Trabalhos Disponíveis

TRABALHO Ações
Assimetria flutuante de Paraponera clavata (Fabricius, 1775) em fragmentos urbanos e áreas de regeneração
Curso Mestrado em Ecologia e Conservação
Tipo Dissertação
Data 07/06/2024
Área ECOLOGIA
Orientador(es)
  • Gustavo Graciolli
Coorientador(es)
    Orientando(s)
    • BEATRIZ OLIVEIRA GARBIN
    Banca
    • Luan Dias Lima
    • Mauricio Osvaldo Moura
    • Rodrigo Aranda
    • Rodrigo Pires Dallacqua
    Resumo
    Ocorrência de agentes infecciosos em carnívoros silvestres e cães domésticos no Pantanal Sul
    Curso Mestrado em Ecologia e Conservação
    Tipo Dissertação
    Data 05/04/2024
    Área ECOLOGIA
    Orientador(es)
    • Fernando Paiva
    Coorientador(es)
      Orientando(s)
      • Mario Henrique Alves
      Banca
      • Fernando de Souza Rodrigues
      • Luiz Gustavo Rodrigues Oliveira Santos
      • MEIRE CHRISTINA SEKI
      • rogério ribas lange
      Resumo A maioria das doenças infecciosas emergentes e reemergentes no mundo são zoonoses com origem no ambiente silvestre. Entre os fatores associados à emergência e reemergência de doenças pode-se destacar urbanização, desmatamento e fragmentação de habitats, características que aumentam o contato entre animais domésticos ou silvestres e humanos. Os carnívoros selvagens e os cães semi-domiciliados podem compartilhar parasitos através do contato direto ou indireto em diversas regiões do mundo, como por exemplo o Pantanal. O objetivo do presente estudo foi determinar, por meio de diagnósticos moleculares qualitativos (PCR), a presença de patógenos transmitidos por vetores como: Borrelia spp., Rickettsia spp., Cytauxzoon felis, Hepatozoon spp., Leishmania spp., e Trypanosoma spp.; ou mesmo infecciosos por cistos ou oocistos como Neospora caninum e Toxoplasma gondi usando amostras de baço de carnívoros silvestres atropelados e amostras de sangue de cães domésticos obtidas nas margens da rodovia BR262 entre Aquidauana e Corumbá, no Mato Grosso do Sul. Do total de 54 amostras examinadas, sendo 26 de carnívoros silvestres e 28 de cães domésticos, 20 (37%) estavam positivas para ao menos um dos agentes patógenos analisados, sendo o agente mais prevalente o Hepatozoon spp., diagnosticado em 15 amostras. O presente estudo apresenta os primeiros relatos diagnóstico molecular positivo de Neospora caninum e Hepatozoon spp. em cachorro-vinagre (Speothos venaticus) e de Hepatozoon spp. em lontras de vida livre (Lontra longicaudis) e ressalta a importância da utilização de carcaças de animais atropelados como ferramenta epidemiológica com potencial para detecção de agentes importantes para a saúde pública.
      Aspectos ecológicos das relações parasita-hospedeiro em morcegos na Serra da Bodoquena, Mato Grosso do Sul
      Curso Mestrado em Ecologia e Conservação
      Tipo Dissertação
      Data 23/02/2024
      Área ECOLOGIA
      Orientador(es)
      • Fernando Paiva
      Coorientador(es)
        Orientando(s)
        • Carolina Barbosa de Souza
        Banca
        • Felipe Bisaggio Pereira
        • Gustavo Graciolli
        • Gustavo Lima Urbieta
        • Priscilla Soares dos Santos
        Resumo A diversidade de hábitos alimentares e de vida dos morcegos favorece a ocorrência de uma grande riqueza parasitária, esses atributos funcionais os expõem a diferentes grupos parasitários e propicia aos parasitas a exploração de diferentes nichos ecológicos. Com isso, os morcegos constituem um grupo de hospedeiros com potencial para serem estudados afim de compreender as dinâmicas parasitológicas. O objetivo deste estudo foi descrever a composição e a estrutura das infracomunidades de endoparasitos em morcegos cavernícolas, com diferentes hábitos alimentares, capturados na Serra da Bodoquena, Mato Grosso do Sul. Para investigação parasitológica uma amostra de 68 morcegos, distribuídos em doze espécies, pertencentes a três famílias: Anoura caudifer, Glossophaga soricina (nectarívoras; Phyllostomidae), Carollia perspicillata, Sturnira lilium cf., Micronycteris microtis cf., Micronycteris sanborni cf., Platyrrhinus lineatus (Phyllostomidae), Phyllostomus hastatus (Phyllostomidae), Chrotopterus auritus (Phyllostomidae), Desmodus rotundus (Phyllostomidae), Peropteryx macrotis (Emballonuridae), e Natalus macrourus (Natalidae). Foram encontrados representantes com hábitos alimentares insetívoros, carnívoros, hematófagos, frugívoros, nectárivoros e onívoros. Ao total, 207 espécimes helmintos foram identificados; Rictularia sp., Capillaria sp. Seuratum sp. cf., Physaloptera sp., Litomosoides sp. Nematoda, Vampirolepis sp., Diphyllobothriidae gen. sp., Urotrema scabridum, Prosthodendrium conturbatum e Anenterotrema mesolecitha, além do hematozóario Trypanosoma sp. As prevalências dos organismos parasitas variou DE 25% a 100% entre as espécies hospedeiras, a abundância dos helmintos revelou predominância de espécies de Trematodas (70%). Pela análise de rede bipartida, a modularidade revelou cinco módulos, indicando que há associações especializadas. A modularidade, uma característica de interações especialistas, foi influenciada pela dieta do hospedeiro, corroborando com estudos anteriores. A especificidade helmíntica relacionou-se com a dieta dos morcegos, evidenciando a influência da alimentação na dinâmica parasitária. Por exemplo, Chrotopterus auritus, com hábito carnívoro, apresentou maior diversidade de conexões com diferentes grupos parasitários. Por outro lado, Desmodus rotundus, com hábito hematófago, apresentou apenas parasitismo por Trypanosoma sp. Este estudo pioneiro na região contribui para compreender os padrões de transmissão de helmintos e tripanossomatídeos ressaltando a importância dos hábitos alimentares na dinâmica parasitária. Essas informações enriquecem o conhecimento sobre parasitas de morcegos na Serra da Bodoquena, Mato Grosso do Sul, Brasil, e serão fundamentais para estudos futuros.

        PALAVRAS-CHAVES: Helmintos; Endoparasitos; Morcegos; Cavernas; Ecologia Parasitária

        Incorporating Agricultural, Socioeconomic, and Political Factors into Conservation Strategies for the Giant Armadillo (Priodontes maximus) in the Cerrado
        Curso Mestrado em Ecologia e Conservação
        Tipo Dissertação
        Data 20/12/2023
        Área ECOLOGIA
        Orientador(es)
        • Fabio de Oliveira Roque
        Coorientador(es)
        • Jose Manuel Ochoa Quintero
        Orientando(s)
        • Bruna Gomes de Oliveira
        Banca
        • André Valle Nunes
        • Katia Maria Paschoaletto Micchi de Barros Ferraz
        • Nina Attias
        Resumo Modelos de distribuição de espécies são essenciais para a proposição de estratégias de conservação para grandes mamíferos. No entanto, fatores antrópicos devem ser incorporados para que essas estratégias sejam mais efetivas. No presente estudo escolhemos o tatu-canastra (Priodontes maximus) como espécie alvo, mapeamos a sua distribuição e analisamos a estrutura da paisagem em sua área de potencial ocorrência. Paralelamente, mapeamos as dimensões socioeconômicas, agrárias e de governança pública dos municípios do Cerrado, que foram classificados em grupos a fim de se acessar o contexto local. A partir da combinação desses resultados, discutimos estratégias de conservação para a espécie em contexto local-regional. Para a modelagem de distribuição foram usados 486 pontos de presença independentes e 14 variáveis preditoras, resultando em um modelo com 695.367 km2 de habitat remanescente para a espécie, o que corresponde a 33% do bioma Cerrado, com 7,6% dessa área no interior de Unidades de Conservação ou Terras Indígenas. Cinco variáveis antrópicas foram usadas para classificar os 1434 municípios da área de estudo, resultando em 3 grupos de perfis municipais distintos. Foram então gerados um mapa e um quadro que combinam as informações de perfil municipal e quantidade de habitat remanescente por município a fim de orientar os primeiros passos na tomada de decisão para estratégias de conservação. Um grupo se destacou devido a presença de grandes porções de áreas de vegetação nativa remanescente tanto em propriedades privadas quanto em áreas protegidas, indicando grande oportunidade de conservação.
        Vulnerability of Rural Properties in the Pantanal Amid Recent Exceptional Environmental Changes
        Curso Mestrado em Ecologia e Conservação
        Tipo Dissertação
        Data 20/12/2023
        Área ECOLOGIA
        Orientador(es)
        • Geraldo Alves Damasceno Junior
        Coorientador(es)
          Orientando(s)
          • Pablo Pinheiro Dutra
          Banca
          • Christian Niel Berlinck
          • Jose Marcato Junior
          • Renata Libonati dos Santos
          • Rosa Helena da Silva
          Resumo Este trabalho analisou as mudanças ambientais excepcionais recentes (REECs) no Pantanal, com foco nas propriedades rurais de diferentes tamanhos afetadas. Os resultados destacam que as REECs não ocorrem uniformemente no espaço e afetam propriedades de diferentes tamanhos de maneira desigual. Propriedades pequenas foram particularmente atingidas por incêndios excepcionais, o que tem implicações significativas, pois essas áreas abrigam comunidades com recursos limitados e dependem da agricultura de subsistência. Estratégias de prevenção e combate a incêndios, diversificação de fontes de renda e fortalecimento da capacidade adaptativa dessas comunidades são recomendadas para redução da vulnerabilidade frente a essas mudanças. Nosso estudo ressalta a importância de intervenções direcionadas de acordo com a necessidade local e colaboração para promover a resiliência das comunidades afetadas por REECs no Pantanal.
          Efeito de cercamentos sobre a mortalidade de fauna na rodovia BR-262/MS
          Curso Mestrado em Ecologia e Conservação
          Tipo Dissertação
          Data 20/11/2023
          Área ECOLOGIA
          Orientador(es)
          • Rudi Ricardo Laps
          Coorientador(es)
            Orientando(s)
            • Débora Regina Yogui
            Banca
            • LARISSA OLIVEIRA GONÇALVES
            • Simone Rodrigues de Freitas
            Resumo Colisões veiculares com fauna causam impactos aos animais e às suas populações e colocam em risco a segurança humana. Estruturas que visam impedir a passagem de animais pela rodovia são uma potencial solução para esse problema, mas a eficácia delas é altamente variável. Este estudo tem como objetivo avaliar se os cercamentos longos e curtos instalados na rodovia BR-262/MS tiveram efeito sobre a mortalidade das espécies registradas. Em um desenho amostral BACI (“Before After Control Impact”), com registros obtidos em seis anos de monitoramento sistemático, foram comparadas as contagens de carcaças antes e após o cercamento, e entre os trechos cercados e trechos-controle sem mitigação, utilizando modelos generalizados mistos (GLMM). Os resultados indicam que os cercamentos longos levaram a uma redução significativa na mortalidade dos jacarés-do-pantanal (Caiman yacare): enquanto nos trechos-controle houve um aumento de 20% na mortalidade, nos trechos cercados houve uma redução de 70%. No entanto, as cercas não foram eficazes em reduzir a mortalidade geral de fauna nos trechos mitigados. Para que a eficácia das cercas seja melhorada, visto que ela é espécie-dependente, é necessária, inicialmente, a escolha das espécies-alvo, para que a localização, extensão e modelo das cercas sejam adequados às particularidades de cada espécie. Além disso, para que a integridade das cercas seja mantida, é essencial a manutenção constante das estruturas e uma boa comunicação com a comunidade local. Entretanto, para que a mortalidade geral de fauna seja reduzida na rodovia como um todo, é necessário um minucioso planejamento, com metas bem definidas e múltiplas estratégias para reduzir as colisões com as diferentes espécies-alvos. O monitoramento de fauna atropelada a longo prazo é essencial para a avaliação periódica das estruturas instaladas e a identificação de possíveis adaptações. Por fim, para que o conhecimento científico-tecnológico seja incorporado à fase de planejamento, é necessária uma melhor conexão entre pesquisadores, analistas ambientais e tomadores de decisão, assim como vontade política para que a problemática das colisões veiculares seja realmente enfrentada.
            Assembleias avifaunísticas de ambientes naturais e antropizados: uma abordagem ecomorfológica
            Curso Mestrado em Ecologia e Conservação
            Tipo Dissertação
            Data 08/11/2023
            Área ECOLOGIA
            Orientador(es)
            • Rudi Ricardo Laps
            Coorientador(es)
              Orientando(s)
              • Henrique da Cunha Raupp
              Banca
              • Caio José Carlos
              • LISIANE ACOSTA RAMOS
              • Sandra Maria Hartz
              Resumo Na ornitologia, mesmo em escalas espaciais pequenas, estudos ecomorfométricos que utilizam combinações holísticas de características morfométricas conseguem evidenciar relações morfométricas de comunidades ou guildas ecológicas que podem divergir dependendo do contexto ambiental que estão inseridas. O Litoral Norte do Rio Grande do Sul (LN/RS) abrange uma zona de transição de biomas (Pampa e Mata Atlântica), propiciando à região uma composição paisagística heterogênea, com ampla diversidade biológica. Entretanto, há décadas que formações nativas são convertidas em conglomerados urbanos ou de uso agropecuário, criando assim, um desafio para a conservação e preservação da biodiversidade local, em especial, para as espécies de aves restritas a ambientes nativos. Desta forma, escolhemos cinco assembleias de Passeriformes vinculadas a ambientes nativos ou antropizados em Osório, cidade-sede do LN/RS, e utilizando nove características morfométricas (corporais e do bico), avaliamos a morfometria geral das assembleias, bem como a morfometria de dez grupos ecológicos em cada assembleia. Além disso, avaliamos a similaridade taxonômica, compartilhamento de táxons e a composição ecológica destas assembleias. Para alcançar nossos objetivos, utilizamos a ciência cidadã, literatura, testes estatísticos e análise de componentes principais (PCA). Frente a ocorrência e distribuição de espécies, encontramos diferentes valores na similaridade taxonômica e diferenças estatisticamente significativas na distribuição de guildas ecológicas e espécies ameaçadas em assembleias vinculadas a ambientes naturais. Na ecomorfometria de guildas e assembleias, identificamos diferenças estatisticamente significativas em características relacionadas à capacidade de voo, deslocamento e alimentação; correlações entre características morfométricas e especializações ecológicas; morfoespaços de volumes distintos e parcialmente sobrepostos; e morfoespaços ocupados exclusivamente por uma assembleia ou guilda. Assim, a existência de particularidades morfométricas entre as assembleias de Passeriformes sugerem que ocorrem pressões seletivas distintas em relação aos ambientes amostrados, o que reforça a importância da conservação de formações nativas vinculadas ao Pampa, Mata Atlântica, lagoas e zonas costeiras para a manutenção da biodiversidade avifaunística LN/RS.
              Ácaros parasitos em roedores em diferentes gradientes de paisagem, na Serra da Bodoquena, MS, Brasil
              Curso Mestrado em Ecologia e Conservação
              Tipo Dissertação
              Data 19/10/2023
              Área ECOLOGIA
              Orientador(es)
              • Fernando Paiva
              Coorientador(es)
                Orientando(s)
                • Luana da Silva Fernandes
                Banca
                • Gustavo Graciolli
                • JOÃO LUIZ HORACIO FACCINI
                • Katia Denise Saraiva Bresciani
                • Marcos Valério Garcia
                • Paulo Henrique Duarte Cançado
                Resumo O parasitismo em roedores vem recebendo destaque devido à grande expansão de doenças zoonóticas; principalmente, porque mamíferos são importantes hospedeiros para várias espécies de ectoparasitos. Essas interações parasito-hospedeiro são relevantes nos processos de coevolução, atuando tanto sobre o hospedeiro quanto ao parasito, o que contribui, de certo modo, a manterem sua sobrevivência. No presente trabalho o objetivo foi abordar a interação parasitária entre ácaros e pequenos roedores em diferentes gradientes de paisagens na Serra da Bodoquena no estado do Mato Grosso do Sul; em uma área monitorada por um Projeto de Pesquisas Ecológicas de Longa Duração (PELD). Para tanto, as paisagens foram caracterizadas em relação ao seu grau de conservação; como baixo, médio e alto. Assim, foram capturados 62 espécimes de roedores, e neles encontrados e recuperados 2103 ácaros; sendo todos pertencentes a ordem Mesostigmata, distribuídos em apenas dois gêneros: Laelaps spp. e Gigantolaelaps spp.. Estes foram identificados e estimados os descritores ecológicos de parasitismo como prevalência, abundância e intensidade para cada uma das espécies de hospedeiros. Modelo teórico de redes de interações foi estruturado, considerando as variáveis: parasito/hospedeiro, parasito/paisagem e hospedeiro/paisagem. Até o momento, este é o primeiro estudo sobre comunidade de ectoparasitos em roedores na Região da Serra da Bodoquena, MS; o qual deverá contribuir para a compreensão de aspectos ecológicos das relações entre os ácaros e os roedores no bioma Cerrado e Pantanal.
                Seleção e uso de habitat pelo Jacaré-paguá (Paleosuchus palpebrosus) no Rio Verde, Mato Grosso do Sul.
                Curso Mestrado em Ecologia e Conservação
                Tipo Dissertação
                Data 24/09/2023
                Área ECOLOGIA
                Orientador(es)
                • Diego Jose Santana Silva
                Coorientador(es)
                  Orientando(s)
                  • João Emilio de Almeida Júnior
                  Banca
                  • Fábio de Lima Muniz
                  • Jessica Rhaiza
                  • Luís Antonio Bochetti Bassetti
                  Resumo Entre os crocodilianos brasileiros, o jacaré-paguá (Paleosuchus palpebrosus) se destaca devido aos seus comportamentos peculiares e por ser um dos jacarés que mais utilizam ambientes terrestres durante sua vida. No entanto, a maioria dos estudos com essa espécie se concentra em ambientes de menores proporções, como igarapés e riachos de águas frias e cristalinas, sendo escassas as pesquisas com populações em rios de grandes dimensões. Nesse contexto, o objetivo deste trabalho foi investigar se existe uma preferência por um determinado habitat por parte dos P. palpebrosus em uma parcela do Rio Verde, localizado no município de Água Clara, Mato Grosso do Sul. Durante um período de 6 meses, foram realizadas 5 de campo e análises de sensoriamento remoto para acompanhar uma população de P. palpebrosus (N=151), averiguando uma possível preferência por um habitat, relacionando esses dados com o tamanho de cada jacaré. Os dados obtidos revelaram que os jacarés possuem preferências por ambientes alagados, evitando áreas abertas e próximas a áreas urbanizadas. Além disso, na área estudada o tamanho dos indivíduos não influenciou na escolha desses animais por diferentes ambientes. Este estudo contribui para o conhecimento sobre a ecologia dos P. palpebrosus, que é uma espécie pouco estudada, na região do Rio Verde, em Água Clara, Mato Grosso do Sul. As informações obtidas nesse trabalho podem ser úteis para a gestão e conservação da biodiversidade na área, incluindo a identificação de áreas prioritárias para a conservação e restauração de habitats do P. palpebrosus e incrementando os conhecimentos sobre a espécie em ambientes antes desconhecidos.
                  A influência das tocas do tatu-canastra (Priodontes maximus) na diversidade de artrópodes
                  Curso Mestrado em Ecologia e Conservação
                  Tipo Dissertação
                  Data 30/08/2023
                  Área ECOLOGIA
                  Orientador(es)
                  • Gustavo Graciolli
                  Coorientador(es)
                  • Arnaud Léonard Jean Desbiez
                  Orientando(s)
                  • Mateus Yan de Oliveira
                  Banca
                  • Adriana Bocchiglieri
                  • THIAGO FERNANDES MARTINS
                  Resumo A engenharia do ecossistema é um mecanismo importante para a manutenção e aumento de espécies na escala da paisagem. Engenheiros do ecossistema criam habitats que são utilizados por várias espécies. É o caso do tatu-canastra (Priodontes maximus), pois suas tocas servem de abrigo e refúgio térmico para muitos organismos, como as mais de 70 espécies de vertebrados já relatadas utilizando suas tocas. Essas tocas também podem favorecer a comunidade de artrópodes, uma vez que apresentam condições ideais, como umidade e temperaturas constantes, para o desenvolvimento desses animais. Entretanto, ainda não há informações sobre as espécies de artrópodes que podem utilizar as tocas de tatus. Portanto, o objetivo deste estudo foi avaliar a importância das tocas do tatu-canastra para a comunidade de artrópodes e verificar se a presença delas influencia na abundância, riqueza e diversidade de espécies da região. Para isso, amostramos 43 tocas de tatu-canastra e 43 pontos controle com armadilhas de CO2, pitfall e moericke durante junho e setembro de 2021 no Pantanal da Nhecolândia, Mato Grosso do Sul, Brasil. Os dados gerados demonstraram que as tocas do tatu-canastra favorecem mais de 300 espécies de artrópodes no Pantanal e que a sua presença aumenta 24,3% a diversidade de espécies regional. Além disso, pulgas e carrapatos foram mais abundantes e ocorreram principalmente nas tocas, indicando que este ambiente pode favorecer a transmissão de patógenos no ecossistema. Concluímos que o tatu-canastra parece ter grande importância na estruturação da comunidade de artrópodes e que pode ser um importante aliado na conservação, já que a preservação desta espécie pode favorecer indiretamente muitas espécies de vertebrados e invertebrados que utilizam as suas tocas.A engenharia do ecossistema é um mecanismo importante para a manutenção e aumento de espécies na escala da paisagem. Engenheiros do ecossistema criam habitats que são utilizados por várias espécies. É o caso do tatu-canastra (Priodontes maximus), pois suas tocas servem de abrigo e refúgio térmico para muitos organismos, como as mais de 70 espécies de vertebrados já relatadas utilizando suas tocas. Essas tocas também podem favorecer a comunidade de artrópodes, uma vez que apresentam condições ideais, como umidade e temperaturas constantes, para o desenvolvimento desses animais. Entretanto, ainda não há informações sobre as espécies de artrópodes que podem utilizar as tocas de tatus. Portanto, o objetivo deste estudo foi avaliar a importância das tocas do tatu-canastra para a comunidade de artrópodes e verificar se a presença delas influencia na abundância, riqueza e diversidade de espécies da região. Para isso, amostramos 43 tocas de tatu-canastra e 43 pontos controle com armadilhas de CO2, pitfall e moericke durante junho e setembro de 2021 no Pantanal da Nhecolândia, Mato Grosso do Sul, Brasil. Os dados gerados demonstraram que as tocas do tatu-canastra favorecem mais de 300 espécies de artrópodes no Pantanal e que a sua presença aumenta 24,3% a diversidade de espécies regional. Além disso, pulgas e carrapatos foram mais abundantes e ocorreram principalmente nas tocas, indicando que este ambiente pode favorecer a transmissão de patógenos no ecossistema. Concluímos que o tatu-canastra parece ter grande importância na estruturação da comunidade de artrópodes e que pode ser um importante aliado na conservação, já que a preservação desta espécie pode favorecer indiretamente muitas espécies de vertebrados e invertebrados que utilizam as suas tocas.
                  Efeito do Fogo Sobre a Diversidade Funcional de Aves do Ecótono Cerrado-Pantanal
                  Curso Mestrado em Ecologia e Conservação
                  Tipo Dissertação
                  Data 11/08/2023
                  Área ECOLOGIA
                  Orientador(es)
                  • Danilo Bandini Ribeiro
                  Coorientador(es)
                    Orientando(s)
                    • Allan Corral Anjos
                    Banca
                    • FLÁVIO KULAIF UBAID
                    • Franco Leandro de Souza
                    • TULIO DORNAS DE OLIVEIRA
                    Resumo As queimadas representam uma das questões ambientais mais relevantes em muitos ecossistemas. Na maioria das vezes decorrentes da ação antropogênica, os incêndios florestais comportam-se como um dos principais redutores da diversidade biológica, elevando os números de extinções locais. Em alguns ecossistemas, o fogo atua como um elemento importante na dinâmica ecológica. No caso do Pantanal e Cerrado, ambientes chamados de pirofíticos, o fogo é um processo naturalmente sazonal que molda a dinâmica das comunidades de animais e plantas. O presente trabalho teve como objetivo analisar a influência do fogo sobre a comunidade de aves. Foi realizado um levantamento qualitativo e quantitativo da avifauna, através da metodologia de pontos de escuta em dez tratamentos, e dois ambientes distintos, assim como em diferentes frequências de queima. Dessa forma, buscou-se entender como a comunidade de aves, e também seus atributos funcionais respondem frente ao regime de fogo. O fogo de fato afetou a comunidade de aves, principalmente quando comparadas em diferentes frequências e intensidades de queimas, apresentando respostas distintas em ambientes florestados e campestres, e por consequência, afetando também os traços funcionais das espécies presentes.
                    Efeitos do fogo na assembleia de borboletas na transição Pantanal-Cerrado
                    Curso Mestrado em Ecologia e Conservação
                    Tipo Dissertação
                    Data 14/07/2023
                    Área ECOLOGIA
                    Orientador(es)
                    • Danilo Bandini Ribeiro
                    Coorientador(es)
                    • Thiago Silva Teles
                    Orientando(s)
                    • Rafaela Aparecida Mariano Fernandes
                    Banca
                    • JESSIE PEREIRA DOS SANTOS
                    • MARINA DO VALE BEIRÃO
                    Resumo O fogo é uma das principais fontes de distúrbio em diversos ecossistemas, tendo influência na sua
                    composição, estrutura, disponibilidade de recursos e consequentemente, a composição das
                    comunidades animais, As borboletas são sensíveis às mudanças que ocorrem em seu hábitat e
                    podem responder aos diferentes regimes de fogo (frequência e época de ocorrência). O objetivo
                    desta dissertação é saber como as borboletas respondem aos diferentes regimes de fogo, em relação
                    à frequência (número de eventos de fogo) e época da ocorrência de fogo na estação seca (início ou
                    fim). Para isso, esta dissertação está estruturada em dois capítulos, sendo o primeiro uma revisão
                    sistemática e o segundo um estudo observacional. O primeiro capítulo avalia as lacunas existentes
                    em ecossistemas que foram sujeitos a eventos de fogo e utilizaram borboletas como objeto de
                    estudos e o segundo capítulo avalia os possíveis efeitos das diferentes épocas de queimadas na
                    fauna de borboletas no Pantanal sul-mato-grossense.
                    Modelagem de distribuição para espécies sul-americanas de Podicipedidae
                    Curso Mestrado em Ecologia e Conservação
                    Tipo Dissertação
                    Data 06/06/2023
                    Área ECOLOGIA
                    Orientador(es)
                    • Rudi Ricardo Laps
                    Coorientador(es)
                      Orientando(s)
                      • Dinah Vitória dos Santos Madruga
                      Banca
                      • Demetrio Luis Guadagnin
                      • Luisa Maria Diele Viegas Costa Silva
                      • Thadeu Sobral de Souza
                      Resumo Podicipedidae é uma família da Ordem Podicipediformes caracterizada por possuir adaptações morfológicas ao ambiente aquático. Esse grupo apresenta uma gama de ameaças e pressões de extinção, sendo elas, principalmente, as ações antrópicas, na qual podemos citar a introdução de espécies exóticas e invasoras, caça e degradação de habitat. Três espécies das vinte e duas da família já estão extintas, e outras oito são consideradas ameaçadas pela IUCN. Uma ferramenta para auxiliar na conservação desse grupo é a modelagem de distribuição de espécies, que identifica áreas potenciais de ocorrência para as espécies da família. O objetivo deste trabalho foi de identificar possíveis variáveis que influenciam a distribuição das espécies sul americanas de Podicipedidae e de prever cenários de distribuição potencial dessas espécies. Para isso, foram realizadas duas modelagens de distribuição de espécies para as espécies Sul americanas de Podicipedidae, sendo a primeira utilizando variáveis bioclimáticas e variáveis de uso de solo e a segunda utilizando apenas variáveis bioclimáticas. Nossos resultados apontaram que a precipitação em meses secos e a temperatura em meses frios são as variáveis que mais influenciam a distribuição desses seres vivos. Ao contrário do que esperávamos, as variáveis de uso de solo (presença de agricultura, presença de pecuária, utilização de nitrogênio e utilização de fósforo) não se provaram influentes na distribuição das espécies. Para cada espécie, 4 modelos foram gerados, um modelo utilizando o algoritmo BIOCLIM com variáveis bioclimáticas e de uso de solo, um modelo utilizando o algoritmo MaxEnt com as variáveis bioclimáticas e de uso de solo, um modelo BIOCLIM apenas com variáveis bioclimáticas e um modelo MaxEnt apenas com variáveis bioclimáticas. O algoritmo BIOCLIM apresentou distribuições potenciais mais restritas para as espécies, incluindo também a extinção de Podiceps taczanowskii e uma possível extinção de Podiceps gallardoi, enquanto isso, o algoritmo MaxEnt sugeriu novas áreas de ocorrência para as espécies, principalmente em regiões com características climáticas semelhantes.
                      As interações tróficas de um pequeno peixe predador podem ser preditas pelas características ambientais? Um estudo de caso com Piabarchus stramineus (Characidae)
                      Curso Mestrado em Ecologia e Conservação
                      Tipo Dissertação
                      Data 14/04/2023
                      Área ECOLOGIA
                      Orientador(es)
                      • Yzel Rondon Súarez
                      Coorientador(es)
                        Orientando(s)
                        • Karoline Aparecida de Sena
                        Banca
                        • CLARICE BERNHARDT FIALHO
                        • Elaine Antoniassi Luiz Kashiwaqui
                        • ROSEMARA FUGI
                        Resumo Na literatura, encontramos muitos estudos que descrevem a alimentação de peixes e possibilitam caracterizar as suas dietas. Esses estudos deram luz a abordagem experimental para avaliar as interações entre as taxas de consumo e as características ambientais. Espécies generalistas usualmente alteram suas dietas de acordo com a disponibilidade no ambiente e, portanto, devem ter sua alimentação influenciada pelas características ambientais locais, que definem a diversidade e disponibilidade de recursos alimentares. Avaliamos se as características abióticas dos riachos pertencentes ao Alto Rio Paraná podem influenciar na estruturação das redes de interação trófica de uma espécie de peixe insetívora e de pequeno porte. Ao todo, analisamos a dieta de 425 espécimes em 17 trechos de riachos em três sub-bacias do Alto Rio Paraná, sendo o recurso mais representativo os insetos autóctones, seguido de insetos alóctones. A principal fonte de variação na dieta foi o comprimento dos indivíduos, seguida da variação espacial (sub-bacias), com maior amplitude de nicho trófico em riachos na porção inferior das bacias e com baixa condutividade elétrica da água. A rede trófica de P. stramineus não apresentou comportamento aninhado. Não constatamos variabilidade na posição trófica em resposta ao gradiente ambiental, no entanto, a complexidade das redes tróficas, modularidade e especialização complementar foram significativamente explicadas pela altitude e condutividade elétrica da água. Portanto, nossos dados demonstram que as características ambientais podem influenciar na estruturação das redes de interação entre P. stramineus e suas presas.
                        Comportamento reprodutivo e territorialidade de tocas do tatu- bolinha (Tolypeutes matacus)
                        Curso Mestrado em Ecologia e Conservação
                        Tipo Dissertação
                        Data 10/03/2023
                        Área ECOLOGIA
                        Orientador(es)
                        • Guilherme de Miranda Mourão
                        Coorientador(es)
                        • Nina Attias
                        Orientando(s)
                        • Amanda de Melo
                        Banca
                        • Adriana Bocchiglieri
                        • Alessandra Bertassoni da Silva
                        • Arnaud Léonard Jean Desbiez
                        • Guilherme de Miranda Mourão
                        Resumo Os tatus (Cingulata) de modo geral são pouco conhecidos e informações básicas sobre a
                        biologia e ecologia são quase inexistentes para a maioria das espécies. Informações sobre
                        ecologia espacial e o comportamento de acasalamento de espécies de vida livre possibilitam
                        a elaboração de planos de conservação mais eficientes. Por isso, este estudo se propõe a
                        descrever o repertório de comportamentos de acasalamento de tatus-bolinha (Tolypeutes
                        matacus) em indivíduos de vida livre e o uso espacial do território de toca. No primeiro
                        capítulo, objetivamos descrever aspectos da biologia comportamental de acasalamento dos
                        tatus-bolinha, através da observação direta de grupo focal. Para isto, fêmeas foram
                        monitoradas via rádio telemetria VHF. Durante o monitoramento, ao menos 4 fêmeas
                        entraram em estro. Foram registrados os seguintes repertórios comportamentais associados
                        ao acasalamento: os "rallies" de perseguição dos machos às fêmeas em estro, disputas
                        agonísticas entre machos para o acesso a fêmea receptiva, implantação de plugue copulatório
                        na genitália da fêmea após a cópula, sendo esse o primeiro registro de plugue copulatório
                        em tatus. Os comportamentos observados resultaram nas seguintes conclusões: a ocorrência
                        de uma intensa competição entre machos para obter sucesso reprodutivo; a confirmação de
                        um sistema de acasalamento promíscuo para esta espécie; as fêmeas têm estratégia de
                        controle para a interrupção da cópula a qualquer momento, elas iniciam a corrida ou entram
                        em uma toca; e a “colocação” de plugue copulatório com uma estratégia de guarda passiva
                        do macho para obter acesso exclusivo à fêmea. O segundo discute a dinâmica espacial e o
                        estabelecimento de um território de tocas por fêmeas de Tolypeutes matacus. Por meio do
                        rastreamento de fêmeas adultas e subadultas equipadas com rádio VHF, foram obtidas as
                        localizações das tocas utilizadas por elas durante o repouso. Com os dados obtidos, foram
                        calculados o tamanho do território de tocas, por meio do estimador MCP 95%. Em seguida,
                        foi calculado o índice de sobreposição do território de tocas entre pares de indivíduos
                        vizinhos. Para determinar a longevidade dos tatus-bolinha na área de estudo. Para tal
                        objetivo, foram comparadas fotografias do escudo cefálico de todos os tatus capturados neste
                        estudo com os de um estudo anterior, de 2015, constatando a recaptura de quatro indivíduos.
                        Com relação ao território de tocas observamos que as fêmeas monitoradas preferencialmente
                        mantém áreas exclusivas em relação às outras fêmeas. Adicionalmente, pudemos concluir
                        que os tatus-bolinha vivem mais de sete anos em vida livre.
                        Efeitos do fogo sobre os mamíferos de médio e grande porte na TI Kadiwéu, Porto Murtinho, Mato Grosso do Sul
                        Curso Mestrado em Ecologia e Conservação
                        Tipo Dissertação
                        Data 24/11/2022
                        Área ECOLOGIA
                        Orientador(es)
                        • Danilo Bandini Ribeiro
                        Coorientador(es)
                          Orientando(s)
                          • Anny de Moraes Costa
                          Banca
                          • Cyntia Cavalcante Santos
                          • Danilo Bandini Ribeiro
                          • Mauricio de Almeida Gomes
                          • Vania Regina Pivello
                          Resumo As terras indígenas têm como tradição o manejo com uso do fogo, todavia, incêndios
                          antropogênicos ou queimadas em períodos indevidos podem ser prejudiciais para o
                          meio ambiente. Neste estudo foi avaliado a influência de regimes de fogo sobre a
                          comunidade de mamíferos de médio e grande porte na Terra Indígena (TI) Kadiwéu, em
                          Porto Murtinho/MS. Para tanto, classificou-se a paisagem em 4 tratamentos amostrais

                          considerando frequência (alta ou baixa) e último período de queima (precoce ou modal-
                          tardio). Foram utilizadas câmeras trap e busca ativa de mamíferos no entorno das

                          câmeras. Os tratamentos foram comparados em relação a composição, riqueza e
                          abundância das espécies de mamíferos e da composição da paisagem. Ao todo,
                          registrou-se 21 espécies de mamíferos de médio e grande porte. A composição, riqueza
                          e abundância de espécies não diferiram significativamente entre os tratamentos bem
                          como as diferenças na composição da paisagem. As espécies registradas distribuem-se
                          amplamente por todas as fitofisionomias da área de estudo, ocorrendo em todos os tipos
                          de áreas queimadas, sem nenhuma seleção aparente das espécies por algum tipo de área.
                          Com isso, concluímos que os diferentes regimes de fogo aliados às diferenças na
                          composição da paisagem, não são fatores determinantes na estrutura da comunidade de
                          mamíferos de médio e grande porte na TI Kadwéu, pois as espécies estiveram presentes
                          na maioria dos tratamentos. Por fim, ressalta-se a importância da área para conservação
                          e preservação de espécies, sendo fundamental para a manutenção da biodiversidade
                          regional, por possuir uma grande diversidade local, incluindo espécies ameaçadas de
                          extinção, que estão adaptada aos diferentes regimes de fogo.
                          Relation between restoration public policies and human development at the global level
                          Curso Mestrado em Ecologia e Conservação
                          Tipo Dissertação
                          Data 31/10/2022
                          Área ECOLOGIA
                          Orientador(es)
                          • Leticia Couto Garcia Ribeiro
                          Coorientador(es)
                            Orientando(s)
                            • Leonardo de Oliveira Parangaba
                            Banca
                            • Jose Manuel Ochoa Quintero
                            • Leticia Couto Garcia Ribeiro
                            • LUIZ MAURO BARBOSA
                            • Miguel Antonio de Goes Calmon
                            Resumo O desenvolvimento é um processo necessário para o avanço da sociedade. Entretanto este avanço faz com que o uso dos recursos naturais aumente em proporções cada vez maiores gerando impactos para os ecossistemas. Nos últimos 30 anos, mais de 400 milhões de hectares de florestas foram desmatadas em razão de atividades antrópicas, principalmente a agricultura. Nesse sentido, há uma necessidade de políticas públicas que determinem o uso adequado desses recursos e sua restauração através de produções sustentáveis, em especial sistemas agroflorestais. Assim, o objetivo deste estudo foi revisar políticas públicas voltadas para a restauração em diversos países e avaliar sua relação com IDH e a perda de cobertura florestal desses países. Criamos um modelo de equação estrutural para determinar o efeito do IDH sobre o número de políticas públicas e as taxas de perda de cobertura florestal. Encontramos um total de 414 políticas públicas. O número de políticas públicas voltadas à restauração aumentou ao longo dos anos e isto pode ser relacionado a alguns marcos de compromissos internacionais. O modelo revela um efeito direto positivo entre o IDH e o número de políticas públicas, demonstrando que o nível de desenvolvimento de um país pode afetar a elaboração de políticas públicas voltadas à restauração. Esperávamos que países mais desenvolvidos apresentariam as menores taxas de desmatamento, visto que a pobreza e a desigualdade de renda estão correlacionadas com maior poluição e geralmente maior desmatamento, porém, isso não foi observado em nosso modelo. Nossos dados mostraram que apenas 22% de todas as políticas públicas apresentaram planos de monitoramento para ações de restauração, 7% pretendiam implementar sistemas agroflorestais como estratégia de restauração, e apenas 5% mencionaram o uso de espécies nativas. Por fim, o nível de desenvolvimento de um país pode influenciar o desenvolvimento de políticas públicas voltadas para a restauração, mas, para alcançar maior sucesso na reversão da perda da cobertura vegetal, é necessário um planejamento adequado, monitoramento e engajamento de todas as partes interessadas, sejam elas de governança pública, privada e da comunidade em geral.
                            Química envolvida na sexualidade de plantas: estudo de Cecropia pachystachya Trécul (Urticaceae)
                            Curso Mestrado em Ecologia e Conservação
                            Tipo Dissertação
                            Data 17/10/2022
                            Área ECOLOGIA
                            Orientador(es)
                            • Denise Brentan da Silva
                            Coorientador(es)
                            • Flavio Macedo Alves
                            Orientando(s)
                            • André Nunes da Silva
                            Banca
                            • Denise Brentan da Silva
                            • Fernando Batista da Costa
                            • Juliano Geraldo Amaral
                            • Simone de Pádua Teixeira
                            Resumo A expressão da sexualidade em plantas que apresentam a dioicia como sistema sexual pode dar origem a dimorfismos e a alocação de recursos. Embora evidências do dimorfismo químico sexual tenham sido relatado para diversas espécies, poucos trabalhos investigam a existência destes nas plantas. A existência de dimorfismos químicos pode impactar na utilização medicinal popular de diversas espécies, dado que as plantas masculinas e femininas podem apresentar uma composição química distinta, além de nos fornecerem novas perspectivas quanto a expressão sexual e suas implicações na ecologia destas espécies. Neste sentido, o objetivo deste projeto foi avaliar e comparar o perfil químico, sobretudo do metabolismo secundário, de indivíduos masculinos e femininos de C. pachystachyaatravés de uma abordagem metabolômica. Também determinamos a influência da seca e da cheia, estações características do Cerrado, no metabolismo secundário de C. pachystachya, uma espécie que apresenta grande importância para este ecossistema, incluindo sua relação com a espécie humana na medicina popular. Coletamos amostras do limbo foliar e de inflorescência de 10 indivíduos de C. pachystachya (5 plantas masculinas e 5 plantas femininas), a cada dois meses, ao longo de 1 ano. As amostras foram analisadas por CLAE-DAD-EM/EM a partir de uma análise metabolômica. Não encontramos evidências do dimorfismo sexual no limbo foliar desta espécie, embora a sazonalidade pareça interferir na intensidade de flavonóides, aumentando estes durante a seca. Já nas inflorescências encontramos dimorfismos químicos entre as inflorescências estaminadas e pistiladas, que possuem diferenças entre as classes expressas e entre metabólitos encontrados. As inflorescências, embora tenham o metabolismo influenciado pela expressão sexual, não parecem ter o metabolismo influenciado pelas estações do Cerrado.
                            Compreendendo a influência dos métodos de restauração na diversidade filogenética de arbóreas na Mata Atlântica
                            Curso Mestrado em Ecologia e Conservação
                            Tipo Dissertação
                            Data 30/09/2022
                            Área ECOLOGIA
                            Orientador(es)
                            • Leticia Couto Garcia Ribeiro
                            Coorientador(es)
                              Orientando(s)
                              • Renata Dias Silva
                              Banca
                              • DÉBORA CRISTINA ROTHER
                              • Flavio Macedo Alves
                              • Leticia Couto Garcia Ribeiro
                              • Marcela Firens da Silveira
                              Resumo Ao iniciar um projeto de restauração, são necessárias algumas avaliações da área para que sejam feitas escolhas mais adequadas à sua recuperação. Dentre as escolhas, o método de restauração (ativa ou passiva) é uma escolha relevante que deve ser usada de acordo com os objetivos do projeto, recursos financeiros, nível de resiliência e histórico de uso da terra do local. A maioria dos métodos de restauração não consideram a diversidade filogenética como um elemento importante. Entretanto, a Society for Ecological Restoration International sugere a avaliação da diversidade como um atributo determinante no sucesso da restauração ecológica. Dentre as várias formas existentes de diversidade, a diversidade filogenética é um indicativo da história evolutiva das comunidades. Assim, nosso objetivo foi avaliar qual método de restauração, ativo ou passivo, promove uma maior diversidade filogenética de espécies arbóreas em áreas de restauração da Mata Atlântica. Para isso, consideramos idade, cobertura florestal e solo por serem fatores conhecidos por afetarem a taxa de recuperação florestal. Avaliamos espécies arbóreas de 36 áreas de restauração passiva e 13 áreas de restauração ativas presentes no Estado de São Paulo, utilizando a diversidade filogenética como métrica. Comparamos a diversidade filogenética entre os métodos de restauração e verificamos se a diversidade filogenética era influenciada pelo método de restauração, tempo de restauração e/ou porcentagem de areia utilizando uma PCoA e modelo linear generalizado (GLM). Nosso estudo mostra que a recuperação da diversidade filogenética da comunidade foi semelhante para ambas as estratégias de restauração, inseridas em matrizes de paisagem similares. Assim, áreas em restauração com estratégias passivas e ativas podem proporcionar valores similares de recuperação filogenética favorecendo também a colonização de genótipos nativos adaptados localmente, aptos a construir ecossistemas resilientes. Palavras-chave: Ecologia da restauração, Floresta Estacional Semidecidual, floresta tropical, filogenia, Recuperação de diversidade
                              Evaluation and Performance of Ecological Niche Models in South America: a whip-spider case study
                              Curso Mestrado em Ecologia e Conservação
                              Tipo Dissertação
                              Data 25/07/2022
                              Área ECOLOGIA
                              Orientador(es)
                              • Gustavo Graciolli
                              Coorientador(es)
                              • GUSTAVO SILVA DE MIRANDA
                              Orientando(s)
                              • João Frederico Berner
                              Banca
                              • DANIEL DE PAIVA SILVA
                              • Gustavo Graciolli
                              • Natália Stefanini da Silveira
                              • Thadeu Sobral de Souza
                              Resumo Construímos Modelos de Nicho Ecológico utilizando os dados de ocorrência de nove espécies do
                              amblipígeo Heterophrynus, endêmico da América do Sul. Testamos e comparamos a performance a a
                              similaridade do output de três conjuntos de dados climáticos e nove algoritmos sob três tamanhos de
                              M para cada espécie. Além disso, utilizamos um dos conjuntos de dados climáticos, BioClim, para
                              construir e projetar modelos para dois cenários SSP ao final do século, e quantificamos a área com
                              adequabilidade climática dentro de Áreas de Conservação em cada cenário. Nossos resultados
                              sugerem que MERRAclim é o conjunto de dados climático mais dessemelhante dos outros testados, e
                              que artefatos de interpolação em ambos os conjuntos BioClim e ENVIREM ditam o output dos
                              modelos na bacia amazônica. Em nossas análises, os algoritmos RF e MARS sobreajustaram os
                              modelos, enquanto GLM, GLMNet e MaxLike subajustaram os modelos dadas as configurações
                              testadas. Nós demonstramos como as estatísticas AUC e TSS são pouco informativas como método de
                              avaliação de modelos presença-fundo ou presença-pseudoausência. Encontramos que Terras Indígenas
                              cobrem em média tanta área climaticamente adequada quanto Áreas de Proteção Integral. Algumas
                              espécies perderão mais de dois terços da sua área de adequebilidade climátical atual, enquanto outras
                              terão essa área mais do que duplicada até o final do século. De nossas conclusões, enfatizamos que o
                              uso de um único conjunto de dados climático, modelo de circulação global e/ou algoritmo deve ser
                              evitado. Além disso, sugerimos que a definição de M deve ser baseada na construção de alguns
                              modelos a priori com diferentes tamanhos de M e selecionando o com melhor performance e que
                              melhor se ajusta ao uso pretendido do modelo.
                              Página 1 de 14 (20 de 277 registros).