Doutorado em Ciências Veterinárias

Atenção! O edital referente ao processo seletivo e arquivos pertinentes ao curso estão disponíveis no site do curso.
Os resultados dos processos seletivos serão divulgados no site do curso.

Trabalhos

Trabalhos Disponíveis

TRABALHO Ações
ALTERNATIVAS PARA CORREÇÃO DE FATORES LIMITANTES E ALTERNATIVAS PARA O AUMENTO DA EFICIÊNCIA DO DIAGNÓSTICO NOS LABORATÓRIOS DE DIAGNÓSTICO VETERINÁRIO
Curso Doutorado em Ciências Veterinárias
Tipo Tese
Data 26/04/2024
Área MEDICINA VETERINÁRIA
Orientador(es)
  • Ricardo Antonio Amaral de Lemos
Coorientador(es)
    Orientando(s)
    • Carolina de Castro Guizelini
    Banca
    • Camila Hamond Regua Motta Reis
    • Caroline da Silva Silveira
    • Rayane Chitolina Pupin
    • Ricardo Antonio Amaral de Lemos
    • Saulo Petinatti Pavarini
    • Tatiane Cargnin Faccin
    Resumo O controle das doenças desempenha um papel relevante para o aumento da produtividade nas propriedades de criação de bovinos. Para que este controle seja eficiente, é necessário que o diagnóstico de doenças seja preciso, e isso só é possível, a partir da utilização de um sistema integrado de diagnóstico, dentro do qual se destacam os Laboratórios de Diagnóstico Veterinário (LDVs), que são responsáveis pelo diagnóstico de diversas enfermidades. A identificação das causas de diagnósticos inconclusivos por parte das equipes dos LDVs constitui uma importante medida analítica que permite reconhecer erros pré-analíticos e após o exame histopatológico, para que seja possível elaborar medidas que minimizem tais erros ou equívocos cometidos, principalmente, durante a necropsia, pois o diagnóstico de diversas doenças só é possível quando ela é realizada de forma completa. O objetivo deste estudo foi identificar pontos críticos na rotina dos laboratórios de diagnóstico veterinário e formular métodos para sua correção. Para atende-lo, o trabalho foi dividido em três etapas: a) estudos retrospectivo e prospectivo das causas de diagnóstico inconclusivo no Laboratório de Anatomia Patológica (LAP) da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, durante janeiro a maio de 2020 e junho de 2020 a dezembro de 2023, respectivamente; b) revisão de literatura para estratificação das causas de diagnóstico inconclusivo nos LDVs localizados no Brasil; e c) preparação do livro denominado “Conduta diagnóstica de doenças de bovinos – Guia Prático”, publicado pela Editora Life em 2022. Durante janeiro de 2020 a dezembro de 2023, foram protocolados laudos oriundos de 1368 amostras de tecidos de bovinos. Desses, 543 (39,7%) resultaram em diagnósticos inconclusivos, dentre os quais 91,1% e 8,9% dos diagnósticos inconclusivos ocorreram quando médicos veterinários externos ao LAP e médicos veterinários da equipe do LAP realizaram a necropsia, respectivamente, e que 44,5% de todas as amostras encaminhadas por veterinários externos ao LAP foram inconclusivas, enquanto 18,7% dos animais necropsiados pela equipe da Instituição não possuem diagnóstico definitivo. Amostras encaminhadas de forma incompleta foi o principal motivo que resultou nos diagnósticos inconclusivos. Na revisão bibliográfica, a quantidade de diagnósticos inconclusivos variou entre 2,9% e 58,23% e foi maior quando médicos veterinários externos ao LDV realizou a necropsia; o principal motivo dos diagnósticos inconclusivos foi semelhante ao encontrado no presente estudo. As principais falhas que induzem a erros no diagnóstico e à impossibilidade na realização do diagnóstico são as pré-analíticas, especialmente, o desconhecimento por parte dos profissionais em relação à coleta e acondicionamento de amostras de tecidos durante a necropsia, e ao reconhecimento de lesões macroscópicas. A elaboração de materiais práticos voltados ao diagnóstico e que têm como objetivo auxiliar médicos veterinários que atuam diretamente no campo a se aperfeiçoarem nas práticas de diagnóstico a campo, como o Guia Prático desenvolvido neste estudo, constitui uma das maneiras que podem reduzir os prejuízos causados pela morte de bovinos.
    COMBINAÇÃO DE LACTONAS MACROCÍCLICAS: UMA FORMULAÇÃO ANTI-HELMÍNTICA SINÉRGICA
    Curso Doutorado em Ciências Veterinárias
    Tipo Tese
    Data 15/04/2024
    Área MEDICINA VETERINÁRIA
    Orientador(es)
    • Fernando de Almeida Borges
    Coorientador(es)
      Orientando(s)
      • Matheus Takemi Muchon Nakatani
      Banca
      • Carlos Alexandre Carollo
      • Dyego Goncalves Lino Borges
      • Fernando de Almeida Borges
      • Fernando Paiva
      • Ricardo Antonio Amaral de Lemos
      Resumo O sinergismo de diferentes combinações pode estender a vida útil das lactonas macrocíclicas (LMs), sendo necessário determinar as proporções ótimas in vitro e comprovar o efeito sinérgico in vivo. O presente trabalho teve como objetivos: (i) determinar, in vitro, as proporções ótimas das combinações ABA+EPR+IVM, EPR+MOX e IVM+MOX, (ii) determinar qual é a melhor combinação, (iii) determinar a dose terapêutica mínima efetiva da melhor combinação, (iv) confirmar a dose terapêutica mínima efetiva e (v) determinar se há relação entre perfil de expressão de glicoproteínas-P (gp-P) e sinergismo entre LMs contra L3 de H. contortus. No teste in vitro foi utilizado uma cepa de H. contortus resistente à IVM, as combinações foram avaliadas utilizando matrizes com 49 e 126 pontos experimentas, reproduzidos em duplicata, sendo utilizados quatro modelos matemáticos de análise (ZIP, BLISS, LOEWE e HSA). Todos os testes in vivo foram executados em três fazendas (A, B e C), a etapa de seleção da melhor combinação foi realizada nas fazendas A e B, a determinação da dose foi realizada na fazenda A e a confirmação da dose foi executada nas fazendas A, B e C. Na primeira etapa os animais foram divididos entre sete grupos (n = 7 ou 9), tratados com LMs combinadas e não-combinadas, via injetável, 200 μg/kg. Na segunda etapa foram formados cinco grupos (n = 10), tratados com a combinação IVM+MOX, via oral, na dose total de 200, 400, 600, 800 e 1000 μg/kg. Na terceira etapa foram formados três grupos (n = 10), tratados com IVM, MOX e IVM+MOX, via oral, 1000 μg/kg. Em todas as etapas os animais foram divididos entre os grupos utilizando o delineamento em blocos casualizados, de acordo com a contagem de OPG. Amostras de fezes, utilizadas nas contagens de OPG e nas coproculturas, foram coletadas dois dias antes do tratamento (D-2) e no 7º ou 14º dia pós tratamento (D+7 e D+14), dependendo da via de administração utilizada, para o cálculo da eficácia. Para a análise de expressão de P-gps foram utilizadas L3 migrantes e não-migrantes da cepa de H. contortus resistente à IVM, submetidas aos tratamentos IVM, MOX e IVM+MOX. Foi avaliada a expressão de 10 genes P-gp (Hco-pgp-1, 2, 3, 4, 9, 10, 11, 12, 14 e 16) em conjunto a dois genes constitutivos (FAR e POL II). Nos testes in vitro, pelos modelos ZIP e BLISS não foi observada interação significativa (p>0,05), pelo modelo LOEWE apenas EPR+MOX e IVM+MOX não demonstraram efeito significativo (p>0,05), enquanto que pelo modelo HSA todas as combinações apresentaram sinergismo significativo (p<0,05). A partir da análise do score de sinergismo dos pontos experimentais avaliados foi possível determinar a proporção ótima e aplicável para cada combinação. Na etapa de seleção da melhor combinação, na Fazenda A, com uma população de NGIs resistente às LMs, foi observado sinergismo de todas as combinações, sendo a combinação IVM+MOX a que apresentou maior eficácia observada (61,7%), sendo esperado uma eficácia de apenas 8,56%. Na Fazenda B, com uma população extremamente resistente às LMs, não foi observado sinergismo das combinações, sendo que, a eficácia de todas as formulações ficou abaixo dos 3,4%. Na determinação da dose 1000 μg/kg foi a que apresentou maior eficácia (60,2%), sendo a única a diferir significativamente das doses 200 e 400 μg/kg. Na confirmação da dose, em todas as fazendas, a combinação IVM+MOX (64,77%) apresentou eficácia significativamente superior à MOX (45,4%) e IVM 44 (19,52%). Com exceção da Fazenda B na primeira etapa, as combinações demonstraram sinergismo contra todos os gêneros (Haemonchus sp., Cooperia sp., Trichostrongylus sp. e Oesophagostomum sp.), sendo Haemonchus o gênero com maior nível de resistência às LMs avaliadas. Maior quantidade de genes em superexpressão, e menor em subexpressão, foram verificadas nas L3 migrantes e não-migrantes da combinação IVM+MOX, comparado aos tratamentos IVM e MOX. Em conclusão, as combinações EPR+MOX, IVM+MOX e ABA+EPR+IVM demonstraram significativo sinergismo, in vitro, contra Haemonchus contortus. Foi possível determinar as proporções ótimas das combinações EPR+MOX, IVM+MOX e ABA+EPR+IVM. O sinergismo entre LMs, observado in vitro, foi comprovado in vivo. Porém, o sinergismo é dependente do gênero de NGI e do nível de resistência do isolado. Em L3 de H. contortus, IVM, MOX e IVM+MOX apresentam diferentes padrões de expressão de gp-P.
      EPIDEMIOLOGIA E CONTROLE ESTRATÉGICO DA VERMINOSE EM EQUINOS NATURALMENTE INFECTADOS NA REGIÃO CENTRO-OESTE DO BRASIL
      Curso Doutorado em Ciências Veterinárias
      Tipo Tese
      Data 05/02/2024
      Área MEDICINA VETERINÁRIA
      Orientador(es)
      • Fernando de Almeida Borges
      Coorientador(es)
        Orientando(s)
        • Mariana Green de Freitas
        Banca
        • Artur Kanadani Campos
        • Dyego Goncalves Lino Borges
        • Felipe Bisaggio Pereira
        • Fernando de Almeida Borges
        • Fernando Paiva
        • João Batista Catto
        • Ricardo Antonio Amaral de Lemos
        Resumo O protocolo de controle da verminose em equinos deve ser elaborado visando o controle da sua fauna helmíntica como um todo, o que é difícil, porque esses animais apresentam uma grande riqueza parasitária. Outro entrave para a elaboração de protocolos de tratamento é o limitado conhecimento sobre a epidemiologia da verminose equina. O objetivo desse estudo foi avaliar um protocolo de controle estratégico em animais criados de forma extensiva e avaliar a epidemiologia da verminose equina em uma região tropical. Os animais foram divididos em dois grupos, por um delineamento controlado não randomizado: controle negativo e controle estratégico, em que os animais foram tratados com ivermectina e praziquantel em maio e setembro. O experimento teve duração de dois anos, de abril/21 a março/23, dividido em dois ciclos. As coletas de fezes, pesagens e classificação de escore corporal dos animais foram realizadas a cada 28 dias, assim como a contagem de ovos por grama de fezes (OPG), coprocultura, contagem de larvas na pastagem e avaliação da frequência de Strongylus vulgaris. Quando avaliada a sazonalidade dos parasitas no grupo controle, fevereiro e março (p<0,05) foram os meses com maior eliminação de ovos, no primeiro e segundo ciclo, respectivamente. As contagens de larvas na pastagem apresentaram aumento nos meses de julho e outubro no piquete do grupo controle e Ciatostomíneos foi o táxon mais observado nas coproculturas. Quando avaliado o efeito do controle estratégico, os grupos apresentaram diferença estatística entre si para médias de OPG nos meses de junho, julho, outubro, novembro, dezembro e fevereiro (p<0,05) no primeiro ciclo e junho, setembro, outubro e março para o segundo ciclo (p<0,05). Não ocorreu diferença estatística em relação ao peso e escore corporal quando comparados os dois grupos (p>0,05). O número de copias de DNA de Strongylus vulgaris foi maior no grupo controle. Esse estudo é o primeiro a descrever a epidemiologia da verminose equina na região do cerrado brasileiro e o primeiro a avaliar o protocolo de controle estratégico a campo, é possível concluir que a sazonalidade da verminose equina no Brasil é bem definida com aumento da eliminação de ovos na estação chuvosa em fevereiro e março e aumento de larvas na pastagem na estação seca. O controle estratégico foi eficaz para controlar a verminose, sem expor risco à saúde dos equinos, além de controlar a contaminação ambiental e não provocar o aumento de Strongylus vulgaris no rebanho.
        Download
        ESPECTROSCOPIA ÓPTICA E APRENDIZAGEM DE MÁQUINA COMO FERRAMENTA NA PREDIÇÃO DA CONCEPÇÃO E DIAGNÓSTICO DE GESTAÇÃO DE FÊMEAS BOVINAS
        Curso Doutorado em Ciências Veterinárias
        Tipo Tese
        Data 03/01/2024
        Área MEDICINA VETERINÁRIA
        Orientador(es)
        • Gustavo Guerino Macedo
        Coorientador(es)
          Orientando(s)
          • Willian Vaniel Alves dos Reis
          Banca
          • Carlos Alberto do Nascimento Ramos
          • Cicero Rafael Cena da Silva
          • Eliane Vianna da Costa e Silva
          • Gustavo Guerino Macedo
          • Luciano Andrade Silva
          • Regiane Godoy de Lima
          Resumo A combinação de espectroscopia óptica e algoritmos de aprendizado de máquina tem atraído atenção devido ao seu potencial no diagnóstico preciso de diversas doenças por meio da análise de espectros de amostras biológicas. Este estudo teve como objetivo desenvolver uma metodologia rápida, precisa e econômica para detectar a probabilidade de prenhez durante a estação pré-reprodutiva e determinar o status gestacional 30 dias após a inseminação utilizando soro sanguíneo de fêmeas bovinas. Utilizou-se 80 fêmeas Nelore, entre novilhas e primíparas, com idade entre 14 a 36 meses de idade. Coletou-se amostras de sangue em três momentos: no início do protocolo (D-10), no momento da inseminação artificial (D0) e no dia do diagnóstico de gestação (D30). Após centrifugação a 600 g por 10 minutos, o soro foi aspirado e dividido em alíquotas em microtubos duplicados (1000 μL cada), e então armazenado a -80 ºC até processamento adicional. Foi empregada na análise de soro, espectroscopia no infravermelho com transformada de Fourier (FTIR), resolução de 4 cm-1 e faixa de 1800 a 900 cm-1, utilizando equipamento Perkin-Elmer Spectrum 100 com acessório ATR. As proeminentes bandas vibracionais duplas de amida I em torno de 1570 cm-1 foram identificadas. A Análise de Componentes Principais (PCA) avaliou tendências de agrupamento, enquanto o teste discriminativo Support Vector Machine (SVM) classificou as amostras. O gráfico de pontuação derivado dos dois primeiros componentes principais explicou 69,9% da variação dos dados e exibiu claramente formações de agrupamento distinto para o grupo de gestantes. Testes discriminativos adequados alcançaram precisões de predição de prenhez com 93,8% de acurácia no D0 e 62,5% de acurácia no D30, distinguindo com sucesso entre animais gestantes ou não. O metaboloma sérico apresentou diferenças discerníveis entre animais com alta e baixa fertilidade e aqueles que emprenharam ou não, possibilitando o desenvolvimento de estratégias de manejo distintas para diferentes épocas reprodutivas. Em resumo, a metodologia demonstrou uma abordagem rápida e custo-efetiva, permitindo a previsão da fertilidade durante os protocolos de inseminação artificial em tempo fixo (IATF) e servindo como uma ferramenta não invasiva para o diagnóstico de gestação aos 30 dias. Isto permite a estratificação de animais com diferentes níveis de fertilidade para diferentes objetivos antes da estação reprodutivas. Embora a aprendizagem tenha demonstrado maior acurácia para avaliar as amostras no D0 do que no D30, considerando um algoritmo de aprendizado de máquina, a execução de mais amostras ao longo do tempo melhora a precisão neste diagnóstico, potencialmente substituindo métodos invasivos, como a ultrassonografia retal, no futuro.
          Características genéticas e fisiológicas envolvidas na caracterização das diferentes CFAs em novilhas das raças Nelore e F1 Nelore x Angus
          Curso Doutorado em Ciências Veterinárias
          Tipo Tese
          Data 19/12/2023
          Área MEDICINA VETERINÁRIA
          Orientador(es)
          • Fabiana de Andrade Melo Sterza
          Coorientador(es)
            Orientando(s)
            • Janaina Menegazzo Gheller
            Banca
            • Ériklis Nogueira
            • Fabiana de Andrade Melo Sterza
            • Luiz Francisco Machado Pfeifer
            • Marcelo Marcondes Seneda
            • Marcos Roberto Chiaratti
            Resumo Apesar do grande avanço no uso das biotecnologias da reprodução nos rebanhos bovinos do Brasil, é evidente que o sistema de produção precisa ser otimizado para melhorar a eficiência e rentabilidade. A fim de tornar o sistema mais rentável e sustentável, muitos estudos têm sido realizados. No que diz respeito ao manejo reprodutivo, destacam-se os que se dedicaram ao melhor entendimento da contagem de folículos antrais (CFA). A CFA tem sido associada a fertilidade em rebanhos de raças Bos taurus e Bos indicus, no entanto há divergência entre os resultados para as essas raças e diversos mecanismos ainda precisam ser compreendidos para que a seleção de animais, baseada nessas características seja eficiente e possa ser aplicada a todos os rebanhos. Nesse sentindo, o presente trabalho tem como objetivo avaliar as características genéticas e fisiológicas envolvidas na relação da CFA com a fertilidade de novilhas Nelore (Bos indicus) e F1 Nelore x Angus (Bos indicus x Bos taurus), em programas de IATF. Para isso, essa tese foi desenvolvida em duas partes: com o perfil hormonal sérico e do fluido folicular (IGF-1, E2 e P4) com o desempenho reprodutivo de novilhas precoces da raca Nelore em programas de IATF (artigo 1) e a relação da CFA com desempenho a IATF, à qualidade oocitária e de carcaça; bem como a expressão gênica, por meio de RNA-seq, de oócitos de novilhas precoces e F1 Nelore x Angus (artigo 2) Para isso, foram utilizadas 70 novilhas Nelore e 140 novilhas F1 Nelore x Angus pertencentes a propriedades comerciais que trabalham com melhoramento genético e precocidade sexual das fêmeas bovinas, localizadas no estado de Mato Grosso do Sul. A identificação da CFA foi realizada pela contagem individual dos folículos visualizados por ultrassonografia transretal. A divisão dos grupos de CFA em ambos os artigos partiu do conhecimento da média da CFA e utilização de ± 1 desvio padrão da amostra, assim como já foi apontado em artigos que envolvem a CFA, uma vez que essa característica pode ser alterada entre os rebanhos. No artigo 1 os grupos de baixa, média e alta CFA continham ≤14, 15 a 30 e ≥31 folículos, respectivamente, enquanto no artigo 2 os intervalos foram ≤13, 14 a 30 e ≥31 folículos. Em ambos os trabalhos não foram encontradas diferenças na taxa de concepção entre os grupos de CFA. No artigo 1, o IGF-I no D10 e no DG foi maior para o grupo alta CFA, e as concentrações de IGF-I não influenciaram a taxa de gestação. No artigo 2, não houve relação da CFA com os dados de ultrassonografia de carcaça (AOL, EG e EGP), tão pouco com a ultrassonografia de ovário e morfologia das estruturas ovarianas, exceto para o tamanho de ovário, o qual foi maior para o grupo alta CFA. Em relação a expressão gênica, 93,75% dos genes diferentemente expressos estavam positivamente regulados no grupo baixa CFA, os quais estão relacionados a causas de infertilidade. Dessa forma, concluímos que a CFA não esteve relacionada com a precocidade sexual das novilhas Nelore e Nelore X Angus, quando utilizamos a primeira prenhez a IATF como parâmetro.
            Download
            TERMOGRAFIA NA AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DE BLOQUEIO DO PLEXO BRAQUIAL EM CÃES
            Curso Doutorado em Ciências Veterinárias
            Tipo Tese
            Data 14/07/2023
            Área MEDICINA VETERINÁRIA
            Orientador(es)
            • Fabricio de Oliveira Frazilio
            Coorientador(es)
              Orientando(s)
              • Simone Marques Caramalac
              Banca
              • Alice Rodrigues de Oliveira
              • Fabricio de Oliveira Frazilio
              • Larissa Correa Hermeto
              • Mariana Isa Poci Palumbo
              • Verônica Batista de Albuquerque
              Resumo Na rotina médica de realização de bloqueios anestésicos, um dos principais desafios dos anestesistas é a certificação do sucesso do bloqueio realizado. Um meio para avaliar a eficácia de bloqueios locorregionais com elevada sensibilidade e especificidade é capaz de melhorar o controle da dor, uma vez que alcançar o limiar nociceptivo torna o tratamento antiálgico mais difícil. A termografia consiste em uma ferramenta menos susceptível a parcialidade ou subjetividade na avaliação da eficácia dos bloqueios locais, apresentando como vantagens a ausência de contato e a não dependência das respostas do paciente aos estímulos. Desse modo, este estudo teve como objetivo determinar se a termografia pode ser usada como um método precoce e objetivo na determinação da eficácia de bloqueio de plexo braquial em cães. Para isso, foram utilizados 20 cães sadios, nos quais em 10 foi realizado o bloqueio do plexo braquial, utilizando-se o membro contralateral como controle. Nos outros 10 animais, foi realizada apenas anestesia geral e imagens termográficas dos membros, a fim de avaliar o efeito da anestesia geral sobre temperatura dos membros. Imagens termográficas das regiões lateral, medial, cranial e caudal dos membros anteriores e dos coxins foram realizadas antes e após a deposição do anestésico nos nervos. Os animais foram mantidos sob anestesia geral com sevoflurano. Utilizou-se 5 mg/kg de lidocaína 1% para realização do bloqueio do plexo braquial (realizado com neurolocalizador associado a ultrassonografia), com imagens do termógrafo sendo feitas a cada 2 minutos, durante vinte minutos, para posterior avaliação das áreas de interesse, que corresponderam as regiões inervadas pelos nervos radial, braquicefálico, musculocutâneo, ulnar, e raiz cervical lateral da segunda vertebra torácica, além dos coxins. Não houve diferença significativa entre as temperaturas do membro bloqueado e do contralateral, de modo que a termografia não foi eficaz em predizer a eficácia do bloqueio anestésico. Entretanto, observou-se aumento da temperatura dos membros em ambos os grupos, nas regiões inervadas pelos nervos radial, braquicefálico, ulnar e coxins, além de redução da temperatura corporal, com correlação negativa significativa entre eles (r =-0,89 a r =-0,62). Isso pode ser atribuído a vasodilatação induzida pelos anestésicos gerais, além da inibição de mecanismos termoprotetores (como tremor por exemplo), ambos resultando em hipotermia. Em um animal, ocorreu síndrome de Horner transitória em consequência do bloqueio do plexo braquial. Supôs-se que a vasodilatação causada pelo anestésico inalatório se sobrepôs a vasodilatação induzida pelo anestésico local, de modo que a termografia não foi eficaz para avaliar eficácia do bloqueio nestas condições.
              TESTE DE ESTRESSE AO FRIO EM CÃES
              Curso Doutorado em Ciências Veterinárias
              Tipo Tese
              Data 30/06/2023
              Área MEDICINA VETERINÁRIA
              Orientador(es)
              • Mariana Isa Poci Palumbo
              Coorientador(es)
                Orientando(s)
                • Silvana Marques Caramalac
                Banca
                • Albert Schiaveto de Souza
                • Diego José Zanzarini Delfiol
                • Luiz Henrique de Araújo Machado
                • Mariana Isa Poci Palumbo
                • Veronica Jorge Babo Terra
                Resumo A termorregulação está diretamente relacionada ao sistema nervoso autônomo, assim, a comprovação da integridade deste sistema pode ser realizada por meio da avaliação da vasoconstrição e vasodilatação cutâneas. Em humanos, isto é feito por meio do teste de estresse ao frio, em que uma região específica do corpo (mãos ou pés) é induzida a vasoconstrição por meio da imersão em solução fria em temperatura específica e, após emersão, determina-se o tempo necessário para que ocorra o reaquecimento. Além disso, o gradiente térmico longitudinal permite o acompanhamento de melhora ou agravamento das doenças. Até o momento, todavia, não se sabe como é a curva de reaquecimento nem o gradiente térmico longitudinal após este teste em cães saudáveis, o que impossibilita a realização deste teste em cães com suspeita de comprometimento do sistema nervoso autônomo ou vascular. Desse modo, o objetivo deste estudo foi padronizar o teste de estresse ao frio em cães saudáveis. Para isso, 34 cães sadios foram divididos em dois grupos, machos (n=17) e fêmeas (n=17). Após ambientação a 23±1ºC durante 15 minutos, era realizada a imersão em água (12±1ºC) do membro pélvico até a metade do metatarso, de modo que toda a região plantar ficasse submersa. Após 5 minutos, a região era emergida e cuidadosamente seca. Imagens termográficas foram realizadas antes da imersão, logo após emersão e a cada 3 minutos, totalizando 30 minutos de avaliação. Os parâmetros frequência cardíaca, pressão arterial sistólica e temperaturas retal e timpânica também foram avaliados, sendo estes coletados antes, imediatamente após e a cada 10 minutos, durante 30 minutos. A partir da análise dos resultados, verificou-que que não houve diferença estatística entre machos e fêmeas na curva de reaquecimento, diferença longitudinal-distal e nos parâmetros fisiológicos. Não houve diferença estatística entre os membros testado (29.0±3.4°C) e controle (29.1±3.4°C) no momento imediatamente antes da realização do teste (p>0.9999). No momento imediatamente após o teste, a extremidade do membro testado apresentou temperatura significativamente inferior (19.9±3.1°C) em relação a extremidade contralateral (28.8±3.7°C) (p<0.0001), voltando a ser estatisticamente iguais apenas a partir do momento 27 minutos (teste27min: 28.3±5.1°C; controle27min: 31.3±3.8°C). Quando analisada apenas a extremidade testada, observou-se que demorou 18 minutos para que ela voltasse a temperatura estatisticamente igual ao momento anterior ao teste (testeantes: 29.0±4.3°C; teste18min: 27.1±4.3°C; valor-p = 0.1464). Durante o período de avaliação, verificou-se que, a partir do momento 3 minutos, a extremidade controle apresentou aumento significativo de temperatura em relação ao momento “antes” (controleantes: 29.1±3.4°C; controle3min: 31.2±3.3°C; valor-p = 0.0002), com esta diferença se mantendo até o final do período de avaliação. A diferença longitudinal-distal de cada dígito foi constante entre todos os momentos, sendo a maior diferença de temperatura encontrada de 1.7±0.9°C. Não houve diferença estatística dos parâmetros fisiológicos entre o momento “antes” em relação aos demais momentos analisados. O aumento de temperatura do membro contralateral não testado observado neste estudo também é observado em estudos em humanos submetidos ao teste de estresse ao frio, o que pode ser atribuído a um mecanismo reflexo sistêmico para que haja o reestabelecimento da temperatura periférica. A não alteração nos parâmetros fisiológicos apesar do aumento de temperatura da extremidade não testada evidencia que o sistema vascular parece ser mais precoce para indicar envolvimento do sistema nervoso central. Este é o primeiro estudo que padroniza o teste de estresse ao frio em cães sadios. Mais estudos com animais com alteração autonômica ou vascular devem ser realizados para demonstrar a eficácia clínica deste teste em cães.
                FERTILIDADE DE VACAS DE CORTE EM PROTOCOLOS DE SINCRONIZAÇÃO COM DIFERENTES INDUTORES DE OVULAÇÃO
                Curso Doutorado em Ciências Veterinárias
                Tipo Tese
                Data 16/03/2023
                Área MEDICINA VETERINÁRIA
                Orientador(es)
                • Ériklis Nogueira
                Coorientador(es)
                  Orientando(s)
                  • Nathalia Albaneze Anache
                  Banca
                  • Alessandra Corallo Nicacio
                  • Eliane Vianna da Costa e Silva
                  • Ériklis Nogueira
                  • Juliana Corrêa Borges Silva
                  • Wagner Rodrigues Garcia
                  Resumo Apesar dos evidentes avanços na produção de gado de corte, conferidos pelo desenvolvimento comercial da IATF, há diversos fatores intrínsecos ou extrínsecos ao animal que interferem nos resultados de prenhez, destacando-se aqueles inerentes à fêmea, como o anestro pós-parto e a condição corporal durante a estação de monta. Sabe-se que vacas que não apresentam cio durante o protocolo tendem a ter menor taxa de ovulação e, consequentemente, menor probabilidade de emprenhar. Assim, esse trabalho avaliou estratégias para melhora nas taxas de prenhez de vacas de corte, submetidas a protocolos de IATF com avaliações simples de cio (ESCT), dinâmica folicular e aplicação de dois diferentes indutores adicionais de ovulação (GnRH e hCG). Primeiramente foram testadas diferentes doses de hCG para verificar qual teria maior eficácia. Foram avaliadas 45 fêmeas da raça Nelore, submetidas ao protocolo de IATF. Os animais que apresentaram pouco ou nenhum cio (ESCT 2 e 1, respectivamente) foram divididos em três grupos, no dia da inseminação: controle (n=11): 1 ml de, I.M., de solução fisiológica, grupo 500 UI (n=12): aplicação de 500 UI, I.M. de hCG e grupo 1000 UI (n=12): aplicação de 1000 UI, I.M. de hCG. As vacas que apresentaram ESCT 3 (n=10) foram inseminadas no mesmo momento, sem aplicação de tratamento adicional. Após 7 dias da IATF foi avaliada a atividade ovariana por ultrassonografia transretal para avaliar o momento da ovulação (tempo médio e taxa de ovulação) e área de CL (cm³). O diagnóstico de gestação foi em torno de 30 dias após a IATF. Não houve diferença estatística entre os grupos, exceto para o tempo médio de ovulação, menor no grupo ESCT 3. Posteriormente, foram avaliadas 2.315 fêmeas zebuínas lactantes e da mesma forma, os animais ESCT 2 e 1 foram divididos em três grupos, no dia da inseminação: controle (n=301): não receberam nenhum tratamento, GnRH (n=265): aplicação de 0,1 mg, I.M. de análogo agonista de GnRH (Gonadorelina) e hCG (n=267): aplicação de 1000 UI, I.M. de hCG. As vacas ESCT 3 (n= 1483) foram inseminadas no mesmo momento, sem aplicação de tratamento adicional. Foi realizado diagnóstico de gestação em torno de 35 dias após a IATF. Não houve diferença estatística (P<0,001) entre os grupos GnRH (48,3%) e hCG (53,05%), sendo ambos eficazes na indução da ovulação em animais ESCT 1 e 2, aumentando as taxas de prenhez.

                  Palavras-chave: Bastão marcador, dinâmica folicular, GnRH, hCG.
                  Download
                  USO DE ADITIVOS AO FLUIDO DE LAVAGEM PERITONEAL PARA A PREVENÇÃO DE ADERÊNCIAS ABDOMINAIS E A OTIMIZAÇÃO DA CICATRIZAÇÃO DA PAREDE ABDOMINAL
                  Curso Doutorado em Ciências Veterinárias
                  Tipo Tese
                  Data 07/02/2023
                  Área MEDICINA VETERINÁRIA
                  Orientador(es)
                  • Eric Schmidt Rondon
                  Coorientador(es)
                    Orientando(s)
                    • Dheywid Karlos Mattos Silva
                    Banca
                    • Breno Fernandes Barreto Sampaio
                    • Eric Schmidt Rondon
                    • Fernando Arevalo Batista
                    • Monica Cristina Toffoli Kadri
                    • Ricardo Siqueira da Silva
                    Resumo SILVA, D. K. M. Uso de aditivos ao fluido de lavagem peritoneal para a prevenção de aderências abdominais e otimização da cicatrização da parede abdominal. 2018. DOUTORADO – Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, MS, 2023.

                    Aderência é a união de duas ou mais estruturas anatomicamente separadas por meio de tecido fibroso como consequência de processo inflamatório. Quando ocorre na cavidade abdominal, pode provocar dor e disfunções nos órgãos. Em sua prevenção, emprega-se a lavagem abdominal, mas não há consenso sobre composição de fluidos mais adequada. Desta forma, testamos e comparamos diferentes soluções adicionadas ou não aos fármacos mais frequentemente empregados nas rotinas transoperatórias. Cento e vinte e seis ratos machos da linhagem Wistar foram alocados em 15 grupos de seis ratos e três grupos de 12 ratos. Todos os animais foram submetidos à cecopexia cirúrgica. Em uma primeira etapa, foram comparadas as soluções de Ringer Lactato, NaCl à 0,9% e água destilada. Depois, foram testas soluções de lavagem abdominal (água destilada + fármaco) contendo: (1) anestésicos locais (lidocaína e bupivacaína); (2) antimicrobianos (gentamicina, enrofloxacina e ceftriaxona); (3) anti-inflamatórios esteroidais (dexametasona, metilprednisolona e hidrocortisona); (4) AINE (robenacoxibe e flunixina meglumina); (5) anticoagulante (heparina); (6) Glicose (5%, 10% e 25%). Amostras sanguíneas e de lavado peritoneal foram coletadas nos período pré-operatório (t =-1) e após a eutanásia (t=21) quando, também, extraiu-se um retalho padronizado da parede abdominal em torno da cicatriz cirúrgica. As soluções foram comparadas quanto à (ao): (1) redução do desconforto abdominal (parâmetros comportamentais e Escala de Grimace); (2) composição do fluido peritoneal (contagem leucocitária e dosagens de glicose, albumina, sódio e proteína total); (3) quantificação da formação de aderências; (4) maturidade da cicatriz (histopatologia); (5) resistência da cicatriz da parede abdominal (teste de microtração). Com exceção do grupo tratado com heparina, todas as demais soluções de lavagem contribuíram na recuperação dos pacientes e a solução com água destilada reduziu os níveis séricos de sódio. Conclui-se que as soluções de lavagem abdominal testadas reduzem a morbidade pós-operatória, a escolha do tipo de solução e aditivo não interferem na recuperação cirúrgica exceção feita às acrescidas de heparina. Ademais, sugere-se que o emprego de água destilada deva ser acompanhado do monitoramento do sódio sérico.

                    Palavras-chave: Glicose, leucócitos, peritônio, profilaxia, ratos.
                    Download
                    Vitamina D e Inflamação na Leishmaniose Visceral
                    Curso Doutorado em Ciências Veterinárias
                    Tipo Tese
                    Data 12/01/2023
                    Área MEDICINA VETERINÁRIA
                    Orientador(es)
                    • Alda Izabel de Souza
                    Coorientador(es)
                      Orientando(s)
                      • Gustavo Gomes de Oliveira
                      Banca
                      • Alda Izabel de Souza
                      • Carlos Alberto do Nascimento Ramos
                      • Cassia Rejane Brito Leal
                      • Danilo Carloto Gomes
                      • Fabiano de Oliveira Frazilio
                      • Kelly Cristina da Silva Godoy
                      • Thiago Leite Fraga
                      Resumo A vitamina D ativada (VitD) possui diversas funções no organismo que vão muito além do seu papel na homeostase dos minerais cálcio e fósforo. A ação desse hormônio no sistema imunológico foi amplamente explorada nas últimas décadas revelando a sua relação com doenças infecto parasitárias e autoimunes. Baixos níveis de VitD foram observados em cães infectados com leishmaniose visceral (LV) demostrando relação com a gravidade da doença. Contudo, não foi estabelecido se há relação da hipovitaminose D com marcadores inflamatórios nesses animais. Logo o objetivo com este projeto é verificar a relação entre a inflamação em cães com LV e as alterações nos níveis de VitD. Para isso foram utilizados 23 cães, oito saudáveis para o grupo controle (GC) e 15 positivos para LV em exame parasitológico ou exame sorológico, sem apresentarem azotemia para formar o grupo doente (GD). Os níveis de VitD, creatinina, albumina, proteína C reativa e hemoglobina foram dosados e comparados entre os grupos por meio do teste de Mann-Whitney. As correlações entre a vitamina D e albumina, proteína C reativa e hemoglobina foram realizadas pelo teste de Spearman. O nível de significância utilizado foi de 0,05. Todos os marcadores inflamatórios avaliados na presente pesquisa demostraram diferença estatística em suas concentrações nos grupos estudados. O GD apresentou maior prevalência de deficiência da vitamina D (46%) quando comparados ao GC (0%). Correlação moderada foi observada entre a vitamina D e a Proteína C reativa (rs:-0,48; p:0,03). Todos os animais com deficiência de vitamina D apresentaram hipoalbuminemia. A inflamação possuí relação com a deficiência de vitamina D, podendo levar a um ciclo de inflamação e hipovitaminose D agravando o quadro do paciente.
                      Download
                        METABOLISMO LIPÍDICO DE OÓCITOS DE VACAS DE LEITE SOB ESTRESSE TÉRMICO
                        Curso Doutorado em Ciências Veterinárias
                        Tipo Tese
                        Data 15/12/2022
                        Área MEDICINA VETERINÁRIA
                        Orientador(es)
                        • Ériklis Nogueira
                        Coorientador(es)
                        • Fabiana de Andrade Melo Sterza
                        Orientando(s)
                        • Mariane Gabriela Cesar Ribeiro Ferreira
                        Banca
                        • André Luiz Julien Ferraz
                        • Christina Ramires Ferreira
                        • Eliane Vianna da Costa e Silva
                        • Fabiana de Andrade Melo Sterza
                        • Gustavo Guerino Macedo
                        • Marcelo Marcondes Seneda
                        • Marcos Roberto Chiaratti
                        Resumo O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos do estresse térmico in vivo em vacas leiteiras sobre o metabolismo lipídico dos complexos cumulus-oócito (COCs) submetidos à MIV. 27 Vacas primíparas da raça holandesa foram mantidas em câmara climática com alimentação ad libitum e temperatura constante de 28°C e índice de temperatura-umidade (ITU) de 76 durante 7 dias (Estresse térmico - HS) ou sob temperatura constante de 16°C, ITU = 60 e recebendo a mesma quantidade de alimento que as vacas submetidas a stress térmico (Pair-feeding - PF) ou alimentação ad libitum (Controle - C), durante o mesmo período. Os Complexos cumulus oócitos (COCs) foram obtidos pela técnica de slicing dos ovários. As amostras foram preparadas para análise antes (T0) e depois (T24) da MIV. Os COCs T0 e T24 foram desnudados e as Células do cumulus (CC) e oócitos (Oo) foram submetidos separadamente a análises do conteúdo lipídico (CoLi) e da atividade mitocondrial (AM) por fluorescência e microscopia confocal, perfil lipídico por LC-MS; e expressão génica por RT-PCR utilizando a plataforma Fluidigm. O software Metaboanalist 5.0 (heatmap e volcano plot) foi utilizado para avaliar estatisticamente os resultados da LC-MS. Para a fluorescência e a expressão genica, os dados foram organizados em um modelo fatorial 2x3 e analisados por proc GLM (SAS ondemand). Para todas as análises, foi considerado P<0,05. Entre as vias metabólicas avaliadas, o maior número de alterações ocorreu nas CC. A expressão de genes que participam do controle de esteroides foi afetada nos animais HS, com redução de DHCR7, e aumento de CYP11A1. Esses efeitos estão provavelmente relacionado comva menor expansão das CC observada. HS foi o único grupo que mostrou um aumento significativo de CoLi após a MIV, além de reduzir mecanismos que colaboram com o controle da lipotoxidade, como a redução de ELOVL5, e redução geral de TG (Oo e CC), principalmente os que são constituídos por ácidos graxos (AGs) esteárico (18:0), oléico (18:1) e linolênico (18:2), além da redução de HSPE1 e HSPD1 (CC). Alguns mecanismos de sobrevivência foram acionados, como a maior expressão de MAP2K2 (CC e Oo), FABP3 (CC), SIRT1 (CC e Oo) e MTCH2 (CC e Oo). Por outro lado foram prejudicadas vias importantes para o controle homeotérmico visto que, foram reduzidas as expressões de HSPA4, HSPA5, HSPA9 (CC e Oo) e ATF4 (CC e Oo). Eventos moleculares que participam da organização da cromatina também apontam uma competência reduzida dos oócitos HS, como a redução de H2A (CC e Oo) e aumento de G6PD (CC e Oo) e SETD2 (CC). Conclui-se que o metabolismo lipídico é afetado pelo estresse térmico em vacas leiteiras, afetando a produção de esteroides, o que impacta na expansão das células do cumulus. Em resposta ao estresse térmico ocorre aumento de lipídios e atividade mitocondrial após a MIV, mas com o perfil lipídico prejudicado, com redução de AGs importantes para o controle da lipotoxidade.

                        Palavras-chave: estresse oxidativo, atividade mitocondrial, beta-oxidação, lipidoma, maturação oocitária
                        Download
                        Esponja Fibrilar de Fluoreto de Polivinilideno Enriquecida com Óxido de Grafeno Reduzido no Reparo de Defeito Ósseo Experimental em tíbia de Ratos
                        Curso Doutorado em Ciências Veterinárias
                        Tipo Tese
                        Data 11/11/2022
                        Área MEDICINA VETERINÁRIA
                        Orientador(es)
                        • Fabricio de Oliveira Frazilio
                        Coorientador(es)
                          Orientando(s)
                          • Paulo Henrique de Affonseca Jardim
                          Banca
                          • Eric Schmidt Rondon
                          • Fabricio de Oliveira Frazilio
                          • Fernando Arevalo Batista
                          • Larissa Correa Hermeto
                          • Luciano Pereira de Barros
                          • Luiz Donizete Campeiro Junior
                          • Rodrigo Juliano Oliveira
                          Resumo JARDIM, P.H.A. Esponja fibrilar de fluoreto de polivinilideno enriquecida com óxido de grafeno reduzido no reparo do defeito ósseo experimental em tíbia de ratos. 2022. Doutorado – Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, MS, 2022.

                          Estudos recentes com fluoreto de polivinilideno (PVDF) e óxido de grafeno reduzido (rGO) demonstram resultados promissores no reparo ósseo. Objetivou-se com esse estudo avaliar a utilização de PVDF associado ao rGO no reparo de defeitos ósseos monocorticais unilaterias realizados em tíbia de ratos. Foram distribuídos 90 animais divididos em 3 grupos de 30: DEF (Controle), PVDF e PVDF/rGO, que por sua vez foram subdivididos conforme o tempo de avaliação (10, 20 e 30 dias). O grupo DEF foi submetido apenas ao defeito ósseo e não recebeu tratamento. Os outros grupos foram submetidos ao defeito ósseo e tratados da seguinte forma: defeitos preenchidos com com fluoreto de polivinilideno = PVDF e defeitos preenchidos com fluoreto de polivinilideno enriquecido com óxido de grafeno reduzido = PVDF/rGO. Para as análises foram realizadas avaliações séricas de fosfatase alcalina (FAL) e fosfatase alcalina óssea (FAO) assim como avaliações histológicas da região do defeito conforme o tempo de avaliação. Os grupos PVDF e PVDF/rGO demonstraram níveis maiores de fosfatase alcalina óssea aos 20 e 30 dias pós-operatórias quando comparadas dentro de seu grupo e aos 30 dias quando comparadas com o grupo DEF. As analises histológicas demonstraram aos 20 dias maior neoformação de tecido ósseo do grupo DEF quando comparado com o grupo PVDF/rGO, presença maior de osteoblastos no grupo DEF em comparação aos grupos PVDF e PVDF/rGO assim como presença maior de infiltrado inflamatório do grupo PVDF/rGO em realçao aos grupos DEF e PVDF. Foi evidenciada aos 30 dias de avaliação grande numero de células gigantes multinucleadas assim como intensa reação periosteal no grupo PVDF/rGO. Com auxilio das análises estatísticas significativas (P<0.05) conclui-se que os biomatetiais PVDF e PVDF/rGO elevaram os niveis de fosfatase alcalina óssea aos 20 e 30 dias de avaliações. A utilização dos biomateriais PVDF e PVDF/rGO não aceleraram o processo de reparo ósseo em comparação ao grupo DEF. O biomaterial PVDF/rGO promoveu grande formação de células gigantes multinucleadas.
                          Palavras-chave: Consolidação óssea, piezoeletricidade, cirurgia veteriária, nanomateriais, solution blow spinning.
                          Download
                          AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DIAGNÓSTICO DE NOVAS TÉCNICAS SOROLÓGICAS PARA LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA
                          Curso Doutorado em Ciências Veterinárias
                          Tipo Tese
                          Data 29/09/2022
                          Área MEDICINA VETERINÁRIA
                          Orientador(es)
                          • Carlos Alberto do Nascimento Ramos
                          Coorientador(es)
                          • Manoel Sebastião da Costa Lima Junior
                          Orientando(s)
                          • Nathália Lopes Fontoura Mateus
                          Banca
                          • Carlos Alberto do Nascimento Ramos
                          • Cassia Rejane Brito Leal
                          • Manoel Sebastião da Costa Lima Junior
                          • Maria do Socorro Pires e Cruz
                          • Wagner José Tenório dos Santos
                          Resumo A leishmaniose visceral (LV) é uma zoonose causada pelo protozoário Leishmania infantum. Os cães são considerados importantes reservatórios urbanos do parasita e o diagnóstico da leishmaniose visceral canina (LVC) contribui no monitoramento de transmissão e emergência de LV. A confirmação da LVC instituída pelo Ministério da Saúde consiste na reação de imunoadsorção enzimática (ELISA), por meio da utilização de antígeno bruto de L. major-like; porém, esta técnica pode proporcionar resultados falsos positivos em animais infectados por outros tripanossomatídeos ou por Ehrlichia canis. Além disso, resultados falsos negativos são relatados em animais assintomáticos, promovendo a manutenção de reservatórios no ambiente. Neste âmbito, foram desenvolvidos antígenos recombinantes usados de maneira individual ou combinada no diagnóstico sorológico da LVC com intuito de aumentar a sensibilidade, especificidade e acurácia do teste. Este trabalhou avaliou três testes sorológicos para o diagnóstico de LVC: dois ELISA com proteínas recombinantes quiméricas (Q1 e Q5) de desenvolvimento nacional e um teste rápido utilizando antígeno de membrana de promastigota de Leishmania donovani na apresentação de fitas reagentes (dipstick). Para avaliação das proteínas quiméricas, utilizou-se amostras de um banco sorológico provenientes de cães naturalmente infectados por L. infantum sintomáticos (n=30), oligossintomáticos (n=30), assintomáticos (n=10), cães saudáveis (n=30), vacinados com Leish-Tec (n=5) e Leishmune  (n=5) e infectados com Ehrlichia canis (n=30). O resultado dos ELISA utilizando quimeras foi comparado ao ELISA com antígeno de extrato total de L. infantum e observou-se valores maiores de sensibilidade e especificidade, respectivamente, para Q1 (81,43%; 85,71%) e Q5 (74,29%; 90,0%), quando comparado ao antígeno bruto (71.43%; 82.86%). Apesar da proteína Q1 ter apresentado reação cruzada com amostras de cães vacinados com Leish-Tec, esta quimera apresentou melhor sensibilidade no diagnóstico de animais assintomáticos (70%) e oligossintomáticos (73,33%).Para avaliação do teste rápido dipstick foram selecionadas amostras de um banco sorológico provenientes de cães naturalmente infectados por L. infantum sintomáticos (n=15), oligossintomáticos (n=15), assintomáticos (n=9), saudáveis (n=15), vacinados com Leish-Tec (n=5) e infectados com Ehrlichia canis (n=15). O teste apresentou maior sensibilidade no grupo oligossintomático (93,33%), seguido do assintomático (77,78%) e sintomático (73,33%) e foi observado 100% de especificidade em todos os grupos. Desta maneira, Q5 pode ser um antígeno interessante para o desenvolvimento de testes sorológicos e as fitas reagentes (dipstick) podem ser uma ferramenta útil no diagnóstico da LVC devido a praticidade de realização. Ambos os métodos demonstraram bons resultados em situações em que a erliquiose canina pode ser diagnóstico diferencial do paciente.
                          Download
                          IDENTIFICAÇÃO DO BACTERIOMA DE Stomoxys calcitrans E POTENCIAL IMPACTO ECONÔMICO À PECUÁRIA DOS SURTOS ASSOCIADOS AO SETOR SUCROENERGÉTICO
                          Curso Doutorado em Ciências Veterinárias
                          Tipo Tese
                          Data 29/07/2022
                          Área MEDICINA VETERINÁRIA
                          Orientador(es)
                          • Flábio Ribeiro de Araújo
                          Coorientador(es)
                          • Lenita Ramires dos Santos
                          • Paulo Henrique Duarte Cançado
                          Orientando(s)
                          • Eronides Marques de Souza
                          Banca
                          • Antonio Thadeu Medeiros de Barros
                          • Carlos Alberto do Nascimento Ramos
                          • Flábio Ribeiro de Araújo
                          • João Bosco Vilela Campos
                          • Lenita Ramires dos Santos
                          • Paulo Henrique Duarte Cançado
                          Resumo Mosca-dos-estábulos (Stomoxys calcitrans) é um inseto que parasita diversos grupos de animais, incluindo os seres humanos. Nas últimas décadas, surtos desta mosca têm sido registrados em várias regiões do país, com destaque para municípios de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais e São Paulo. Estas áreas se caracterizam pela expansão do setor sucroenergético, o que pode justificar a presença dos surtos, uma vez que, com a proibição da queima pré-colheita a palhada da cana-de-açúcar passou a se acumular nas plantações e umedecida com vinhaça tornando-se um ambiente propício para o desenvolvimento larvar. Por ser um inseto hematófago e realizar picadas dolorosas, S. calcitrans causa perdas econômicas na bovinocultura interferindo na saúde do animal e, consequentemente, diminuindo sua produção. Algumas pesquisas indicam a importância de S. calcitrans como possível vetor mecânico e biológico de diversos agentes patogênicos, porém poucos estudos foram realizados envolvendo situações de campo, assim como, a identificação e o isolamento de microorganismos em moscas selvagens. Os objetivos do presente estudo foram estimar o impacto econômico provenientes dos surtos desta mosca na bovinocultura, como também os prejuízos anuais às usinas sucroenergéticas brasileiras; e paralelamente, com auxílio da metagenômica e bioinformática, identificar o bacterioma presente em DNA extraídos das mosca-dos-estábulos. O potencial impacto econômico anual dos surtos, associados às usinas sucroenergéticas estimado foi de R$ 1,065 bilhões (US$ 205,38 milhões) para a bovinocultura brasileira. Enquanto o potencial prejuízo estimado às indústrias sucroenergéticas acumularam valores de R$ 43,743 milhões (US$ 8,428 milhões) ao ano. O montante final dos prejuízos financeiros aos setores de bovinocultura e bioenergético brasileiro, foi de R$ 1.109.667.348,27 (US$ 213.808.737,62). Através das análises de metagenoma foi identificado vasta diversidade de bactérias, destacando quatro filos Proteobacteria, Firmicutes, Bacteroidetes e Actinobacteria. As bactérias do filo Proteobacteria foi o que apresentou maior frequência relativa nos três grupos de amostras de DNA de mosca-dos-estábulos, porém as amostras do Pátio II (Embrapa) foi o que apresentou maior variedade de filos de bactérias. Estudos futuros serão necessários para um melhor conhecimento da abrangência de bactérias carreadas por S.calcitrans, assim como a necessidade de uma maior compreensão a respeito da dinâmica relacionada com à dispersão dos patógenos de importância na bovinocultura. Antecipar cenários pode ser o ponto de partida para o desenvolvimento de processos preventivos ligados à mosca-dos-estábulos em toda estrutura que envolve as atividades sucroenergéticas e sistemas produtivos pecuários em suas proximidades.
                          Palavras-chave: Bioinformática, DNA, Metagenômica, Mosca-dos-estábulos, Prejuízos.
                          Download
                          DINÂMICA POPULACIONAL DE Rhipicephalus (Boophilus) microplus E NÍVEIS DE INFECÇÃO ESTIMADA POR qPCR DOS AGENTES DA TRISTEZA PARASITÁRIA BOVINA EM ANIMAIS DA RAÇA NELORE E CRUZADOS (ANGUS/NELORE) NO CERRADO
                          Curso Doutorado em Ciências Veterinárias
                          Tipo Tese
                          Data 08/02/2022
                          Área MEDICINA VETERINÁRIA
                          Orientador(es)
                          • Renato Andreotti e Silva
                          Coorientador(es)
                            Orientando(s)
                            • Kauê Rodriguez Martins
                            Banca
                            • Fábio Pereira Leivas Leite
                            • Fernando de Almeida Borges
                            • Fernando Paiva
                            • Renato Andreotti e Silva
                            • Rodrigo Casquero Cunha
                            Resumo Anaplasma marginale, Babesia bigemina e Babesia bovis são agentes
                            reconhecidos no Brasil por causar a tristeza parasitária bovina (TPB), doença
                            transmitida pelo carrapato Rhipicephalus microplus. O carrapato e a TPB podem
                            causar prejuízos diretos à saúde animal como anemia hemolítica, aborto,
                            diminuição da produção e mortalidade em bovinos e prejuízos indiretos com
                            insumos, mão de obra para controlar o carrapato e tratamentos para o
                            hospedeiro. De forma geral, esses agentes também podem persistir em
                            rebanhos bovinos sem quaisquer sinais clínicos. Este estudo teve como objetivo
                            correlacionar o número de carrapatos com a quantidade de transcritos pela
                            reação em cadeia da polimerase quantitativa (qPCR) visando os genes msp1α
                            (A. marginale), cbisg (B. Bigemina) e cbosg (B. bovis) em bovinos Brangus e
                            Nelore sem tratamento acaricida no Cerrado brasileiro durante 12 meses. Todos
                            os animais testaram positivo para presença de A. marginale e B. bigemina, já B.
                            bovis não foi detectada por PCR e qPCR. Os animais da raça Brangus
                            apresentaram maior número de carrapatos quando comparados com animais da
                            raça Nelore (p<0,05). Quanto aos resultados do qPCR para A. marginale, os
                            animais Brangus apresentaram maior número de cópias que animais Nelore
                            (p<0,05). Para B. bigemina os animais Nelore apresentaram maior número de
                            cópias que a raça Brangus (p< 0,05). Além disso, ambas as raças não
                            apresentaram diferença estatística significativa no ganho de peso e na sorologia
                            ao longo do ano. Não foi possível estabelecer uma correlação estatística para o
                            número de carrapatos e o número de cópias de A. marginale e B. bigemina. Os
                            animais não apresentaram qualquer sinal clínico de anaplasmose ou babesiose,
                            porém, doi detectada a presença de A. marginale e B. bigemina durante o
                            período experimental, sugerindo que um baixo número de carrapatos pode ser
                            suficiente para manter uma situação enzoótica estável.
                            Download
                            AVALIAÇÃO DE MEDULA ÓSSEA A PERFIL HEMOSTÁTICO DE CÃES NATURALMENTE INFECTADOS POR LEISHMANIA (LEISHMANIA) INFANTUM CHAGASI
                            Curso Doutorado em Ciências Veterinárias
                            Tipo Tese
                            Data 22/10/2021
                            Área MEDICINA VETERINÁRIA
                            Orientador(es)
                            • Alda Izabel de Souza
                            Coorientador(es)
                              Orientando(s)
                              • Tamires Ramborger Antunes
                              Banca
                              • Alda Izabel de Souza
                              • Danilo Carloto Gomes
                              • Luciana Pereira Machado
                              • Magyda Arabia Araji Dahroug Moussa
                              • Mariana Isa Poci Palumbo
                              • Paulo Henrique Braz
                              • THIRSSA HELENA GRANDO
                              Resumo A leishmaniose visceral é considerada como uma das principais enfermidades parasitárias negligenciadas de maior importância para a saúde pública, acometendo diferentes espécies de mamíferos. Cães sintomáticos têm demonstrado distúrbios hemorrágicos e estudos avaliando da integridade dos componentes envolvidos na coagulação ainda são insuficientes para justificar tais alterações. A presença de plaquetopenia frequentemente é descrita em animais infectados, entretanto, são escassas as descrições em medicina veterinária do uso de plaquetas reticuladas para avaliação de regeneração medular. O objetivo com este estudo é avaliar o perfil hemostático, a linhagem megacariocítica e a dinâmica plaquetária em cães infectados naturalmente por Leishmania (Leishmania) infantum chagasi. Para a pesquisa foram utilizados materiais biológicos colhidos de 90 cães e o estudo foi dividido em duas etapas: na primeira fase realizou-se a análise do perfil hemostático em amostras sanguíneas de 40 animais. Destes, 06 representaram o grupo controle e 34 apresentavam LVC. Já na segunda etapa investigou-se amostras sanguíneas e de medula óssea de 50 cães, sendo 5 hígidos e 45 infectados por Leishmania (L.) infantum chagasi. A análise de biomarcadores hemostáticos neste estudo não demonstrou alterações importantes que levariam ao desenvolvimento de quadros hemorrágicos nos cães com LV. A ausência de lesão hepática e/ou alteração de função renal pode justificar esses resultados. Ao avaliar a medula óssea e a plaquetopoiese, alterações morfológicas megacariocíticas foram observadas em 91% dos cães infectados e a presença de micromegacariócitos e hiperlobulações pode estar associada a infecções parasitárias medulares mais intensas na LVC. A análise de plaquetas reticuladas demonstrou plaquetogênese ativa, para manutenção de valores basais, em alguns cães infectados e resposta inadequada à plaquetopenia devido comprometimento medular, constatada após a análise dos valores absolutos, chamando à atenção para o uso deste parâmetro diante de concentrações plaquetárias circulantes diminuídas.
                              Download
                              BOTULISMO EM BOVINOS E OVINOS: EPIDEMIOLOGIA, CARACTERIZAÇÃO CLÍNICA, DIAGNÓSTICO LABORATORIAL, DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL, ESTRATÉGIAS DE TRATAMENTO, CONTROLE E PREVENÇÃO
                              Curso Doutorado em Ciências Veterinárias
                              Tipo Tese
                              Data 04/10/2021
                              Área MEDICINA VETERINÁRIA
                              Orientador(es)
                              • Ricardo Antonio Amaral de Lemos
                              Coorientador(es)
                                Orientando(s)
                                • Juliana Paniago Lordello de Paula
                                Banca
                                • Claudio Severo Lombardo de Barros
                                • Danilo Carloto Gomes
                                • Fernando de Souza Rodrigues
                                • Marcelo Augusto de Araujo
                                • Rayane Chitolina Pupin
                                • Ricardo Antonio Amaral de Lemos
                                • Tatiane Cargnin Faccin
                                Resumo O sistema de confinamento de bovinos de corte é uma atividade que possibilita redução na idade de abate dos animais, maior produção por área e aumento da qualidade da carne. Existem poucos estudos sobre causas de mortalidades em bovinos confinados no Brasil, sendo as doenças respiratórias e os transtornos digestórios os principais problemas sanitários nesse sistema de produção e distúrbios neurológicos menos frequentes. A raiva é descrita de forma esporádica como causa de mortes em confinamentos de bovinos e surtos de botulismo com importantes perdas econômicas são relatados. Capítulo 1 - o objetivo foi descrever a epidemiologia, o quadro clínico, os procedimentos de diagnósticos, diagnósticos diferenciais de casos experimentais de botulismo em ovinos, respectivamente, e avaliar protocolos de prevenção e tratamento da doença. Foram realizados dois experimentos para a reprodução da doença em ovinos utilizando milho re-hidratado que foi associado a surto espontâneo de botulismo em bovinos. No primeiro modelo, foram utilizados 18 animais, e não foi possível reproduzir a doença. No segundo modelo experimental, foi administrado, via oral, a quatro ovinos, dois deles vacinados contra botulismo, mistura de restos de animais provenientes de um surto de botulismo e solução fisiológica, os quais apresentaram sinais clínicos de botulismo e foram tratados com soro anti-botulínico, mas três tiveram evolução fatal. Capítulo 2 - o objetivo foi descrever um surto de botulismo em bovinos confinados, demonstrando as dificuldades no diagnóstico e tratamento do botulismo nesta espécie. Um surto de botulismo em bovinos confinados alimentados com silagem de milho contaminada com neurotoxina de Clostridium botulinum tipo C (BoNT/C) ocorreu no Centro-Oeste do Brasil em agosto de 2017. O início do surto ocorreu 15 dias após 1700 bovinos começarem a ser alimentados com os contaminados silagem de milho. Um total de 1100 bovinos foram afetados, 1090 dos quais morreram em quatro dias. Dez bovinos se recuperaram após o tratamento com antitoxina. Nenhuma lesão macroscópica ou microscópica foi encontrada nos bovinos afetados. O diagnóstico foi baseado em dados epidemiológicos, sinais clínicos característicos e resultados positivos de bioensaios em camundongos. Capítulo 3 - o objetivo foi descrever um surto de raiva em bovinos confinados enfatizando a importância do diagnóstico diferencial e do estabelecimento de protocolos sanitários para prevenção. O surto ocorreu no estado de Mato Grosso do Sul, em um confinamento no qual morreram oito animais, sendo quatro necropsiados na propriedade e um encaminhado à Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Os animais não eram vacinados contra raiva. Os animais apresentaram sinais neurológicos e um animal apresentou prurido com auto-mutilação. Dos animais necropsiados todos tiveram achados de necropsia semelhantes caracterizados por bexiga repleta, leptomeninges moderadamente hiperêmicas e no exame histopatológico manguitos perivasculares de linfócitos e plasmócitos, discreta gliose e no citoplasma de neurônios havia de inclusões eosinofílicas compatíveis com corpúsculos de Negri. Todos os animais examinados foram positivos para raiva na imunofluorescência direta.
                                Download
                                METABOLISMO LIPÍDICO DE OÓCITOS E EMBRIÕES BOVINOS - EFEITOS DA SUPLEMENTAÇÃO E DA CINÉTICA DE DESENVOLVIMENTO
                                Curso Doutorado em Ciências Veterinárias
                                Tipo Tese
                                Data 16/11/2020
                                Área MEDICINA VETERINÁRIA
                                Orientador(es)
                                • Fabiana de Andrade Melo Sterza
                                Coorientador(es)
                                  Orientando(s)
                                  • Christopher Junior Tavares Cardoso
                                  Banca
                                  • Alessandra Corallo Nicacio
                                  • Eliane Vianna da Costa e Silva
                                  • Ériklis Nogueira
                                  • Evelyn Rabelo Andrade
                                  • Fabiana de Andrade Melo Sterza
                                  • Gustavo Guerino Macedo
                                  • Marcelo Marcondes Seneda
                                  Resumo Os mecanismos pelos quais a produção in vitro de embriões (PIVE) bovinos gera embriões com excessivo acúmulo lipídico, diferenças metabólicas e padrões epigenéticos não estão totalmente elucidados. Também permanece desconhecido quando essas alterações acontecem, se acontecem desde a maturação oocitária ou após início da clivagem embrionária. O presente estudo objetivou avaliar os efeitos suplementação lipídica e da cinética de desenvolvimento em oócitos e embriões produzidos in vitro. Para isso o trabalho foi dividido em 2 estudos: No estudo 1, intitulado
                                  "Suplementação lipídica para doadoras altera a qualidade de embriões submetidos a vitrificação” foram avaliados os efeitos da adição de linhaça na dieta de vacas Pantaneira sobre parâmetros digestivos e na produção in vitro de embriões submetidos a vitrificação. Foram analisados coeficientes de digestibilidade, perfil de metabolitos séricos, viabilidade oocitária, produção de embriões e criotolerância embrionária. A partir dos dados obtidos neste estudo, concluímos que a suplementação de 0,800 Kg/animal/dia de linhaça em grão, uma fonte rica em ácido linolênico, para fêmeas da raça Pantaneira incrementou a qualidade e criotolerância dos embriões produzidos in vitro. No estudo 2 intitulado “Metabolismo lipídico e atividade mitocondrial em oócitos e embriões bovinos produzidos in vitro com diferentes cinéticas de desenvolvimento” analisou-se o conteúdo lipídico, atividade mitocondrial e a tri-metilação da H3K4 em oócitos e embriões bovinos em diferentes fases de desenvolvimento e concluímos que o acúmulo de lipídeos ocorre nas primeiras 4 horas da maturação in vitro de COCs de Bos taurus. Blastocistos rápidos apresentam maior conteúdo lipídico que os embriões lentos, sem interferência da atividade mitocondrial nessa fase. A H3K4me3 parece ser essencial para o desenvolvimento embrionário, especialmente no que diz respeito as células do embrioblasto mas isso não parece mediar a velocidade de desenvolvimento e metabolismo lipídico.
                                  Download
                                  ESTRUTURA POPULACIONAL E TRANSMISSÃO DE MYCOBACTERIUM BOVIS NO SUL DO BRASIL
                                  Curso Doutorado em Ciências Veterinárias
                                  Tipo Tese
                                  Data 04/09/2020
                                  Área MEDICINA VETERINÁRIA
                                  Orientador(es)
                                  • Flábio Ribeiro de Araújo
                                  Coorientador(es)
                                    Orientando(s)
                                    • Rudielle de Arruda Rodrigues
                                    Banca
                                    • Ana Márcia de Sá Guimarães
                                    • Carlos Alberto do Nascimento Ramos
                                    • Cassia Rejane Brito Leal
                                    • Flábio Ribeiro de Araújo
                                    • Jorge Caetano Junior
                                    • Lenita Ramires dos Santos
                                    • Nalvo Franco de Almeida Junior
                                    Resumo Mycobacterium bovis é o agente causador da tuberculose bovina (TB), uma das mais importantes doenças atualmente enfrentadas pela pecuária mundial. O rastreamento da origem das infecções por M. bovis, que pode resultar da movimentação de bovinos, é uma ferramenta importante para o entendimento da epidemiologia da doença e para definição de estratégias de controle/erradicação. O sequenciamento genômico fornece uma maior resolução do que outros métodos de tipagem es-tabelecidos e melhora muito a definição da localização regional dos tipos de M. bovis. No Brasil os inquéritos epidemiológicos oficiais da TB demonstram que em alguns estados as prevalências são baixas, sendo possível a implementação de medidas de vigilância epidemiológica para erradicação da doença. No entanto, não há apoio de ferramentas moleculares para avaliar com precisão a di-versidade genética, persistência local ou disseminação de focos de TB. Nesse contexto, o objetivo deste trabalho foi gerar informações genômicas de isolados brasileiros de M. bovis, visando gerar marcadores que possam ser usados na investigação da epidemiologia da TB, possibilitando a ava-liação de transmissão da doença e inferência da estrutura de contatos entre populações. Para isso, foram utilizadas culturas de M. bovis isoladas do tecido granulomatoso de bovinos, naturalmente infectados, de áreas de ocorrência de TB provindas de treze propriedades localizadas em diferentes municípios do estado do Rio Grande do Sul (RS), Brasil, por meio da utilização de métodos conven-cionais, como a cultura bacteriológica em meio Stonebrink. As colônias sugestivas de M. bovis foram confirmadas por PCR convencional com os iniciadores Mb.400, que flanqueiam a região de diferen-ciação 4 (RD4), ausente nesta espécie, porém presente em todos os demais membros do Complexo Mycobacterium tuberculosis. O sequenciamento genômico de 74 isolados de M. bovis foi utilizado para avaliar a estrutura populacional de M. bovis na região. A espoligotipagem in silico identificou 11 padrões, incluindo quatro novos perfis e dois complexos clonais (CC), European 1 (Eu1) e Euro-pean 2 (Eu2). As análises revelaram um alto nível de diversidade genética na maioria dos rebanhos e identificaram grupos de transmissão que sugeriram que a transmissão dentro e entre rebanhos está ocorrendo no RS. Além disso, a comparação com outros isolados publicados de M. bovis da Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai aponta para uma possível transmissão transfronteiriça de CC Eu1 do Uruguai ou da Argentina para o RS. Uma data estimada para a introdução do CC Eu2 no RS no início do século XVI, correlacionou-se com o histórico e a introdução de gado no estado. Esses achados contribuem para o entendimento da estrutura populacional de M. bovis no sul do Brasil, além de destacar o potencial do sequenciamento do genoma na vigilância e rastreabilidade da transmissão de TB.
                                    Download
                                      UTILIZAÇÃO DE REDES NEURAIS ARTIFICIAIS COMO FERRAMENTA AUXILIAR NA DETECÇÃO DA TUBERCULOSE BOVINA EM REBANHOS BOVINOS.
                                      Curso Doutorado em Ciências Veterinárias
                                      Tipo Tese
                                      Data 13/12/2019
                                      Área MEDICINA VETERINÁRIA
                                      Orientador(es)
                                      • Flábio Ribeiro de Araújo
                                      Coorientador(es)
                                        Orientando(s)
                                        • Larissa de Fátima Cardoso Duarte
                                        Banca
                                        • Carlos Alberto do Nascimento Ramos
                                        • Cassia Rejane Brito Leal
                                        • Celso Correia de Souza
                                        • Flábio Ribeiro de Araújo
                                        • Lenita Ramires dos Santos
                                        • Marcia Ferreira Cristaldo
                                        • Nalvo Franco de Almeida Junior
                                        Resumo A tuberculose bovina (bTB) tem grande impacto na saúde pública e animal, pois determina um
                                        quadro de doença de elevada gravidade no homem e acarreta acentuadas perdas econômicas na
                                        pecuária. A maioria dos países, inclusive o Brasil, implantaram programas de erradicação e controle
                                        da bTB visando o saneamento do rebanho, esses programas têm como base, a realização de testes
                                        de reação intradérmica ao PPD, sacrifício dos animais reagentes e confirmação por meio de
                                        diagnósticos laboratoriais. Porém, para o avanço nos programas de controle e erradicação é
                                        necessário um sistema de vigilância epidemiológica da bTB que permita a rápida identificação e
                                        sanitização de focos, e consequentemente o rastreamento e controle da bTB nos planteis. O
                                        sucesso na identificação de animais tuberculosos está vinculado a combinações de vários métodos
                                        capazes de identificar animais infectados em diferentes estágios da infecção, reconhecendo as
                                        limitações individuais de cada técnica. Diante das limitações inerentes as técnicas de diagnóstico
                                        bTB, tem surgido extensas pesquisa para o desenvolvimento de tecnologias que gerem informações
                                        rápidas, precisas e que auxiliem o diagnóstico a alcançar maior sensibilidade e especificidade.
                                        Ferramentas de mineração de dados, como redes neurais artificiais (RNAs) e regressão logística
                                        binária, apresentam um potencial para identificar relações complexas e não lineares, com bons
                                        resultados preditivos nas suas análises, e tem sido cada vez mais utilizada em áreas da medicina e
                                        saúde pública, principalmente no diagnóstico de doenças. Assim, esse estudo visou comparar o uso
                                        de RNA e regressão logistica binária como ferramentas de predição na detecção da bTB, além disso
                                        foi observado a sensibilidade, especificidade e curvas Receiver Operating Characteristic (ROC)
                                        desses dois modelos preditivos e das técnicas diagnósticas utilizadas, bem como a análise de
                                        correlação de Spearman (α=0,05) entre as técnicas diagnósticas utilizadas. Foram avaliados 92
                                        bovinos, oriundos de quatro rebanhos, dos quais 53 animais eram de três rebanhos infectados e os
                                        39 restantes, de um rebanho livre de bTB. Todos os animais foram avaliados por métodos de
                                        diagnóstico ante mortem, com teste cervical comparativo (TCC) e ELISA, e métodos post mortem,
                                        com avaliação macroscópica da presença de lesões sugestivas de tuberculose (LST), Nested-PCR
                                        para rv2807 de tecidos e cultura bacteriana com confirmação de M. bovis por PCR para RD4. Os
                                        resultados da comparação entre os modelos preditivos, RNA e regressão logistica binária,
                                        demonstraram a acurácia de 95,6% e 79,3%, repectivamente, com sensibilidade e especificidade,
                                        de 100% e 92,5% para a RNA, e de 71,8% e 84,9% para a regressão logistica binária. Foi possivel
                                        observar a alta correlação entre as variáveis estudadas, presença de LST e cultivo bacteriano
                                        positico, o contrario também foi observado, a baixa correção entre o TCC e cultivo bacteriano
                                        positivo. Os resultados das curvas ROC dos modelos preditivos sugerem que o uso de RNA pode
                                        melhorar a detacção de infectados com M. bovis. Assim, é possivel inferir que o uso de técnicas
                                        mineração de dados, como a RNA, demonstram eficiência como ferramentas preditoras na detecção
                                        de bovinos infectados, com significativo grau de precisão, e podem melhorar a detecção da bTB nos
                                        rebanhos bovinos.
                                        Download
                                          Página 1 de 2 (20 de 30 registros).