Mestrado em Enfermagem

Atenção! O edital referente ao processo seletivo e arquivos pertinentes ao curso estão disponíveis no site do curso.
Os resultados dos processos seletivos serão divulgados no site do curso.

Trabalhos

Trabalhos Disponíveis

TRABALHO Ações
Qualidade de Vida, qualidade do sono e transtornos mentais de motoristas de caminhão
Curso Mestrado em Enfermagem
Tipo Dissertação
Data 01/03/2024
Área ENFERMAGEM DE SAÚDE PÚBLICA
Orientador(es)
  • Mariana Alvina dos Santos
Coorientador(es)
    Orientando(s)
    • PRISCILA DAMACENO SANTOS
    Banca
    • Edirlei Machado dos Santos
    • Flávia Helena Pereira
    • Marcia Aparecida Ciol
    • Mariana Alvina dos Santos
    • Vinicius Batista Santos
    Resumo A saúde ocupacional desempenha um papel importante na garantia do bem-estar dos trabalhadores, impactando diretamente a produtividade, redução de custos com saúde e qualidade de vida. Os motoristas de caminhão enfrentam desafios únicos que podem afetar sua qualidade de vida. A qualidade do sono e os transtornos mentais comuns emergem como áreas de preocupação nesse contexto. Horários de trabalho extenuantes, rotinas irregulares e longas horas na estrada contribuem para perturbações no sono e para o surgimento de problemas de saúde mental, como ansiedade e depressão. Esses profissionais muitas vezes enfrentam a solidão das estradas, falta de interação social e um estilo de vida sedentário, que podem agravar ainda mais esses problemas. Este estudo teve como objetivo realizar uma avaliação da qualidade de vida, do sono e dos transtornos mentais comuns em motoristas de caminhão. Para tanto, foi conduzido um estudo transversal com 399 motoristas em duas regiões do Brasil. A qualidade do sono foi avaliada através do Pittsburgh Sleep Quality Index, e a qualidade de vida foi medida pelo The World Health Organization Quality of Life. O rastreamento de transtornos mentais comuns foi realizado com o uso do Self Report Questionnaire. Além disso, foram analisadas as correlações entre os diferentes domínios de qualidade de vida, o escore total de qualidade do sono e os transtornos mentais. Os resultados revelaram que a maioria dos participantes era composta por caminhoneiros com mais de dez anos de experiência profissional, muitos dos quais dirigiam por um período entre sete e doze 12 diárias. Dos domínios de qualidade de vida, o pior escore ocorreu para meio ambiente, e o melhor, para domínio físico. A maioria dos participantes (70%) foram classificados como bons dormidores (70%) e sem transtornos mentais (92%). Em relação a correlações entre domínios de qualidade de vida e qualidade de sono e transtornos mentais comuns foram negativas e de magnitude moderada. Enquanto os motoristas parecem ter uma qualidade de vida razoável, há espaço para melhoras, especialmente em relação ao meio ambiente de trabalho e à área de distúrbios do sono. Investimentos em intervenções a nível do indivíduo para melhora das qualidades de vida e de sono, além de políticas públicas criadas para melhorar as condições de trabalho e saúde a nível de profissão, poderiam contribuir para maior segurança viária e saúde econômica da sociedade.
    LETRAMENTO EM SAÚDE EM PESSOAS IDOSAS: REVISÃO SISTEMÁTICA E RELAÇÃO COM A PROBABILIDADE DE ÓBITO
    Curso Mestrado em Enfermagem
    Tipo Dissertação
    Data 27/02/2024
    Área ENFERMAGEM DE SAÚDE PÚBLICA
    Orientador(es)
    • Bruna Moretti Luchesi Kwiatkoski
    Coorientador(es)
      Orientando(s)
      • ANA CAROLINE PINTO LIMA
      Banca
      • Bruna Moretti Luchesi Kwiatkoski
      • Fabiana de Souza Orlandi
      • Marina Aleixo Diniz Rezende
      • Rosimeire Aparecida Manoel Seixas
      • Tatiana Carvalho Reis Martins
      Resumo RESUMO
      Introdução: O letramento em saúde é uma importante variável a ser avaliada em pessoas idosas,
      pois está relacionada a diversos desfechos em saúde e também à características pessoais
      específicas, como o aumento da idade. A identificação da possível relação entre letramento em
      saúde e probabilidade de óbito nas pessoas idosas pode auxiliar no planejamento de
      intervenções antes que os desfechos adversos aconteçam. Objetivo: Identificar na literatura os
      fatores associados ao baixo letramento em saúde em pessoas idosas; e avaliar a relação entre o
      letramento em saúde e a probabilidade de óbito em pessoas idosas cadastradas na Atenção
      Básica. Para atingir os objetivos, foram desenvolvidos dois estudos. Artigo 1. Métodos: Foi
      conduzida uma revisão sistemática da literatura nas bases dados Pubmed, Web of Science,
      Scopus, PsycInfo, Embase, and LILACS. Os descritores utilizados foram “Aged” e “Health
      Literacy”, com o operador booleano “AND”. Foram selecionados artigos publicados em inglês,
      português ou espanhol, sem limite de tempo. Essa revisão foi registrada no PROSPERO - CRD:
      42022350140. Resultados: Foram identificados 23,500 artigos nas bases de dados e 176 foram
      selecionados para compor a revisão. Diversos fatores estão associados ao baixo letramento em
      saúde em pessoas idosas, como aspectos sociodemográficos (i.e., maior idade, baixo nível
      educacional, não ser branco e outros); sociais (i.e. falta de suporte social/ familiar, solidão,
      isolamento social, poucas atividades sociais, poucos contatos sociais e outros); econômicos
      (i.e., menor renda e/ou menor nível socioeconômico) e de saúde (i.e., pior saúde, condições
      crônicas, pior saúde mental, hospitalizações, fragilidade, inatividade física, pior cognição, baixa
      aderência ao tratamento e outros). Artigo 2. Métodos: Estudo transversal, quantitativo,
      realizado com 200 pessoas idosas cadastradas nas Unidades de Saúde da Família no município
      de Naviraí, Mato Grosso do Sul, Brasil. Foi realizada uma caracterização sociodemográfica e
      de saúde e aplicados o Teste de Letramento em Saúde (TLS) e o Índice de Suemoto. Para as
      análises, foram utilizados testes de correlação e modelos de regressão linear. Todos os cuidados
      éticos foram observados. Resultados: A maioria dos participantes era do sexo masculino, tinha
      entre 60-69 anos, com companheiro, escolaridade acima de quatro anos, aposentada, em uso de
      medicamentos, não foi hospitalizada e não sofreu queda no último ano e se declarou muito
      satisfeita com a vida. A pontuação média do TLS foi 47,7 pontos, sendo 2,5% dos participantes
      classificados com letramento adequado, 25,0% com letramento limitado e 72,5% com
      letramento inadequado. Quanto maior a idade, pior o letramento em saúde. A probabilidade
      média de óbito em 10 anos foi de 35,4%, sendo maior para os homens, com maior idade, que
      usam medicamentos, que foram hospitalizados e caíram no último ano. Identificou-se
      correlação fraca e inversamente proporcional entre letramento em saúde e probabilidade de
      óbito. O letramento em saúde foi associado à probabilidade de óbito, independente da idade,
      sexo, número de medicamentos e hospitalização recente. Conclusões: Foi possível identificar
      os fatores relacionados ao baixo letramento em saúde, que são sociodemográficos, sociais,
      econômicos e de saúde. Existe relação entre letramento em saúde e probabilidade de óbito. O
      letramento em saúde, bem como variáveis demográficas e de saúde, influenciam a
      probabilidade de óbito. Os resultados podem subsidiar intervenções de educação em saúde
      visando melhorar o letramento de pessoas idosas, especialmente na Atenção Básica, onde o
      vínculo com os pacientes é maior. O enfermeiro, como membro da equipe, tem papel
      fundamental nesse processo que pode reduzir a probabilidade de óbito das pessoas idosas e
      melhorar a sua qualidade de vida.
      Palavras-chave: Enfermagem Geriátrica; Idoso; Letramento em Saúde; Morte; Revisão
      Sistemática.
      EVIDÊNCIAS DE VALIDADE DO INSTRUMENTO ADAPTADO “MENSTRUAL PRACTICE NEEDS SCALE (MPNS-36)
      Curso Mestrado em Enfermagem
      Tipo Dissertação
      Data 02/02/2024
      Área ENFERMAGEM DE SAÚDE PÚBLICA
      Orientador(es)
      • Mara Cristina Ribeiro Furlan
      Coorientador(es)
        Orientando(s)
        • MARIA EDUARDA PASCOALOTO DA SILVA
        Banca
        • Aires Garcia dos Santos Junior
        • Ana Paula de Assis Sales
        • Bianca Dargam Gomes Vieira
        • Mara Cristina Ribeiro Furlan
        • Sonia Silva Marcon
        Resumo Introdução: A menstruação é um processo fisiológico que ocorre mensalmente em pessoas
        com vagina e útero; no entanto, muitas vezes, essas pessoas enfrentam dificuldades de
        condições e ambientes adequados para realizar a higiene menstrual de maneira digna. No
        âmbito das escalas psicométricas, o Brasil carece de instrumentos validados na língua
        portuguesa que quantifiquem as experiências menstruais de pessoas que menstruam,
        dificultando a comparação do país com resultados de diversas culturas. Essa lacuna impede
        a compreensão profunda dessas experiências, as quais são essenciais para o desenvolvimento
        de políticas públicas direcionadas a essa população, abrindo caminho para avanços
        significativos na saúde brasileira. Objetivo: Demonstrar as evidências de validação da versão
        traduzida e adaptada ao português do Brasil do instrumento The Menstrual Practice Needs
        Scale (MPNS-36). Método: Trata-se de um estudo metodológico, transversal, descritivo, com
        abordagem quantitativa, realizado no período de julho a outubro de 2023. A análise das
        propriedades psicométricas constitui-se em três etapas: coleta de dados, análise de constructo
        e análise da consistência interna. A amostra incluiu 360 estudantes do ensino médio do
        município de Três Lagoas, MS, Brasil. Resultados: A análise descritiva e inferencial revelou
        dados sociodemográficos diversificados, das 360 participantes, a maioria eram solteiras
        (n=331, 91,9%), pardas (n=178, 49,4%), evangélicas (n=160; 44,4%), residentes na área
        urbana (n=304; 84,4%), idade média de 17,18 anos e menarca aos 11,12 anos. A dismenorreia
        foi prevalente (n=259, 71,9%), influenciando a ausência nas atividades regulares (n=187,
        52,4%). O absorvente descartável externo (323) foi o mais utilizado, seguido do papel
        higiênico/papel (47), ademais 148 (41,1%) das meninas utilizam ou utilizaram tecidos/panos.
        A análise de confiabilidade mostrou um Coeficiente Alfa de Cronbach de 0,781. Conclusão:
        A diversidade das participantes revelou influências culturais e sociais na percepção
        menstrual, destacando a ausência em atividades diárias, falta de instalações adequadas, de
        higiene íntima, itens utilizados, estigma e falta de informações prévias. Essas informações
        conectam as vivências e contextos sociodemográficos, o que proporcionou a compreensão
        das necessidades e realidades menstruais dessas meninas. O estudo fortalece a validade e
        confiabilidade da "Escala de Necessidades e Realidade Menstrual" como uma ferramenta
        para avaliar as práticas e ambientes de gestão menstrual. Ademais, oferece informações de
        suporte para a interpretação dos dados da escala e suas pontuações. Recomenda-se futuras
        pesquisas para ampliar a validação em diversas regiões do país.
        EFICIÊNCIA DA LIMPEZA E DESINFECÇÃO DE COLCHÕES HOSPITALARES: CONTRIBUIÇÃO PARA SEGURANÇA DO PACIENTE
        Curso Mestrado em Enfermagem
        Tipo Dissertação
        Data 15/12/2023
        Área ENFERMAGEM DE DOENÇAS CONTAGIOSAS
        Orientador(es)
        • Adriano Menis Ferreira
        Coorientador(es)
          Orientando(s)
          • Ruberval Peres Gasques
          Banca
          • Adriano Menis Ferreira
          • Aires Garcia dos Santos Junior
          • Alessandra Lyrio Barbosa Giroti
          • André Luiz Silva Alvim
          • Valquíria da Silva Lopes
          Resumo Colchões, frequentemente considerados superfícies não críticas, podem abrigar
          microrganismos prejudiciais devido ao contato direto com pacientes e exposição a
          fluidos corporais, tornando-se potenciais fontes de infecção. A alta carga microbiana
          nesses colchões aumenta o risco de disseminação de patógenos entre pacientes e
          profissionais de saúde, a menos que as práticas de limpeza sejam eficazes. Este
          estudo tem como objetivo analisar a eficácia das práticas de limpeza e desinfecção
          terminal de colchões hospitalares, com foco na segurança do paciente. O estudo
          adotou uma abordagem transversal e analítica, realizado no período de outubro a
          dezembro de 2021 em um hospital filantrópico no interior do Estado de Mato Grosso
          do Sul, Brasil. A avaliação da eficácia da limpeza e desinfecção de 40 colchões foi
          conduzida por meio de dois métodos de monitoramento: marcador fluorescente,
          aplicado em seis pontos antes do processo de limpeza e desinfecção, e cultura
          microbiológica, que envolveu a contagem de unidades formadoras de colônias (UFC)
          em três pontos, tanto antes quanto após o processo de limpeza e desinfecção,
          realizados em três áreas distintas de cada colchão (superior, médio e inferior).
          Globalmente, observou-se uma diferença estatisticamente significativa na contagem
          microbiana dos colchões após a realização da limpeza e desinfecção terminal
          (p<0,001). Não houve diferenças significativas (p=0,050) na comparação da variação
          da contagem microbiana entre a unidade cirúrgica e a unidade clínica, indicando que
          o processo de limpeza e desinfecção dos colchões foi igualmente eficaz em ambos os
          locais. Tanto no contexto global (p<0,001) quanto nas áreas específicas de coleta
          (unidade cirúrgica; p=0,002 e unidade clínica; p<0,001), houve um aumento
          significativo (p<0,05) na proporção de áreas aprovadas, ou seja, superfícies que
          apresentaram uma contagem microbiana inferior a 60 UFC/cm2. De modo geral, 36
          (90%) colchões foram aprovados após limpeza e desinfecção por esse método. Em
          relação ao marcador fluorescente, os resultados do teste de proporção demonstraram
          que o número de áreas dos colchões consideradas aprovadas foi significativamente
          maior em comparação com as áreas reprovadas (p=0,022). Considerando a
          aprovação com a remoção total do marcador, 17 (42,5%) colchões, foram aprovados
          depois da limpeza e desinfecção. Além disso, não foi identificada uma relação
          significativa entre os métodos de contagem microbiana e marcador fluorescente
          (p=0,185). Esses resultados destacam a importância de protocolos rigorosos de
          limpeza e desinfecção de colchões hospitalares na prevenção da disseminação de
          patógenos e na promoção da segurança do paciente. A utilização de métodos de
          monitoramento, como marcadores fluorescentes e análises microbiológicas, pode ser
          fundamental para garantir a eficácia desses processos e reduzir os riscos de infecções
          hospitalares. Portanto, essas descobertas têm implicações diretas para a prática
          clínica, fornecendo orientações valiosas para melhorar a qualidade dos cuidados em
          ambientes hospitalares.
          CADA PARTO É UMA HISTÓRIA: ELABORAÇÃO E EVIDÊNCIAS DE VALIDADE DEUMA CARTILHA EDUCATIVA COMO INSTRUMENTO PARA (RE) SIGNIFICAR O PARTO E O NASCIMENTO
          Curso Mestrado em Enfermagem
          Tipo Dissertação
          Data 31/08/2023
          Área ENFERMAGEM
          Orientador(es)
          • Tatiana Carvalho Reis Martins
          Coorientador(es)
            Orientando(s)
            • Michelle Tatiane Carvalho Gonçalves
            Banca
            • Ana Roberta Vilarouca da Silva
            • Bruna Moretti Luchesi Kwiatkoski
            • Mara Cristina Ribeiro Furlan
            • Tatiana Carvalho Reis Martins
            Resumo A promoção da saúde no ciclo gravídico-puerperal pode ser realizada por meio de
            informações sobre todo o processo inerente à gestação, trabalho de parto e parto. Uma cartilha
            educativa destinada às mulheres, proporcionará empoderamento e protagonismo diante do
            processo de parturição, estimulando boas práticas na assistência às parturientes. O objetivo
            dessa pesquisa foi elaborar uma cartilha educativa para gestantes com orientações sobre
            trabalho de parto e parto e estimar evidências de validade de conteúdo e aparência. Trata-se de
            estudo com abordagem metodológica, para validação de uma cartilha educativa. A construção
            e validação foram desenvolvidas em quatro etapas: 1. levantamento bibliográfico; 2. elaboração
            das ilustrações, do layout, do design e dos textos; 3. validação aparente e de conteúdo do
            material educativo por juízes especialistas no assunto; e 4. validação do material por
            representantes do público-alvo. A cartilha construída foi intitulada Cada Parto é uma História,
            orientações e dicas sobre as fases do trabalho de parto, contendo as fases do trabalho de parto’’,
            além de informações sobre métodos não farmacológicos do alívio da dor, violência obstétrica
            e hora dourada. Para a validação de aparência e de conteúdo, foram convidados profissionais
            especialistas na área, e esses foram indicando outros nomes, todos foram selecionados seguindo
            os critérios pré-estabelecidos, totalizando 23 juízes especialistas, com experiência em docência e
            assistencial. Para validação pelo público-alvo, foram selecionadas, por conveniência, 22
            gestantes atendidas em cinco unidades da estratégia de Saúde da Família (eSF), localizadas em
            Três Lagoas-MS. O período de coleta de dados com juízes e gestantes, ocorreu entre julho e
            dezembro de 2022 e abril a maio de 2023 respectivamente. Para a coleta de dados foram
            utilizados dois instrumentos: um para os juízes e um para o público-alvo. Quanto à validação
            da cartilha, os juízes atribuíram um bom IVC de 0,919. Após a avaliação dos juízes experts
            foram realizadas algumas alterações na cartilha. Na validação clínica realizada pelo públicoalvo, gestantes, obteve um IVC global de 0,913 alcançando o valor necessário para ser validado.
            A versão final foi concluída com 46 páginas, a partir das sugestões feitas pelos juízes experts e
            público-alvo. Conclui-se que a presente tecnologia educativa foi considerada válida tanto pelos
            juízes especialistas como pelo público-alvo, sendo, portanto, considerada uma ferramenta
            relevante na promoção da saúde das gestantes.
            CADA PARTO É UMA HISTÓRIA: CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE CARTILHA EDUCATIVA COMO INSTRUMENTO PARA (RE) SIGNIFICAR O PARTO E NASCIMENTO
            Curso Mestrado em Enfermagem
            Tipo Dissertação
            Data 31/08/2023
            Área ENFERMAGEM
            Orientador(es)
              Coorientador(es)
              Orientando(s)
                Banca
                • Ana Roberta Vilarouca da Silva
                • Bruna Moretti Luchesi Kwiatkoski
                • Mara Cristina Ribeiro Furlan
                • Tatiana Carvalho Reis Martins
                Resumo
                Representações Sociais de Enfermeiros da Atenção Primária à Saúde Sobre os Usuários de Substâncias Psicoativas
                Curso Mestrado em Enfermagem
                Tipo Dissertação
                Data 24/08/2023
                Área ENFERMAGEM
                Orientador(es)
                • Edirlei Machado dos Santos
                Coorientador(es)
                • Hellen Pollyanna Mantelo Cecilio
                Orientando(s)
                • Maria Cristina Sanches Sahli
                Banca
                • Edirlei Machado dos Santos
                • Helca Franciolli Teixeira Reis
                • Mariana Alvina dos Santos
                • Sueli Santiago Baldan
                Resumo A Atenção Primária à Saúde tem um papel significativo na abordagem integral e humanizada aos usuários de álcool e outras drogas. Por meio de uma perspectiva abrangente e multidisciplinar, a APS busca oferecer promoção à saúde, cuidados preventivos e tratamento para aqueles que enfrentam desafios relacionados ao uso de substâncias psicoativas. Entre os profissionais da equipe, encontram-se os enfermeiros que, por meio de uma abordagem humanizada e de escuta atenta, realizam ações de prevenção, tratamento adequado e acompanhamento contínuo. Dada a importância da representação social destes profissionais na Atenção Primária à Saúde, o presente estudo teve como objetivo identificar as representações sociais de enfermeiros sobre os usuários de álcool e outras drogas. Trata-se de uma pesquisa social, a partir de uma investigação de abordagem qualitativa e exploratória, que envolveu a construção de um manuscrito, com referencial teórico apoiado na Teoria das Representações Sociais. Participaram 20 enfermeiros que atuam na Atenção Primária à Saúde do município de Três Lagoas, localizado na região leste do Mato Grosso do Sul, Brasil. A coleta de dados ocorreu por meio de entrevista semiestruturada. Os dados foram analisados à luz da Teoria das Representações Sociais, com auxílio do software IRaMuTeQ (Interface de R pour les Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionnaires), versão 0,7 alpha 2. Foi utilizada a Classificação Hierárquica Descendente (CDH), da qual emergiram as seguintes categorias: (1) Antagonismo na percepção do preconceito; (2) (Des)assistência aos usuários de substâncias psicoativas; (3) Fotografia dos usuários de substâncias psicoativos a partir da lente dos enfermeiros. Observou-se que os usuários de álcool e drogas seguem estigmatizados socialmente e que o preconceito por parte dos enfermeiros é uma questão pertinente e preocupante, que merece atenção no contexto da saúde. Um dos fatores que contribuem para o estigma e o preconceito é a falta de conhecimento e compreensão sobre a natureza complexa da dependência química. Os enfermeiros podem não estar adequadamente qualificados para lidar com questões relacionadas ao uso abusivo álcool e outras drogas e, portanto, suas práticas podem estar pautadas a partir de concepções equivocadas. Diante do exposto, as Representações Sociais dos enfermeiros apontam para necessidade de fortalecimento dos processos formativos, objetivando a criação de um ambiente inclusivo, uma vez que os enfermeiros podem desempenhar um papel fundamental na redução do estigma e na promoção de um atendimento mais humano e efetivo para os usuários de álcool e outras drogas que estão inseridos no território das equipes de Atenção Primária à Saúde.

                FATORES ASSOCIADOS À ANSIEDADE EM PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM ATUANTES EM UMA UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO.
                Curso Mestrado em Enfermagem
                Tipo Dissertação
                Data 11/05/2023
                Área ENFERMAGEM
                Orientador(es)
                • Lucas Gazarini
                Coorientador(es)
                  Orientando(s)
                  • Higor Henrique Alves da Cruz
                  Banca
                  • Edirlei Machado dos Santos
                  • Fernanda Luciano Rodrigues
                  • Lucas Gazarini
                  • Mara Cristina Ribeiro Furlan
                  • Patricia Moita Garcia Kawakame
                  Resumo Introdução: A enfermagem é a ciência e a arte de assistir o ser humano nas suas necessidades
                  básicas, seu principal objetivo é recuperar, manter e promover a saúde por meio da prestação de serviços à pessoa, família e coletividade. Seu campo de atuação é vasto, com o cuidado desde a concepção da vida até a morte nas mais variadas complexidades. A exposição a situações extremas, o alto risco de morte dos pacientes, a rapidez em condutas e tomada de decisão aumentam a demanda psíquica em profissionais de enfermagem voltados ao atendimento de Urgência e Emergência (UE), gerando muito estresse. O esgotamento emocional é o resultado de tais situações, que por sua vez contribuem para o desenvolvimento de transtornos psiquiátricos como a ansiedade. Objetivos: Identificar fatores associados à ansiedade em profissionais de Enfermagem da UE. Métodos: Trata-se de um estudo quantitativo transversal, que teve como cenário a Unidade de Pronto Atendimento do
                  município de Três Lagoas/MS. Os dados foram coletados entre os meses de fevereiro e maio
                  de 2022, com aplicação de escalas psicométricas que avaliam os sintomas de ansiedade, tanto psicológicos (GAD-7) quanto somáticos (PHQ-15), além do questionário estruturado. A amostra foi composta por 110 profissionais assistenciais (auxiliares, técnicos de enfermagem e enfermeiros), que após o preenchimento do questionário, foram divididos em dois grupos de profissionais de perfil de sintomas de ansiedade baixo (n=54) e alto (n=56). Foram realizadas análises de associação e regressão logística com cálculo de razão de probabilidades (Odds ratio, OR) e intervalo de confiança de 95%. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa/UFMS (CAAE 53944321.3.0000.0021, parecer 5.175.675). Resultados: O perfil de sintomas de ansiedade mais graves foi associado ao aproveitamento inadequado do tempo livre com família e amigos [82,1%; OR = 5,9 (1,39–24,88)], à menor compreensão da família sobre as ausências [17,9%; OR = 13,6 (1,35–137,8)], ao menor tempo de atuação na UE [46,4%; OR = 6,7 (0,94–45,31)], ao sedentarismo [73,2%; OR = 46,2 (1,48–1443,6)], a transtornos psiquiátricos diagnosticados previamente [58,9%; OR = 42,2 (6,76–263,1)] e à crença de que o uso de medicamentos psicotrópicos aumenta a chance de erros em procedimentos de enfermagem [92,9%; OR = 49,4 (5,06–482,3)]. O aumento na frequência de atividades físicas semanais foi associado à menor probabilidade de sintomas de ansiedade [OR = 0,3 (0,11–0,86)]. Entre os transtornos psiquiátricos indicados pela amostra, 53,6% foram relacionados à ansiedade e 17,9% à depressão. Embora a ansiedade mais severa tenha sido associada ao sono de má qualidade (91,1%) e à obesidade (19,2%), esses fatores não compuseram o modelo ajustado de regressão logística. Conclusões: Os resultados obtidos vêm ao encontro com vários outros estudos nacionais e internacionais que indicam a presença de sintomas dos transtornos de ansiedade na rotina dos profissionais de urgência e emergência com maior prevalência e trazem uma realidade preocupante que necessita ser prevenida, diagnosticada e tratada urgentemente pelos gestores de saúde e demais autoridades. Em tempos pós-pandemia o tema tem alta relevância, e o desenvolvimento de novos estudos com os profissionais dessa área em locais distintos com novas amostras, podem auxiliar para que intervenções sejam praticadas mudando essa realidade.
                  TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO CULTURAL DA ESCALA “MENSTRUAL PRACTICE NEEDS SCALE (MPNS-36)” PARA O CONTEXTO BRASILEIRO.
                  Curso Mestrado em Enfermagem
                  Tipo Dissertação
                  Data 28/03/2023
                  Área ENFERMAGEM
                  Orientador(es)
                  • Mara Cristina Ribeiro Furlan
                  Coorientador(es)
                    Orientando(s)
                    • EVELLY VITÓRIA AZEVEDO DE SOUZA
                    Banca
                    • Ana Paula de Assis Sales
                    • Bianca Dargam Gomes Vieira
                    • Larissa da Silva Barcelos
                    • Mara Cristina Ribeiro Furlan
                    • Sonia Silva Marcon
                    Resumo Introdução: a menstruação, constitui processo fisiológico e acontece mensalmente. Contudo, muitas vezes, não há condições e ambientes favoráveis para que essas mulheres tenham uma higiene menstrual realizada de maneira digna, seja por falta de dispositivos, saneamento básico, ou água tratada, como em boa parte dos países em desenvolvimento. Entender como se comportam os hábitos e condições de higiene menstrual podem auxiliar no desenvolvimento de políticas públicas voltadas para essa população, além de proporcionar avanços no que diz respeito à saúde de modo geral. Objetivo: realizar a tradução e adaptação transcultural da Menstrual Practice Needs Scale (MPNS-36) para o contexto brasileiro. Material e métodos: Estudo metodológico de tradução e adaptação cultural, composto por sete etapas: tradução; síntese da tradução; retrotradução; síntese da retrotradução; revisão pelo comitê de experts; pré-teste; e submissão e apreciação pela autora da escala original. Resultados: A escala MPNS-36 avalia questões de necessidades menstruais, suas variáveis englobam desde questões de higiene com itens menstruais, a questões de privacidade e autocuidado nesse período do ciclo. Como resultado, obteve-se um Índice De Validade de Conteúdo (IVC) de 96,69. Dos 36 domínios, nenhum recebeu IVC menor que 80%. Quanto às equivalências, semântica recebeu IVC total de 96,53, idiomática, de 94,99, cultural, de 96,75, e conceitual, de 98,48. O pré-teste foi realizado junto a 39 alunas adolescentes de duas escolas públicas do interior do Mato Grosso do Sul. A análise das suas avaliações gerou a versão da MPNS-36 versão brasileira. Submeteu-se a versão final ao autor do estudo original e, após sua apreciação, finalizou-se a etapa de tradução e adaptação transcultural da escala. Conclusão: realizou-se a tradução e adaptação cultural da MPNS-36, que pode ser utilizada para avaliar as práticas e necessidades menstruais de mulheres e adolescentes brasileiras. Além disso, essa escala fornece subsídio para o desenvolvimento de pesquisas semelhantes no Brasil, além de apoio para políticas públicas voltadas à saúde da mulher e população de modo geral.

                    Descritores: Saúde da Mulher. Menstruação. Processo de Tradução. Estudos Transculturais. Produtos de Higiene Feminina.

                    IMPACTO DE UMA INTERVENÇÃO EDUCATIVA NA LIMPEZA E DESINFECÇÃO EM UMA UNIDADE DE SÍNDROME RESPIRATÓRIA
                    Curso Mestrado em Enfermagem
                    Tipo Dissertação
                    Data 28/02/2023
                    Área ENFERMAGEM
                    Orientador(es)
                      Coorientador(es)
                      Orientando(s)
                        Banca
                        • Aires Garcia dos Santos Junior
                        • Álvaro Francisco Lopes de Sousa
                        • Larissa da Silva Barcelos
                        • Mara Cristina Ribeiro Furlan
                        • Patricia Klock
                        Resumo
                        IMPACTO DE UMA INTERVENÇÃO EDUCATIVA NA LIMPEZA E DESINFECÇÃO EM UMA UNIDADE DE SÍNDROME RESPIRATÓRIA
                        Curso Mestrado em Enfermagem
                        Tipo Dissertação
                        Data 28/02/2023
                        Área ENFERMAGEM
                        Orientador(es)
                        • Aires Garcia dos Santos Junior
                        Coorientador(es)
                        • Helder de Padua Lima
                        Orientando(s)
                        • ELAINE MAZUQUI RIGONATO
                        Banca
                        • Aires Garcia dos Santos Junior
                        • Álvaro Francisco Lopes de Sousa
                        • Larissa da Silva Barcelos
                        • Mara Cristina Ribeiro Furlan
                        • Patricia Klock
                        Resumo A preocupação com a contaminação ambiental tem aumentado ao longo dos anos, principalmente com o advento de pandemias, ressaltando a importância da sobrevida dos microrganismos nas superfícies dos serviços de saúde. Dessa maneira, uma estratégia que visa favorecer a prevenção e o controle de infeções passa por um processo de limpeza e desinfecção adequado. Este estudo tem por objetivo avaliar o impacto de uma intervenção educativa no processo de limpeza e desinfecção de uma unidade de síndrome respiratória. Trata-se de um estudo multi-método sequencial realizado em unidade de síndrome respiratória, referência para
                        tratamento de pacientes com COVID-19. As superfícies foram avaliadas segundo os métodos
                        de monitoramento: adenosina trifosfato, unidade formadora de colônias e inspeção visual. Participaram do estudo profissionais da equipe de higienização e limpeza (ensino fundamental
                        e médio) e os profissionais de enfermagem (formação técnica e superior). A intervenção
                        educativa se fundamentou em três eixos: análise dos dados de monitoramento; construção da
                        intervenção educativa baseada na literatura com atualização do protocolo institucional; e padronização das práticas. A pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP)
                        da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Brasil, sob Parecer 4.317.394. Todos os testes
                        estatísticos foram aplicados com nível de significância de 5% ou (P<0,05). No que permeia ao
                        diagnóstico situacional do processo de limpeza e desinfecção, os resultados demostraram que a
                        maioria das superfícies apresentou valores de contagem microbiana acima de 2,5 UFC/cm2
                        tanto antes quanto depois do processo de limpeza e desinfecção, sendo, assim, reprovadas. Após
                        intervenção educativa, observou-se redução das taxas de contaminação das superfícies com
                        inúmeros resultados significativamente estatísticos, para o método de adenosina trifosfato:
                        bancada P=0,030; colchão P=0,014; maçanete P=0,014; poltrona P=0,014. Para o método de
                        contagem de aeróbios totais, também se verificou redução da contaminação de bancada
                        P=0,014, colchão P= 0,014 e maçanete P=0,014. Para o método de inspeção visual, também se
                        observam melhoria de 37,5% de aprovação para as superfícies bancada, poltrona e colchão,
                        após a intervenção educativa. Entre os participantes que responderam ao questionário de
                        satisfação, verificou-se que os níveis mais baixos de motivação no trabalho foram identificados
                        apenas em itens pertencentes à motivação extrínseca, sobretudo no tocante à remuneração
                        recebida. A partir dos dados, é possível identificar melhorias nas taxas de aprovação após a
                        intervenção educativa, sendo possível inferir que a intervenção educativa realizada obteve um
                        resultado satisfatório. Esta pesquisa permitiu contribuir em relação ao monitoramento do
                        processo de limpeza e desinfecção de superfícies em uma unidade de Síndrome Respiratória,
                        referência para ao atendimento a pacientes portadores de COVID-19, desenvolvendo caminhos
                        para as ações de educação permanente junto à equipe e alinhamento de protocolos, utilizando-se métodos objetivos de monitoramento da limpeza. Ressalta-se que o estudo amplia o conhecimento sobre elementos característicos do cotidiano organizacional em serviços de saúde
                        no contexto da pandemia de COVID-19, possibilitando o planejamento de ações que favoreçam as condições de trabalho nessas instituições.

                        Palavras-chave: Infecções; Desinfecção Concorrente; Assistência à Saúde; Serviço de Limpeza.
                        Planejamento Antecipado de Cuidados, sentido da vida e atitute religiosa na Atenção Primária à Saúde: percepções de profissionais de saúde
                        Curso Mestrado em Enfermagem
                        Tipo Dissertação
                        Data 27/02/2023
                        Área ENFERMAGEM
                        Orientador(es)
                          Coorientador(es)
                          Orientando(s)
                            Banca
                            • Aires Garcia dos Santos Junior
                            • ALEXANDRE ERNESTO SILVA
                            • Fabiana Bolela de Souza
                            • Juliana Dias Reis Pessalacia
                            Resumo
                            Planejamento Antecipado de Cuidados, sentido da vida e atitute religiosa na Atenção Primária à Saúde: percepções de profissionais de saúde
                            Curso Mestrado em Enfermagem
                            Tipo Dissertação
                            Data 27/02/2023
                            Área ENFERMAGEM
                            Orientador(es)
                              Coorientador(es)
                              Orientando(s)
                                Banca
                                • Aires Garcia dos Santos Junior
                                • ALEXANDRE ERNESTO SILVA
                                • Fabiana Bolela de Souza
                                • Juliana Dias Reis Pessalacia
                                Resumo
                                Planejamento Antecipado de Cuidados, sentido da vida e atitute religiosa na Atenção Primária à Saúde: percepções de profissionais de saúde
                                Curso Mestrado em Enfermagem
                                Tipo Dissertação
                                Data 27/02/2023
                                Área ENFERMAGEM
                                Orientador(es)
                                • Juliana Dias Reis Pessalacia
                                Coorientador(es)
                                • Bruna Moretti Luchesi Kwiatkoski
                                Orientando(s)
                                • MARCELA TAVARES DE SOUZA RAFAEL
                                Banca
                                • Aires Garcia dos Santos Junior
                                • ALEXANDRE ERNESTO SILVA
                                • Fabiana Bolela de Souza
                                • Juliana Dias Reis Pessalacia
                                Resumo Introdução: A Atenção Primária à Saúde (APS) apresenta diversas características que propiciam a aplicação do Planejamento Antecipado de Cuidados (ACP) em seu contexto, contudo esta abordagem não é utilizada com a frequência adequada. A literatura aponta diversas razões para este fato, entre elas destacamos a falta de conhecimento e a má interpretação acerca do assunto pelos profissionais de saúde. Este motivo pode relacionar-se com o modo em que percebem o sentido da vida e da morte e também à influência dos aspectos religiosos. Objetivo: Analisar as percepções de profissionais de saúde da APS quanto ao ACP, o sentido da vida e as atitudes religiosas. Metodologia: Foi utilizada a Análise por Triangulação de Métodos, cuja primeira etapa consistiu em um estudo transversal analítico, de abordagem quantitativa, no qual os participantes responderam três instrumentos: o Questionário sobre conhecimentos e atitudes sobre Diretivas Antecipadas de Vontade (DAV); o Questionário de Sentido da Vida; e a Escala de Atitude Religiosa (EAR-20). A segunda etapa se tratou de um estudo exploratório, utilizando como método a abordagem qualitativa genérica, sobre o conhecimento dos participantes acerca do ACP e as percepções sobre o sentido da vida e da morte, e a influência desses últimos na aplicação do ACP. A pesquisa foi realizada entre dezembro de 2021 e maio de 2022, com profissionais enfermeiros e médicos que atuam na APS das cidades de Castilho-SP e Três Lagoas-MS. Os dados quantitativos foram processados e analisados por meio do programa R Core Team-2020. Quanto aos dados qualitativos, foram analisados por meio da Análise de Conteúdo de Bardin, em que se utilizou como referencial teórico para a discussão a Logoterapia e a Análise Existencial, propostos por Viktor Frankl. O projeto foi aprovado pelo comitê de ética em pesquisa da instituição proponente, CAAE: 52451221.2.0000.0021. Resultados: Participaram da etapa quantitativa 110 profissionais, sendo 55 médicos e 55 enfermeiros. A maioria (79,1%) afirmou não ter conhecimento sobre as DAV e os escores médios dos componentes de opinião e de recomendação e respeito foram superiores a oito (escala 0-10). Foram identificadas correlações significativas entre o componente busca de sentido da vida e a recomendação de DAV aos familiares; busca de sentido da vida e componentes afetivo e cognitivo da atitude religiosa e atitude religiosa total com a intenção de fazer sua própria DAV no próximo ano. Quanto à etapa qualitativa, cuja delimitação de participantes se deu por conveniência, foram 30 médicos e 22 enfermeiros entrevistados. Das falas dos profissionais foram produzidos dois artigos. Do primeiro emergiram duas categorias temáticas: 1) Planejamento Antecipado de Cuidados como plano de cuidados gerais e 2) influência dos fatores socioculturais na aplicação do Planejamento Antecipado de Cuidados na Atenção Primária à Saúde. No segundo, a partir dos relatos dos participantes emergiram três categorias principais: 1) Sentido da Vida, 2) Sentido da Morte, e 3) Influências nas conversas de Planejamento Antecipado de Cuidados. Conclusão: As percepções dos profissionais participantes demonstram falta de preparo para a aplicação das DAV, não pela falta de entendimento da importância desta ferramenta, mas pelo déficit de conhecimento necessário para sua aplicação. Constatou-se ainda que as crenças religiosas e o sentido da vida podem influenciar no uso das intervenções de ACP, no entanto, se faz importante estabelecer limites entre a influência e a bagagem cultural trazida pelos profissionais. Dessa forma, o desenvolvimento de políticas públicas que fomentem cursos de capacitação aos profissionais da APS sobre ACP, Cuidados Paliativos e conversas difíceis voltadas à morte e o morrer são necessárias.

                                Palavras-chave: Atenção Primária à Saúde. Planejamento Antecipado de Cuidados. Diretiva Antecipada de Vontade. Cuidados Paliativos. Profissionais de Saúde. Enfermagem de Atenção Primária.
                                AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO COGNITIVO EM IDOSOS COM HIPERTENSÃO ARTERIAL NO MUNICÍPIO DE TRÊS LAGOAS/MS: ASSOCIAÇÃO COM VARIÁVEIS SOCIODEMOGRÁFICAS E DE SAÚDE.
                                Curso Mestrado em Enfermagem
                                Tipo Dissertação
                                Data 27/02/2023
                                Área ENFERMAGEM
                                Orientador(es)
                                • Fernanda Luciano Rodrigues
                                Coorientador(es)
                                  Orientando(s)
                                  • CAROLINE BORGES CORRÊA
                                  Banca
                                  • Danielle Cristina Tonello Pequito
                                  • Edirlei Machado dos Santos
                                  • Fernanda Luciano Rodrigues
                                  • Lucas Gazarini
                                  • Mariana Alvina dos Santos
                                  Resumo A prevalência de Hipertensão Arterial (HA) na população idosa é alta, chegando a 65% no Brasil. Visto que as taxas de incidência também são elevadas, a HA é considerada o principal fator de risco para outras morbidades cardiovasculares, cerebrovasculares e renais. O cérebro dos idosos hipertensos, a longo prazo, apresenta alterações vasculares significativas, como a rarefação microvascular, o aumento das regiões isquêmicas e hipoperfusão da substância branca, que podem culminar para o déficit cognitivo. O presente estudo teve como objetivo avaliar a prevalência de déficit cognitivo em idosos com HA do município de Três Lagoas/MS, acompanhados na Atenção Primária à Saúde, e associar com variáveis sociodemográficas e de saúde. Neste estudo epidemiológico, transversal com dados primários, realizou-se entrevistas com 376 idosos com HA em acompanhamento na Atenção Primária à Saúde do município de Três Lagoas/MS. O International Physicl Activity Questionnaire (IPAQ), o Mini Exame do Estado Mental (MEEM) e um questionário elaborado com dados sociodemográficos e de saúde foram utilizados. Do total de idosos hipertensos avaliados, 41,8% (IC95% = 36,9 – 46,8) apresentaram pontuação indicativa de alteração cognitiva, após a aplicação do MEEM. Na aplicação do IPAQ, 54,5% dos idosos foram classificados como fisicamente inativos. Na comparação dos grupos com e sem indicativos de alteração cognitiva, observou-se diferença significativa para as variáveis idade (p=0,001), trabalho (p=0,015), tempo de diagnóstico (p=0,006), quem separa o medicamento (p=0,001) e atividade física (p=0,017). No modelo final de regressão, observou-se diferenças significativas entre os grupos para as variáveis idade (odds ratio=1,03), tempo de diagnóstico (odds ratio=1,74) e quem separa o medicamento do idoso (odds ratio=2,42). Pode-se concluir que idosos hipertensos do município de Três Lagoas apresentam índices relevantes de déficit cognitivo, o qual parece estar associado com a idade elevada, maior tempo de diagnóstico e ter os medicamentos separados por outras pessoas.
                                  Descritores: Hipertensão; envelhecimento; cognição; enfermagem geriátrica.
                                  CONHECIMENTO E ADESÃO DOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM EM RELAÇÃO AS PRECAUÇÕES PADRÃO: UMA INTERVENÇÃO EDUCATIVA
                                  Curso Mestrado em Enfermagem
                                  Tipo Dissertação
                                  Data 15/12/2022
                                  Área ENFERMAGEM
                                  Orientador(es)
                                  • Aires Garcia dos Santos Junior
                                  Coorientador(es)
                                    Orientando(s)
                                    • Natália Liberato Norberto Angeloni
                                    Banca
                                    • Aires Garcia dos Santos Junior
                                    • Álvaro Francisco Lopes de Sousa
                                    • Larissa da Silva Barcelos
                                    • Mara Cristina Ribeiro Furlan
                                    • Marília Duarte Valim
                                    Resumo A aplicação de instrumentos que mensurem os aspectos relacionados tanto ao conhecimento quanto na adesão dos profissionais de enfermagem em relação às precauções padrão deve ser utilizada na perspectiva de propor ações educativas que visem dirimir eventuais lacunas. Frente a isso, este estudo avaliou o conhecimento e a adesão autorreferida pelos profissionais de enfermagem em relação às precauções padrão antes e após uma intervenção educativa. Trata-se de uma pesquisa quase-experimental, do tipo antes e depois, de uma intervenção educativa com grupo único. Participaram do estudo 100 profissionais de enfermagem que atuavam em uma instituição hospitalar, referência dentro do Sistema Único de Saúde para 10 municípios no estado de Mato Grosso do Sul. Utilizaram-se um instrumento de caracterização sociodemográfica, um questionário de avaliação do conhecimento sobre às precauções padrão (QCPP) e a escala Compliance with Standard Precautions Scale (CSPS), para verificar a adesão às precauções padrão. Todos os testes estatísticos foram aplicados com nível de significância de 5% ou p<0,05, sendo eles teste de Wilcoxon, para avaliar possíveis diferenças significativas. teste de Mann-Whitney e Kruskal-Wallis, para avaliar possíveis diferenças de postos entre as variáveis numéricas independentes, teste de normalidade Komolgorov-Smirnov, Teste Qui-Quadrado de independência para variáveis categóricas, Spearman para as pontuações antes e depois, teste de normalidade Komolgorov-Smirnov e o teste de Levene para homoscedasticidade, teste Q de Cohrane para mensurar diferenças proporcionais de cada item dos questionários, teste de McNemar-Bowker e o software Statistical Package for the Social Science (SPSS), versão 20.0. O estudo foi aprovado pelo Comitê de ética em Pesquisa da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, sob o parecer nº 4.218.227. Os resultados apontam que a maioria dos participantes eram do sexo feminino (85,9%), sendo 77,8% técnicos de enfermagem. Quanto à idade, a maioria 71,9% possuía entre 20 e 40 anos. Em relação à mensuração do conhecimento autorreferido, foi possível verificar que houve diferença significativa entre os escores dos profissionais de saúde antes (16,20 ± 1,51) e após (16,90 ± 1,31) a intervenção educativa (W=3,336; p < 0,05). Em relação ao conhecimento sobre a higiene das mãos após uso de luvas, verificou-se que após a intervenção houve um aumento estatisticamente significativo p-valor (0,033) para essa questão. Sobre a avaliação da adesão autorreferido, observou-se que houve diferença estatística antes (15,29 ± 2,23) e após (16,48 ± 1,98) a intervenção educativa (W= -4,443; p < 0,05). Em relação as questões sobre descarte da caixa de perfurocortante e retirada de equipamentos de proteção individual, observou-se aumento de acerto estaticamente significativo após a intervenção educativa com p-valor (0,023) e p-valor (0,034) respectivamente para cada item. O desenvolvimento de intervenções educativas junto à equipe é uma estratégia na melhoria do conhecimento e adesão dos profissionais em relação às precauções padrões. Conclui-se que a intervenção educativa teve efeito positivo no conhecimento e adesão em relação às precauções padrão possibilitando uma reflexão acerca da forma ao qual os equipamentos de proteção individual foram utilizados pelos profissionais de enfermagem durante assistência prestada a pacientes com COVID-19 e assim contribuindo nos avanços para a ciência da enfermagem em relação ao fortalecimento dos conhecimentos relacionados com práticas seguras nos serviços de saúde. Cabe destacar que a vertente do conhecimento é precursora de uma assistência segura, contudo torna-se necessário ampliar essa reflexão não apenas em uma perspectiva autorreferida, mas também considerar a implementação prática desse conhecimento com o desenvolvimento de novas pesquisas de caráter observacional.
                                    Descritores: Precauções Universais. Profissionais de Enfermagem. Segurança do Paciente. Infecção Hospitalar. Equipamento de Proteção Individual. Conhecimento.
                                    Análise da cultura de segurança e do ambiente de trabalho dos profissionais de enfermagem em um hospital de médio porte
                                    Curso Mestrado em Enfermagem
                                    Tipo Dissertação
                                    Data 17/10/2022
                                    Área ENFERMAGEM
                                    Orientador(es)
                                    • Larissa da Silva Barcelos
                                    Coorientador(es)
                                    • Mara Cristina Ribeiro Furlan
                                    Orientando(s)
                                    • CÁTIA TEIXEIRA DA ROCHA VANZELLA
                                    Banca
                                    • Aires Garcia dos Santos Junior
                                    • Beatriz Maria Jorge
                                    • Larissa da Silva Barcelos
                                    • Luciana Contrera
                                    • Verusca Soares de Souza
                                    Resumo O ambiente hospitalar propício à realização das práticas da equipe de enfermagem é considerado essencial para que haja satisfação dos profissionais que ali atuam e se atinja uma cultura de segurança favorável. Conhecer a percepção dos profissionais de enfermagem, em relação ao seu ambiente de trabalho, é primordial, pois possibilita que gestores estabeleçam estratégias para melhoria dos fatores estressores e, consequentemente, promovam um cuidado seguro para os pacientes e seus familiares. O objetivo deste estudo foi analisar a cultura de segurança e o ambiente de trabalho dos profissionais de enfermagem de um hospital de médio porte. Estudo observacional, transversal, descritivo com abordagem quantitativa. A pesquisa foi realizada nas unidades assistenciais de um hospital de média complexidade, localizado no município de Três Lagoas, região leste do estado de Mato Grosso do Sul, utilizando-se os instrumentos (1) caracterização sociodemográfica e profissional; (2) Nursing Work Index (NWI-R) enfermeiros; (3) Nursing Work Index (NWI-R) para auxiliares e técnicos de enfermagem; (4) Hospital Survey on Patient Safety Cultura (HSOPSC). Os dados foram coletados no período de outubro de 2021 a fevereiro de 2022, sendo o universo deste estudo composto por profissionais da equipe de enfermagem, que trabalhavam com cuidados de enfermagem diretos a pacientes e/ou eram coordenadores/supervisores de unidades assistenciais. A amostra final foi composta por 51 participantes, dos quais 14 eram enfermeiros e 37, Técnicos/Auxiliares de Enfermagem (TE/AE). Os dados obtidos foram analisados pelo software livre R (version 4.1.1), entretanto a análise estatística principal utilizada foi do tipo descritiva. Realizou-se a comparação entre os escores obtidos por enfermeiros e TE/AE para cada subescala do NWI-R por meio do teste não paramétrico de Mann-Whitney. A avaliação do instrumento NWI-R se deu por referência, sendo que valores iguais ou menores que 2,5 indicam ambiente favorável à prática. Já no HSOPSC, a avaliação foi realizada considerando-se como dimensão fortalecida aquela que apresenta resposta positiva maior ou igual a 75% e dimensão fragilizada, aquela em que a porcentagem das respostas positivas é menor ou igual a 50%. O ambiente de trabalho, na percepção dos profissionais de enfermagem, foi considerado desfavorável, uma vez que a média geral das subescalas foi de 2,6. As subescalas autonomia e suporte organizacional receberam pontuação maior entre os profissionais de enfermagem, assumindo, respectivamente, a média de 2,61 e 2,63. Já “controle do ambiente” foi avaliado positivamente, 2,5. Na comparação entre as respostas obtidas pelas categorias profissionais estudadas, não houve diferença estatística significativa. No que se refere à Cultura de Segurança do Paciente (CSP), nenhuma dimensão foi identificada como fortalecida na instituição (>75%) e, das 12 dimensões avaliadas, observou-se que as dimensões “trabalho em equipe”, “expectativas e ações da direção/supervisão da unidade/serviço que favorecem a segurança”, “aprendizagem organizacional/melhoria continuada”, “apoio da gerência do hospital para a segurança do paciente” e “frequência dos eventos notificados” apresentaram percentual >50% e possuem potencial de melhoria, após implementação de medidas que promovam a segurança do paciente. Os resultados obtidos indicam que o ambiente de trabalho e a CSP da instituição estudada encontram-se desfavoráveis, na percepção dos profissionais de enfermagem. Acredita-se que lideranças ativas sejam fundamentais para que mudanças positivas aconteçam dentro do ambiente hospitalar, bem como para instalação de uma CSP favorável.

                                    Avaliação de contatos de pessoas com Tuberculose pulmonar no município de Três Lagoas, MS
                                    Curso Mestrado em Enfermagem
                                    Tipo Dissertação
                                    Data 30/09/2022
                                    Área ENFERMAGEM DE DOENÇAS CONTAGIOSAS
                                    Orientador(es)
                                    • Anneliese Domingues Wysocki
                                    Coorientador(es)
                                    • Priscila Fernanda Porto Scaff Pinto
                                    Orientando(s)
                                    • DEMILSON CORDEIRO DA SILVA
                                    Banca
                                    • Anneliese Domingues Wysocki
                                    • Camila Silveira Silva Teixeira
                                    • Edirlei Machado dos Santos
                                    • Gabriela Tavares Magnabosco
                                    • Maria Amélia Zanon Ponce da Rocha
                                    Resumo O Ministério da Saúde tem como objetivo reduzir a incidência e mortalidade pela tuberculose e, para isso, estabelece como uma das estratégias a avaliação dos contatos que convivem regularmente com a pessoa que tem o diagnóstico da doença. O objetivo deste estudo foi descrever a avaliação dos contatos domiciliares de pessoas com tuberculose pulmonar pelos serviços de Atenção Primária à Saúde. Trata-se de um estudo transversal e exploratório, realizado em Três Lagoas, Mato Grosso do Sul. A população de estudo foi composta por todos os contatos domiciliares das pessoas diagnosticadas com tuberculose pulmonar no município entre 2018 e 2020. Foi desenvolvido um instrumento estruturado com variáveis sociodemográficas e clínicas para os casos índice e contatos, bem como das condutas tomadas pelos profissionais da saúde frente aos contatos identificados. Os dados foram extraídos de fontes secundárias e analisados por meio de estatística descritiva (distribuição de frequências absolutas e relativas), teste de Qui-quadrado de Pearson ou teste exato de Fisher. Esses dois últimos testes foram utilizados para verificar a associação entre as condutas tomadas frente aos contatos e o tipo de serviço de saúde que acompanhava o caso índice (Unidade Básica de Saúde ou Unidade de Saúde da Família). Dentre 246 contatos registrados nos prontuários de 92 casos índice de tuberculose do município, 243 (98.8%) foram incluídos no estudo, dos quais 24 (9,9%) tinham menos de dez anos de idade e 219 (90,1%) tinham idade igual ou superior a dez anos. Dentre os contatos com menos de dez anos, dez (41,7%) foram avaliados clinicamente e considerados assintomáticos. Dentre estes, dois (20,0%) não realizaram nenhum exame, quatro (40,0%) apenas a radiografia e quatro (40,0%) a radiografia e a prova tuberculínica, sendo não reagentes para o Mycobacterium Tuberculosis. Dentre os contatos com idade igual ou maior a dez anos, 163 (74,4%) foram avaliados clinicamente, dos quais 30 (18,4%) foram considerados sintomáticos. Dentre estes, um (3,6%) não realizou nenhum exame, dois (6,7%) apenas a radiografia, 25 (83,3%) a radiografia e a baciloscopia de escarro e dois (6,7%) realizaram estes dois exames e a prova tuberculínica. Dentre os contatos sintomáticos, 18 (60,0%) receberam o diagnóstico de TB ativa e nenhum de infecção latente. Quanto aos contatos assintomáticos (n=133), 14 (10,5%) não realizou nenhum exame, 96 (72,2%) realizaram apenas a radiografia, um (0,8%) apenas a prova tuberculínica, 18 (13,0%) a radiografia e a prova tuberculínica, três (2,3%) a radiografia e a baciloscopia de escarro e um (0,8%) realizou estes dois exames e a prova tuberculínica. Das 20 pessoas que realizaram a prova tuberculínica, duas foram reagentes (10%) e completaram o tratamento para ILTB. Não houve associação estatisticamente significativa entre Unidades Básicas de Saúde e Unidades de Saúde da Família em relação às condutas tomadas frente aos contatos identificados. Dessa forma, observou-se uma inobservância ao protocolo proposto para avaliação dos contatos assintomáticos, em função da baixa realização da prova tuberculínica e priorização da radiografia de tórax. Para os sintomáticos, foram priorizadas a baciloscopia de escarro e a radiografia de tórax, conforme preconizado pelo Ministério da Saúde, o que garantiu o diagnóstico da doença em cerca de metade destes contatos.

                                    Palavras-chave: Tuberculose, Busca de Comunicante, Saúde Pública.
                                    SINTOMAS DEPRESSIVOS E SOLIDÃO EM ADULTOS E IDOSOS
                                    Curso Mestrado em Enfermagem
                                    Tipo Dissertação
                                    Data 30/06/2022
                                    Área ENFERMAGEM PSIQUIÁTRICA
                                    Orientador(es)
                                    • Tatiana Carvalho Reis Martins
                                    Coorientador(es)
                                      Orientando(s)
                                      • Claudinéia Macedo
                                      Banca
                                      • Bianca Cristina Ciccone Giacon Arruda
                                      • Fernanda Marques da Costa
                                      • Hellen Pollyanna Mantelo Cecilio
                                      • Lucas Gazarini
                                      • Tatiana Carvalho Reis Martins
                                      Resumo A depressão é o transtorno mental mais frequente na população em todo o mundo. Diversos
                                      estudos apontam para a relação entre sintomas depressivos e solidão, apresentando-se de
                                      forma bidirecional, uma vez que situações de vida que causam a solidão predispõem o
                                      aparecimento dos sintomas depressivos bem como estes causam o isolamento social do
                                      indivíduo ocasionando-lhe a solidão. O objetivo geral deste estudo é avaliar os sintomas
                                      depressivos e a solidão em adultos acima de 45 anos e idosos cadastrados em Unidades de
                                      Saúde da Família do município de Três Lagoas/MS e seus resultados foram divididos em dois
                                      artigos. Artigo 1: Objetivou identificar os fatores associados ao surgimento e à piora dos
                                      sintomas depressivos entre adultos mais velhos e idosos cadastrados em Unidades de Saúde
                                      da Família, em um período de dois anos, antes e durante a pandemia. Trata-se de um estudo
                                      longitudinal prospectivo e analítico, realizado com 91 adultos (45-59 anos) e 110 idosos (≥60
                                      anos) cadastrados nas Unidades Básicas de Saúde do município de Três Lagoas-MS. A coleta
                                      de dados na linha de base ocorreu em 2018/2019 e a primeira onda em 2021. Foram coletadas
                                      variáveis sociodemográficas, de saúde e comportamentais. A sintomatologia depressiva foi
                                      avaliada por meio da Center for Epidemiological Studies-Depression (CES-D). Foram
                                      estimados modelos de regressão logística simples para cada variável independente e os
                                      desfechos. Permaneceram no modelo final as variáveis p≤0,05. A prevalência de sintomas
                                      depressivos entre os adultos e idosos foi de 55,2% (IC95%: 48,3% - 62,1%) na primeira
                                      avaliação e de 51,7% (IC95%: 44,8% - 58,6%) na segunda avaliação. A chance de surgimento
                                      de sintomas depressivos foi significativamente maior entre os homens (OR=2,20, IC95%:
                                      1,02-4,74), pessoas com renda familiar menor que um salário-mínimo (OR=3,37, IC95%:
                                      1,22-9,26), com mais de quatro anos de estudo (OR=2,65, IC95%: 1,16-6,04) e que utilizam
                                      menos medicamentos (OR=6,43, IC95%: 1,35-30,56). Já a chance de aumento nos escores de
                                      sintomas depressivos foi significativamente maior entre os participantes que utilizam menos
                                      medicamentos (OR=4,12, IC95%: 1,46-11,62), fisicamente ativos (OR: 2,18, IC95%: 1,20-
                                      3,98) e que não participam de grupos sociais (OR: 2,10, IC95%: 1,15-3,83). Artigo 2:
                                      Objetivou conhecer a prevalência e os fatores associados à solidão em adultos mais velhos e
                                      idosos residentes na comunidade durante a pandemia da COVID-19. Trata-se de um estudo
                                      transversal, com amostragem por conveniência, realizado em Três Lagoas (MS). A coleta de
                                      dados ocorreu em 2021. Foram avaliados indivíduos de ambos os sexos, com idades a partir
                                      de 45 anos, cadastrados em Unidades de Saúde da Família do município. Para a coleta de
                                      dados foi utilizado um questionário estruturado contendo questões sociodemográficas, de
                                      saúde e de rede de apoio social. A variável dependente solidão foi avaliada pela Escala
                                      Brasileira de Solidão UCLA (UCLA-BR). Os dados foram analisados por meio de um modelo
                                      de regressão logística múltiplo. Participaram do estudo 215 pessoas, com predomínio de
                                      idosos e do sexo feminino. No modelo final, permaneceram como fatores associados ao
                                      desfecho: ter 60 anos ou mais (OR=1,89, IC95%: 1,02-3,52) e ter sintomas depressivos
                                      (OR=6,90, IC95%: 3,74-12,70).
                                      Saúde mental na unidade de pronto atendimento: conhecimentos e práticas de enfermeiros
                                      Curso Mestrado em Enfermagem
                                      Tipo Dissertação
                                      Data 30/06/2022
                                      Área ENFERMAGEM PSIQUIÁTRICA
                                      Orientador(es)
                                      • Edirlei Machado dos Santos
                                      Coorientador(es)
                                      • Anneliese Domingues Wysocki
                                      Orientando(s)
                                      • ANNA CARLA BENTO SABEH
                                      Banca
                                      • Claudinei José Gomes Campos
                                      • Edirlei Machado dos Santos
                                      • Helca Franciolli Teixeira Reis
                                      • Hellen Pollyanna Mantelo Cecilio
                                      • Mariana Alvina dos Santos
                                      Resumo A Reforma Psiquiátrica Brasileira promoveu mudanças históricas no modelo de atenção a saúde às pessoas com transtornos mentais, tendo como importante marco a criação da Rede de Atenção Psicossocial, que diversificou os pontos de atenção à este público. No âmbito da urgência e emergência, tais atendimentos devem ser realizados por todos os equipamentos de saúde que constituem a Rede de Urgência e Emergência, inclusive a Unidade de Pronto Atendimento, a qual é o cenário deste estudo. Dentre a equipe multiprofissional atuante neste espaço, destaca-se o enfermeiro pelo seu papel fundamental e atribuições específicas neste tipo de atendimento. Neste trabalho, pretendeu-se compreender o conhecimento (saber) e as práticas (fazer) de enfermeiros sobre o cuidado em saúde mental no contexto da Unidade de Pronto Atendimento. Trata-se de uma pesquisa que envolveu a construção de um manuscrito de revisão integrativa da literatura acerca do estado da arte do objeto de estudo e outro de abordagem qualitativa com recorte exploratório, em que se empregou o estudo de caso como referencial metodológico e, como referencial teórico, a Teoria das Representações Sociais. No estudo de revisão integrativa foram selecionadas 56 referências e na pesquisa de campo houve a participação de 22 enfermeiros que integram o quadro de servidores da Unidade de Pronto Atendimento do município de Três Lagoas, estado de Mato Grosso do Sul. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas a partir de um instrumento de coleta de dados semiestruturado. Os dados da revisão integrativa possibilitaram a construção de seis categorias:1- Características das concepções em saúde mental; 2- Características da comunicação; 3- Características das intervenções; 4- Características do atendimento em rede; 5- Características da competência em cuidado em saúde mental e; 6- Características das barreiras durante os atendimentos . Os dados oriundos do trabalho de campo foram analisados à luz da Teoria das Representações Sociais com auxílio do software IRaMuTeQ (Interface de R pour les Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionnaires) versão 0,7 alpha 2, possibilitando a das seguintes categorias: a) “A tortuosidade da Rede de Atenção Psicossocial: em busca de um caminho”; b) “O abismo entre o profissional de saúde e a pessoa com transtorno mental” e; c) “Desvelando o cuidado dos enfermeiros da Unidade de Pronto Atendimento em saúde mental”. Observou-se um desconhecimento importante sobre a Rede de Atenção Psiscossocial, falta de aproximação com aspectos próprios do campo da saúde mental em seus processos de trabalho, o desencadeamento de sentimentos negativos, a fragilidade nos processos formativos e o uso de contenção física, química e mecânica como possibilidades de atenção à pessoa com transtorno mental. Ademais, foram percebidas potencialidades para a produção de um cuidado em saúde mental a partir de tentativas para alcançar o melhor atendimento possível dentro das condições existentes no cenário de atuação e o estabelecimento de uma comunicação efetiva com o usuário e com seus familiares. Desta forma, foi possível conhecer os elementos cognitivos presentes nas representações sociais dos enfermeiros acerca das possibilidades e concretudes cotidianas relacionadas ao cuidado em saúde mental na Unidade de Pronto Atendimento, o que traz possibilidades para se (re)pensar as práticas em saúde mental que têm sido produzidas e o aperfeiçoamento de estratégias nos modos de trabalho dos enfermeiros participantes da pesquisa.
                                      Página 1 de 2 (20 de 37 registros).