função da associação do tratamento dos ovos com UV e proteção dos revestimentos estudados. Conclui-se que as soluções de albumina e albumina + glicerol promovem proteção dos ovos contra contaminação por E. coli por 30 dias de armazenamento. Os revestimentos de albumina + glicerol e albumina + glicerol + UV retardam o aumento do pH do albúmen e, consequentemente, a perda de qualidade dos ovos de consumo por 30 dias de armazenamento.
              Suplementação injetável de microminerais e vitaminas na reprodução de fêmeas bovinas Bos indicus sincronizadas à IA em tempo fixo
              Curso Mestrado em Ciência Animal
              Tipo Dissertação
              Data 20/12/2023
              Área ZOOTECNIA
              Orientador(es)
              • Gumercindo Loriano Franco
              Coorientador(es)
                Orientando(s)
                • Luana Gomes da Silva
                Banca
                • Fabiana de Andrade Melo Sterza
                • Gumercindo Loriano Franco
                • Marcelo Vedovatto
                Resumo Objetivos: Os objetivos foram: Cap.1) realizar uma revisão de literatura sobre a utilização de microminerais injetáveis (MMI) e vitaminas (A e E) em bovinos de corte; Cap.2) avaliar os efeitos dos microminerais injetáveis (Cu, Zn) na reprodução e respostas inflamatórias de fêmeas bovinas Bos indicus sincronizadas à IA em tempo fixo; Cap.3) avaliar os efeitos de microminerais injetáveis (Cu, Zn, Mn e Se) e vitaminas (A e E) na reprodução e respostas inflamatórias de fêmeas bovinas Bos indicus sincronizadas à IA em tempo fixo.
                Material e métodos: Cap.2) Os animais dos experimentos 1 e 2 foram divididos em 2 tratamentos com injeção subcutânea de 5 mL/fêmea: solução salina ou solução Cu Zn. No experimento 1, foram utilizadas 29 novilhas Nelore [peso corporal (PC) = 368 ± 54,1 kg; ECC = 4,8 ± 0,71] sincronizadas por protocolo de 9 dias (d-9 ao d0). No experimento 2, foram utilizadas 1469 fêmeas Nelore, sendo 871 multíparas, 337 primíparas e 261 novilhas sincronizadas por protocolo de 11 dias (d-11 ao d0). Cap.3) Os animais dos experimentos 1 e 2 foram divididos em 2 tratamentos com injeção subcutânea de 5 mL/fêmea: solução salina ou solução TMVI (minerais injetáveis Cu, Zn, Mn e Se e vitaminas A e E). No experimento 1, foram incluídas no estudo 68 vacas multíparas Nelore [peso corporal (PC) = 448 ± 38,1 kg; ECC = 4,52 ± 0,84] sincronizadas por protocolo de 9 dias (d-9 ao d0). No experimento 2, foram utilizadas 1470 fêmeas Nelore, sendo 866 multíparas [PC = 441 ± 44,8 kg; ECC = 4,81 ± 0,66] foram manejados em 13 grupos [67 ± 34 vacas/grupo], 341 primíparas [PC= 407,6 ± 36,8 kg; ECC = 5,04 ± 0,54] foram manejados em 7 grupos [33 ± 23 vacas/grupo] e 263 novilhas [PC = 334,5 ± 30,1 kg; ECC = 6,08 ± 0,76] foram manejados em 3 grupos [87 ± 17 novilhas/grupo] sincronizadas por protocolo de 11 dias (d-11 ao d0).
                Resultados: Cap.1 A aplicação de MMI e vitaminas injetáveis é uma alternativa para melhorar a resposta imunológica, ganho de peso, desempenho reprodutivo e reduzir perdas gestacionais em bovinos de corte; Cap.2) Com a aplicação de Cu Zn no experimento 2 as novilhas Cu Zn vs. Salina tiveram maior PC no d120 (P = 0,05), maior escore de estro (P = 0,01), taxa de expressão de cio no d0 (P = 0,04) e tenderam (P = 0,10) a ter maior taxa de prenhez nas de baixo ECC no d30 (1ª IATF). Nenhum efeito (P ≥ 0,45) foi detectado para ECC e PC nas vacas
                primíparas, mas as primíparas suplementadas Cu Zn vs. Salina tiveram maior escore de estro (P = 0,03) e maior taxa de expressão de cio no d 0 para as de alto ECC (P = 0,03), apresentando também tendência a maior escore de estros geral no d0 (P = 0,05), no d50 (P = 0,08) e tendência a maior taxa de prenhez nas de baixo ECC no d30 (P = 0,09). Nenhum efeito foi detectado para ECC e PC (P ≥ 0,14) e desempenho reprodutivo (P ≥ 0,11) em multíparas. As vacas Cu Zn vs. Salina apresentaram maior concentração de Cu plasmático (P = 0,008) mas não de Zn (P = 0,56); Cap.3) A aplicação TMVI aumentou a taxa de prenhez em novilhas com escore de condição corporal (ECC) < 5 em d 30 (P = 0,05), e tenderam a aumentar a taxa de prenhez em d 120 (P = 0,10) independente do ECC. Em primíparas, o TMVI tendeu a aumentar a taxa de prenhez no d 30 em vacas com ECC < 5 (P = 0,09). Nas multíparas, o TMVI tendeu a aumentar (P = 0,10) a concentração de Cu no d 0.
                Conclusões: A aplicação de MMI em bovinos no início do protocolo de IATF melhora o ganho de peso de novilhas e o desempenho reprodutivo de novilhas e primíparas, mas não afetou a reprodução em multíparas e não desencadeou resposta inflamatória. A aplicação de TMVI no início de um protocolo de IA em tempo fixo reduziu as respostas inflamatórias e melhorou as variáveis de reprodução, principalmente em fêmeas com baixo ECC.
                Palavras-Chave: Bovinos. Taxa de prenhez. Perda gestacional. Mineral injetável. Vitaminas
                Caracterização genotípica de cordeiros mestiços Texel para genes associados com a qualidade de carne
                Curso Mestrado em Ciência Animal
                Tipo Dissertação
                Data 18/12/2023
                Área ZOOTECNIA
                Orientador(es)
                • Camila Celeste Brandao Ferreira Itavo
                Coorientador(es)
                  Orientando(s)
                  • Aline Aparecida da Silva Miguel
                  Banca
                  • Gleice Kelli Ayardes de Melo
                  • Monalissa de Melo Stradiotto
                  • Susana Amaral Teixeira Manso
                  Resumo A identificação de ovinos portadores de polimorfismos associados a características de interesse econômico em animais pode ser uma estratégia interessante no âmbito da agropecuária. Deste modo, objetivou-se identificar polimorfismos associados com a qualidade da carne em um rebanho de cordeiros mestiços texel (filhos de reprodutores Texel com fêmeas SRD). Os cordeiros (n=51) foram desmamados aos 90 dias e receberam suplementação proteico-energética formulada para atingir média diária de ganho de peso de 300 g. Aos 120 dias, os cordeiros foram abatidos e amostras do músculo Longissimus dorsi foram coletadas para análises de qualidade da carne e caracterização gentotípica. Foram observados polimorfismos no gene CAST, resultando em três genótipos (MM, MN e NN) na população estudada. Cordeiros do genótipo MM apresentaram menor perda de exsudato durante o abate, perdendo dois pontos percentuais a menos de água em comparação com os outros genótipos. No gene DGAT-1, foram identificados dois genótipos (CC e CT), sendo o genótipo CT associado ao maior peso ao nascimento, com aumento médio de 0,89 kg em comparação com o genótipo CC (p<0,05). Além disso, os cordeiros com genótipo CC demonstraram maior espessura de gordura subcutânea, com acréscimo de 0,41 mm (p<0,05). Em relação ao gene LepR, não foram encontrados polimorfismos (p<0,05), sendo todos os animais do rebanho caracterizados pelo genótipo CC.

                  Palavras chave: ovinocultura de corte, polimorfismo, marcadores moleculares, CAST, DGAT1, LepR
                  Utilização da visão computacional para predição do rendimento de cortes da carcaça bovina
                  Curso Mestrado em Ciência Animal
                  Tipo Dissertação
                  Data 23/11/2023
                  Área ZOOTECNIA
                  Orientador(es)
                  • Marina de Nadai Bonin Gomes
                  Coorientador(es)
                  • Rodrigo da Costa Gomes
                  • Wesley Nunes Goncalves
                  Orientando(s)
                  • Larissa Costa Portela
                  Banca
                  • Lucy Mery Antonia Surita
                  • Luis Carlos Vinhas Itavo
                  • Marina de Nadai Bonin Gomes
                  Resumo O objetivo com este trabalho foi criar equações de predição de cortes da carcaça bovina a partir de imagens da carcaça. Foram utilizados 20 animais, machos não-castrados da raça Nelore, abatidos com idade média de 18 meses, peso médio vivo de 578,80 kg ±103,20 kg e peso de carcaça quente médio de 291,98 kg. Após o resfriamento, as carcaças foram serradas entre 5ª e 6ª costelas, de onde foram coletadas 10 imagens por animal, imagens utilizando um aparelho celular smartphone da marca Xiaomi preso a um suporte do tipo “ring light”, com tipo e intensidade de luz padronizada para todas as carcaças. As carcaças foram então separadas em dianteiro e traseiro, os quais foram pesados e desossados e os valores utilizados para cálculo das correlações com as áreas dos tecidos traçadas nas imagens. A interpretação das imagens foi realizada utilizando o software Labelme, com o qual delimitou-se as áreas de tecido muscular, ósseo, adiposo e cartilagem presente em cada uma das imagens. Para treinamento da rede neural, o conjunto de imagens foi dividido em três grupos distintos: treinamento, teste e validação, empregando-se a técnica de validação cruzada para avaliar a capacidade de generalização dos modelos de aprendizado de máquina. Para avaliação da capacidade preditiva dos modelos foram utilizadas as métricas de Intersection over Union (IoU), recall, precisão e Fscore. Os valores de precisão e acurácia, respectivamente, em ordem decrescente, foram obtidos para fundo (97,98; 98,0), carne (90,87; 92,71), gordura (88,87; 73,50) e Osso (85,29; 80,52) e cartilagem (81,46; 79,15). Os menores valores de precisão para cartilagem, osso e gordura podem ser devido a similaridade em coloração dos três tecidos, ambos em tons claros, tendendo a branco, o que pode ter causado maior dificuldade para diferenciação destes pelos algoritmos. As áreas de tecido muscular e osso estiveram positivamente correlacionadas com os pesos de dianteiro (0,49) e traseiro (0,25), respectivamente. Os pesos das aparas do dianteiro e do traseiro estiveram negativamente correlacionadas com a área de músculo (-0,48 e -0,69, respectivamente). Os algoritmos de visão computacional foram eficazes para diferenciação de tecidos da carcaça a partir de imagens e a correlação entre as áreas dos tecidos e o peso de cortes e aparas foram moderadas, devendo ser alvo de futuros estudos para melhor explorar o potencial dos algoritmos de visão computacional para predição de cortes da carcaça bovina.


                  Palavras-chaves: Bovino de corte, Carcaça, Imagens, Inteligência Artificial.
                  Evolução da produtividade da suinocultura brasileira de 2011 a 2020
                  Curso Mestrado em Ciência Animal
                  Tipo Dissertação
                  Data 31/07/2023
                  Área ZOOTECNIA
                  Orientador(es)
                  • Charles Kiefer
                  Coorientador(es)
                    Orientando(s)
                    • Jéssica Rodrigues da Silva
                    Banca
                    • Anderson Corassa
                    • Charles Kiefer
                    • Raquel Aparecida Sales da Cruz
                    • Susana Amaral Teixeira Manso
                    Resumo A suinocultura brasileira tem se tornando cada vez mais tecnificada durante os anos e tem buscado aprimorar os índices de produtividade, por meio de melhores linhagens, instalações, nutrição e sanidade do plantel, com o intuído de aumentar a produção de leitões. Dentre os principais índices produtivos avaliados está o número de leitões desmamados por porca por ano, cujos resultados têm avançado significativamente. Evidencia-se que a reprodução é uma fase complexa com interações intrínsecas à matriz e aos leitões que afetam o número de leitões desmamados ao final do ciclo. De uma maneira geral, o aumento na produtividade alcançado pelas granjas, indica a evolução ocorrida no desempenho reprodutivo das fêmeas, e o melhor controle das atividades desenvolvidas na propriedade, evitando eventuais falhas e minimizando riscos que podem prejudicar a produtividade da matriz. Considerando a importância do acompanhamento da evolução da produção e da produtividade da suinocultura, propôs-se realizar este estudo com o objetivo de analisar os principais índices produtivos da suinocultura brasileira de 2011 a 2020. Foram analisados dados produtivos obtidos do programa de gerenciamento S2®, da Agriness, referente ao período de 2011 a 2020. Foram utilizados dados de 1.690 granjas e analisadas um total de 1.458.709 matrizes. Os parâmetros analisados foram a idade à 1ªcobertura; retorno ao cio; abortos; perdas reprodutivas; parição; ordem média de parto; leitões nascidos vivos e totais; natimortos mais mortos ao nascer; mumificados; mortalidade na maternidade; desmamados; desmame-cobertura; dias não produtivos; parto/fêmea/ano; desmamados/fêmea/ano; idade de desmame; peso ao nascer; peso de desmame e período de gestação. Observou-se aumentos de 13,62; 11,84 e 9,66%, respectivamente, no número de nativivos, de leitões desmamados/porca/ano e da mortalidade na maternidade Também houve redução de 5,55% do peso ao nascer. O peso dos leitões ao desmame e o número de partos/porca/ano se manteve estável. A duração da gestação aumentou 0,6 dia, atingindo média de 115,2 dias em 2020. Concluiu-se que houve aumento considerável da produtividade da suinocultura brasileira entre os anos de 2011 a 2020.

                    Palavras-chave: desempenho, eficiência, índices zootécnicos, suínos
                    Prejuízo econômico decorrente da condenação de vísceras brancas de bovinos abatidos em Santarém, Pará, Brasil
                    Curso Mestrado em Ciência Animal
                    Tipo Dissertação
                    Data 29/06/2023
                    Área ZOOTECNIA
                    Orientador(es)
                    • Marina de Nadai Bonin Gomes
                    Coorientador(es)
                    • Luis Carlos Vinhas Itavo
                    Orientando(s)
                    • Albiane Sousa de Oliveira
                    Banca
                    • Cláudio Vieira de Araújo
                    • Daniele Bier Borges
                    • Marina de Nadai Bonin Gomes
                    • Sâmia Rubielle Silva de Castro
                    Resumo OLIVEIRA, A. S. Prejuízo econômico decorrente da condenação de intestino bovinos abatidos em Santarém, Pará, Brasil. 2023. f. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, MS, 2023.

                    O presente estudo teve como objetivo avaliar as principais causas de condenações de intestinos bovinos e seus prejuízos econômicos. Este estudo foi realizado por meio de uma análise de dados retrospectiva de seis anos (janeiro de 2015 a dezembro de 2020), considerando a espécie bovina, oriundos de um abatedouro frigorifico sob o serviço de Inspeção Federa Oficial, localizado no Município de Santarém, Pará, Brasil. Para isso, as informações de condenação foram obtidas por meio de relatórios mensais, sendo considerados o número de animais abatidos, número de órgãos condenados e principais lesões que levaram a condenação. Foram condenados pelas causas observadas neste estudo os intestinos (delgado e grosso), sendo apontado apenas as maiores causas de condenação: contaminação, tuberculose, enterite e verminose. Para o cálculo da representação de cada causa de condenação, considerou-se o número total de intestinos condenados sobre o total de cada causa. Para estimar o prejuízo econômico causado pela condenação do intestino, foi utilizado o peso desse órgão. Determinou-se também o prejuízo econômico e realizou-se a predição de perdas. Avaliando-se as frequências isoladas de enfermidades verificou-se diferenças significativas com maiores frequências de verminoses, seguidas de contaminações e a menor frequência referente a causa de tuberculose. Em relação as perdas econômicas a verminose foi a enfermidade que apresentou maior índice, seguida pela contaminação. Assim, foi possível observar perda econômica considerável na condenação do intestino aos longos dos anos, provocada principalmente por quadro de verminose.
                    Desaparecimento de misturas minerais de livre consumo para bovinos a pasto e sua associação com a precipitação pluviométrica
                    Curso Mestrado em Ciência Animal
                    Tipo Dissertação
                    Data 26/06/2023
                    Área ZOOTECNIA
                    Orientador(es)
                    • Rodrigo da Costa Gomes
                    Coorientador(es)
                      Orientando(s)
                      • Zey Welington Gomes de Souza
                      Banca
                      • Rodrigo da Costa Gomes
                      • Rodrigo Gonçalves Mateus
                      • Thiago Luis Alves Campos de Araújo
                      Resumo O objetivo do presente estudo foi avaliar a associação entre chuvas e o desaparecimento de misturas minerais na alimentação de bovinos a pasto. As informações de consumo de suplemento e pluviosidade foram obtidas a partir de cinco experimentos realizados entre 2016 e 2022, todos realizados no período primavera/verão/outono, em Campo Grande, MS, Brasil. Os experimentos duraram de 84 a 126 dias e tiveram de 12 a 18 piquetes formados por Brachiaria spp, sob pastejo de bovinos, recebendo suplementação mineral. O desaparecimento do suplemento (DS, diferença entre a quantidade ofertada e as sobras) e a precipitação (PP) foram medidos em períodos de 14 a 21 dias. Os períodos (n=565) foram classificados em muito seco, seco, normal, chuvoso e muito chuvoso, por meio do método quantil. Também foram determinados o número de dias chuvosos (DC) e a precipitação média por DC (PPDC) por período e o peso vivo médio nos períodos (PV). Análises de regressão linear foram realizadas para avaliar a associação entre PV, PP, DC e PPDC. A PP média nos períodos estudados foi de 68,5 mm, variando de 0,00 mm a 160,3 mm. Cada período teve até seis DC, com até 129,5 mm precipitados por DC. O PV médio foi de 270 kg, variando de 208 a 335 kg e o DS médio foi de 82,2 g animal dia-1, variando de 0,52 a 176,7 g animal dia-1. As diferenças em PP e PPDC são consistentes entre as classes de precipitação. No entanto, a classe muito chuvosa teve menos dias chuvosos do que a classe chuvosa. Na análise de regressão, o modelo com maior coeficiente de determinação foi o que continha os termos lineares e quadráticos para a variável DC. A inclusão de termos lineares e quadráticos de todas as variáveis em uma regressão múltipla foi capaz de representar mais da metade da variação no desaparecimento do suplemento (R2=0,5823). Não está claro se existe relação entre as classes de PP e DS, porém, variáveis que caracterizam o padrão de precipitação são mais relevantes do que PV para explicar as variações existentes no desaparecimento de suplemento, e número de dias de chuva no período parece ser a variável mais importante.
                      Palavras-chave: desaparecimento de suplementos, padrão de precipitação, quantis
                      Avaliação econômica do programa Zebu PO: produção de carne de qualidade com eficiência e sustentabilidade sob o enfoque de gestão de custos e análises dos ponderadores técnicos-econômicos
                      Curso Mestrado em Ciência Animal
                      Tipo Dissertação
                      Data 28/02/2023
                      Área ZOOTECNIA
                      Orientador(es)
                      • Ricardo Carneiro Brumatti
                      Coorientador(es)
                        Orientando(s)
                        • Leandro Nogueira Bomfim
                        Banca
                        • Gustavo de Faria Theodoro
                        • Leonardo de Oliveira Fernandes
                        • Ricardo Carneiro Brumatti
                        Resumo No ano de 2021 a pecuária de corte movimentou cerca de R$ 913,14 bilhões. Entretanto, a
                        ampla capacidade de produção e renda no setor pode vir a sofrer com uma gestão de custos
                        deficitária. O preço da carne bovina nos últimos anos esteve em alta, o elevado preço mundial
                        incentivou os produtores a aumentar a produtividade. A demanda global permanece forte,
                        mesmo com as pressões inflacionárias e problemas logísticos que afligem diversos países, no
                        entanto, as expectativas são otimistas, visto que, muitos países já suspenderam as restrições da
                        Covid-19. No momento o setor brasileiro está em fase de recuperação de ciclo de produção, a
                        baixa disponibilidade de gado em 2021 refletiu no aumento dos preços, contexto que incentiva
                        o pecuarista a aumentar o seu estoque. O Brasil é um grande protagonista na pecuária mundial,
                        constantemente os sistemas de produção brasileiro vem superando novos desafios afim de
                        fornecer um produto com qualidade e segurança. O controle gerencial é fundamental para a
                        “homeostase” de um sistema de produção, e proporciona condições necessárias para uma boa
                        gestão rural. A ação no controle das operações está relacionada a vitalidade e progresso das
                        propriedades rurais, além de maior ganho produtivo no sistema pecuário.
                        Análise de correlação e concordância das estimativas de imunoglobulinas no colostro bovino obtidas por métodos indiretos
                        Curso Mestrado em Ciência Animal
                        Tipo Dissertação
                        Data 28/02/2023
                        Área ZOOTECNIA
                        Orientador(es)
                        • Geraldo Tadeu dos Santos
                        Coorientador(es)
                        • Camila Soares Cunha
                        Orientando(s)
                        • Ingryd Muniz de Oliveira
                        Banca
                        • Adriano Henrique do Nascimento Rangel
                        • Geraldo Tadeu dos Santos
                        • Susana Amaral Teixeira Manso
                        Resumo As imunoglobulinas (Ig) são proteínas abundantes presentes no colostro bovino, as
                        quais participam de forma essencial na transferência de imunidade passiva aos
                        neonatos, uma vez que o tipo de placenta sinepiteliocorial dos bovinos impede a
                        passagem de imunoglobulinas na fase pré-natal. Dessa forma, a administração de
                        colostro de alta qualidade imunológica, ou seja, abundante em Ig, de forma rápida e
                        asséptica é essencial para o bom desenvolvimento dos bezerros. Atualmente,
                        existem algumas formas de analisar a qualidade imunológica do colostro, por meio
                        de testes laboratoriais (ELISA e o RID) e equipamentos de avaliação indireta, como
                        colostrômetro e o refratômetro Brix digital e óptico, os quais diferentemente dos
                        métodos anteriores podem ser facilmente e rapidamente utilizados na rotina da
                        própria fazenda. Devido à importância da avaliação da qualidade imunológica do
                        colostro bem como da necessidade de avaliação da associação e concordância
                        entre os métodos de avaliação indireta, objetivou-se neste trabalho compilar
                        informações da literatura, sobre os diferentes métodos de avaliação da qualidade
                        imunológica do colostro bovino, incluindo as vantagens e desvantagens dos
                        mesmos, identificando a associação entre os métodos e a concordância entre os
                        mesmos. Os resultados da literatura apontam que os métodos indiretos apresentam
                        associação moderada a positiva com os diretos e que ainda há divergência na
                        literatura quanto à intensidade de associação entre os métodos indiretos de
                        avaliação da qualidade imunológica do colostro. O colostrômetro por ser de vidro,
                        pode representar um custo adicional aos produtores, em virtude de reposições. Já o
                        refratômetro Brix é um dispositivo científico, usado em laboratórios e em indústrias, e
                        que oferece medições altamente precisas. No intuito de avaliar a magnitude e a
                        direção da associação entre as medidas obtidas pelos equipamentos de avaliação
                        indireta (colostrômetro, refratômetros Brix digital e óptico), foram utilizadas 224
                        amostras de colostro, coletadas em duas fazendas (n1=31 e n2=193), sendo a
                        primeira composta por fêmeas da 2ª a 9ª ordem de lactação, das quais, 15 eram da
                        raça Holandesa, 5 da raça Jersey e 11 do cruzamento Holandês x Jersey (sendo 5
                        animais 15/16 Jersey e 6 animais 7/8 Jersey), e a segunda fazenda, por novilhas e
                        vacas da raça Holandesa, da 1ª a 7ª ordem de lactação. Análises estatísticas de
                        correlação de Pearson e concordância entre as medidas obtidas nos equipamentos
                        foram realizadas no software R (versão 4.2.2) utilizando-se os pacotes “cocor” e
                        “psych”, sendo todas as análises conduzidas no nível 5% de significância. A
                        correlação entre os equipamentos foi positiva, variando de forte a muito forte nas
                        fazendas 1 e 2, respectivamente: entre os refratômetros Brix digital e óptico (r2 =
                        0,984 e r
                        2 = 0,967; p<0,05), entre o colostrômetro e refratômetro Brix digital (r2 =
                        0,810 e r
                        2 = 0,829; p<0,05) e entre o colostrômetro e refratômetro Brix óptico (r2 =
                        0,829 e r
                        2 = 0,842; p<0,05). Os resultados indicam que as leituras entre os
                        equipamentos de avaliação indireta estão fortemente e positivamente
                        correlacionadas, ou seja, maiores valores de leitura provenientes de um dos
                        equipamentos também são esperados dos demais, bem como menores valores
                        obtidos em um dos equipamentos de avaliação indireta, também ocorrerão nos demais. A magnitude da associação não diferiu entre fazendas, mas diferiu entre
                        equipamentos, sendo maior a correlação comum (r2 = 0,970; p<0,05) entre os
                        refratômetros Brix digital e óptico e menores valores de correlação entre esses
                        equipamentos com o colostrômetro (r2 = 0,826 para refratômetro Brix digital e
                        colostrômetro p < 0,05; r2 = 0,840; para refratômetro Brix óptico e colostrômetro p<
                        0,05). Esses resultados podem ser justificados pela maior variabilidade nas
                        mensurações obtidas no colostrômetro (CV = 28,91% e CV = 23,22%,
                        respectivamente nas fazendas 1 e 2) em relação aos refratômetros Brix digital (CV =
                        15,80% na fazenda 1 e CV = 14,38% na fazenda 2) e óptico (CV = 13,62% e CV =
                        12,12%, nas fazendas 1 e 2, respectivamente). Apesar de forte correlação entre os
                        equipamentos, a concordância entre esses foi divergente. A maioria das amostras
                        (superior a 95%) foi classificada como colostro de boa qualidade, enquanto 9,8 e
                        12% foram classificadas como de baixa qualidade pelo refratômetro Brix óptico e
                        digital, respectivamente, e 4% pelo colostrômetro. Esses resultados podem indicar
                        maior fragilidade de se detectar valores inferiores a 50 mg/ml no colostrômetro.
                        Embora nenhum dos equipamentos avaliados seja considerado padrão-ouro, ou
                        seja, estime diretamente a concentração de imunoglobulinas, a maior variabilidade
                        observada para os dados obtidos do colostrômetro, a fragilidade e a dificuldade de
                        mensuração pelo equipamento, a necessidade de temperatura ótima do colostro
                        para leitura, sugere-se que as leituras do colostrômetro são mais conflitantes o que
                        poderá comprometer uma colostragem eficiente. Além disso, os resultados obtidos
                        apontam pela relevância da utilização de métodos diretos, a fim de verificar a
                        acurácia dos equipamentos indiretos.
                        Cromo e protocolos de utilização da ractopamina para suínos em terminação
                        Curso Mestrado em Ciência Animal
                        Tipo Dissertação
                        Data 28/02/2023
                        Área ZOOTECNIA
                        Orientador(es)
                        • Charles Kiefer
                        Coorientador(es)
                          Orientando(s)
                          • Débora Martinez Rodrigues
                          Banca
                          • Anderson Corassa
                          • Charles Kiefer
                          • Gabriela Puhl Rodrigues
                          Resumo RODRIGUES, D. M. Cromo e protrocolos de utilização da ractopamina para suínos em terminação. 2023. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, MS, 2023.

                          Com os avanços do melhoramento genético, os suínos estão cada vez mais produtivos. Entretanto, para que esses animais expressem seu máximo potencial, é necessário o fornecimento de dietas que atendam às suas exigências nutricionais. Além disso, os consumidores de carne suína estão mais exigentes com a qualidade desse produto, e buscam maior proporção de carne e menor quantidade de gordura. Dentre as alternativas pela busca da máxima eficiência alimentar estão a utilização de aditivos melhoradores de desempenho, entre eles destaca-se a inclusão de ractopamina nas dietas de suínos em fase de terminação. A ractopamina na alimentação de suínos em terminação melhora o desempenho, as características de carcaça e a qualidade da carne suína. O período comum de utilização desse aditivo é até 28 dias antes do abate, no entanto, suinocultores relataram que o efeito positivo permanece ao utilizar por um período prolongado. Ao longo dos anos a ractopamina foi proibida em vários países devido a possíveis resíduos nos produtos, dessa forma busca-se alternativas para substituir esse beta-adrenérgico. O cromo, um mineral essencial tem sido utilizado em pesquisas com esse mesmo objetivo. O estudo foi conduzido com o objetivo de avaliar o efeito do protocolo de uso da ractopamina ou o uso do cromo (Cr) como aditivos melhoradores de desempenho e das características quantitativas de carcaça de suínos em terminação. Foram utilizados 60 suínos machos castrados, híbridos comerciais geneticamente similares, com peso inicial de 74,30 ± 5,55 kg e peso final de 116,69 ± 5,82 kg. Os animais foram distribuídos em delineamento de blocos casualizados pelo peso inicial, em cinco dietas, com seis repetições e dois animais cada. As dietas foram: controle (C) – sem utilização de ractopamina ou cromo; R28 – utilização de 10 ppm de ractopamina por 28 dias antes do abate; R42 – utilização de 10 ppm de ractopamina por 42 dias antes do abate; R21+21 – utilização de 10 ppm de ractopamina por 21 dias, seguido por 21 dias de utilização de 15 ppm de ractopamina antes do abate; e Cr – utilização de 0,8 ppm de cromo levedura. A suplementação de 10 ppm de ractopamina por 42 dias seguidos antes do abate aumenta o ganho de peso diário, o peso final e melhora a conversão alimentar dos animais. A inclusão de 0,8 ppm de cromo levedura não teve efeito.
                          Palavras-chave: aditivos; carcaça; melhorador de desempenho; nutrição
                          Níveis de energia líquida com e sem ajuste nutricional para suínos machos castrados em recria
                          Curso Mestrado em Ciência Animal
                          Tipo Dissertação
                          Data 28/02/2023
                          Área ZOOTECNIA
                          Orientador(es)
                          • Charles Kiefer
                          Coorientador(es)
                          • Karina Marcia Ribeiro de Souza Nascimento
                          Orientando(s)
                          • Denise de Santana Lima
                          Banca
                          • Anderson Corassa
                          • Charles Kiefer
                          • Gabriel Cipriano Rocha
                          Resumo O uso do sistema de energia líquida para formular dietas para os suínos atende a exigência energética com maior precisão, pois equaliza as necessidades energéticas dos animais e o conteúdo energético dos alimentos. Contudo, na literatura científica, os trabalhos que avaliaram níveis de energia líquida não investigaram os efeitos dos níveis energéticos comparando seus ajustes nutricionais. Neste contexto, este estudo foi conduzido com o objetivo de avaliar níveis de energia líquida (EL) com e sem ajuste nutricional para suínos machos castrados, em recria. Sessenta suínos machos castrados, de 30 a 50 kg e 50 a 70 kg, foram distribuídos em delineamento de blocos casualizados, em cinco dietas com 2,35, 2,45, 2,55, 2,65 Mcal de EL mantendo relação caloria: nutriente e 2,65 Mcal de EL alterando a relação caloria:nutriente, com dois animais por baia e seis repetições por tratamento. Os níveis de EL foram obtidos por meio da inclusão de óleo de soja em substituição ao caulim. Foram avaliados variáveis de desempenho como peso final, ganho de peso, consumos de ração, de energia líquida, de lisina digestível e de proteína bruta, e variáveis de carcaça como área de olho de lombo, profundidade de musculo, espessura de toucinho e carne magra. O aumento nos níveis de EL das dietas reduziu (P<0,05) o consumo de ração e de lisina digestível, e melhorou (P<0,05) a conversão alimentar nas duas fases avaliadas. Na primeira fase o consumo de EL teve um aumento sobre a concentração energética, e na segunda fase, o consumo de energia líquida apresentou redução linear (P<0,05). Não houve efeitosobre as características de carcaça com o aumento nos níveis de EL nas dietas. O nível de 2,65 Mcal/kg sem ajuste proporciona o melhor desempenho para suínos machos castrados dos 30 aos 70 kg, sem alterar nas características de carcaças.
                          Desempenho produtivo de pacu (Piaractus mesopotamicus) suplementado com prebiótico e simbiótico
                          Curso Mestrado em Ciência Animal
                          Tipo Dissertação
                          Data 28/02/2023
                          Área ZOOTECNIA
                          Orientador(es)
                          • Jayme Aparecido Povh
                          Coorientador(es)
                            Orientando(s)
                            • Franciele Itati Kreutz
                            Banca
                            • Jayme Aparecido Povh
                            • Milena Wolff Ferreira
                            • Ruy Alberto Caetano Correa Filho
                            Resumo O pacu (Piaractus mesopotamicus) é uma espécie de grande importância para a piscicultura de alguns países da América do Sul, como Paraguai, Argentina e Bolívia, principalmente devido ao bom desempenho produtivo, hábito alimentar onívoro e aceitabilidade no mercado consumidor. Poucas informações científicas quanto aoaspecto nutricional desta espécie estão
                            disponíveis e, com a crescente demanda por pescado, estudos nutricionais, tais como efetividade da utilização de aditivos prebiótico e simbiótico, são importantes para melhorar a produção e aumentar a sobrevivência, considerando a tendência de intensificação na densidade de produção. Neste sentido, o objetivo do estudo foi avaliar o desempenho produtivo de pacu alimentados com aditivo prebiótico e simbiótico. Foram utilizados 165 juvenis distribuído em 15 unidades experimentais (caixas de 100 L; volume de água de 80 L), totalizando 11 peixes por caixa. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com 3 tratamentos e 5 repetições, sendo os seguintes tratamentos: ração comercial (controle); ração comercial com simbiótico (2g/kg de ração - DBAqua®); ração comercial prebiótico alho Allium sativum (10 g/kg de ração). Foram realizadas uma biometria inicial e aos 30 e 60 dias de cultivo. Os pesos medios iniciais e com 30 dias de cultivo não diferiram entre os três tratamentos (P>0,05). A taxa de sobrevivência foi 100% em todo período experimental em ambos os tratamentos. Da mesma forma, com 60 dias de cultivo as variáveis comprimento inicial e final, ganho em peso, ganho em peso diário, biomassa inicial e final, ganho de biomassa, conversão alimentar aparente, e taxa de crescimento específico não diferiram (P>0,05) entre os tratamentos. No entanto, o índice hepatosomático foi maior (P<0,05) nos peixes que receberam o prebiótico alho em relação aos peixes que receberam ração comercial (controle). Conclui-se que, a incorporação dos aditivos simbiótico comercial ou de prebiótico alho não promove melhoras no desempenho zootécnico do pacu na fase inicial.
                            Página 1 de 22 (20 de 428 registros).